Ir para conteúdo

Quan Chi

Membro da Comunidade
  • Total de itens

    2.631
  • Registo em

  • Última visita

  • Pontos

    750 [ Doar pontos ]

Sobre Quan Chi

  • Data de Nascimento 13-07-1991

Informação de perfil

  • Sexo
    Masculino
  • Origem
    Portalegre

Últimos Visitantes

2.014 visualizações
  1. O Paços já está mais que safo. E mesmo o Belenenses... Está 4 pontos acima da linha de água e teoricamente tem um calendário bem mais acessível que as outras três equipas.
  2. A conquista do campeonato não pode mascarar o acumulado de erros do Sérgio Conceição na gestão do plantel nestas 3 épocas, em particular na 2ª. Sim, é surpreendentemente bom ele ter sido capaz de ganhar 2 campeonatos com os plantéis que teve. Mas, em particular nas últimas 2 épocas, ele foi o principal responsável por esses mesmos plantéis. E a tendência será sempre para piorar, acho que ninguém está à espera que o Marega e/ou o Soares sejam substituídos por avançados móveis ou criativos. Vou tentar fazer uma lista dos erros, alguns mais graves que outros. Partindo por épocas: 2017-18: Óliver. Começou a época com 6 titularidades consecutivas, até à derrota na receção ao Besiktas na 1ª jornada da Champions. Excluindo taças, só voltou a ser titular em mais dois jogos, em janeiro. Ainda ficou mais uma época, na qual teve mais minutos, sobretudo nos meses de janeiro e fevereiro, mas nunca conquistou verdadeiramente a titularidade. O maior desperdício de talento das última 3 épocas. Osorio. Prevendo-se as saídas do Marcano e do Reyes no final dessa época, fez todo o sentido irmos buscá-lo em janeiro. Central jovem, forte fisicamente e que estava a fazer uma boa época no Tondela. Fez 1 único jogo com a nossa camisola, ficando imediatamente queimado na derrota por 2-0 em Belém, em que num dos golos foi abalroado pelo Felipe. Foi despachado após essa meia época. Waris. Fomos buscá-lo na teoria para ser 4º avançado ou 4º extremo, sem grande necessidade. 6 vezes suplente utilizado, 2 titularidades no final da época e 0 golos. Mais um jogador que durou meia época por cá. Até pelo valor que custou, merecia ter a oportunidade de fazer a pré-época seguinte. Gonçalo Paciência. Quando finalmente estava a demonstrar todo o seu potencial, interrompemos o empréstimo ao Setúbal, na mesma janela em que fomos buscar o Waris. Não fez muito sentido, mas acabou por jogar mais do que o Waris (12 jogos) e com alguns bons apontamentos. Foi vendido ao Frankfurt quando iria finalmente ter a oportunidade de lutar por espaço no plantel na época seguinte. Passados dois anos, a sua venda continua por explicar. 2018-19: Rafa. Tendo apenas o Telles (e o Oleg na B) para lateral esquerdo, devia ter tido a oportunidade de fazer a pré-época. Incompreensível. André Pereira. Nada contra o jogador, que fez o que pôde, mas vendemos o Gonçalo Paciência para nesta época o André Pereira ter tido 1009 minutos (23 jogos). E em janeiro ainda veio o Fernando Andrade, a tempo de participar em 22 jogos. Chidozie. Depois de uma época positiva no Nantes, inflacionando o seu valor de mercado, fazia sentido integrá-lo no plantel ou vendê-lo. Já tínhamos o Felipe, entendemos ir buscar o Mbemba e mais tarde o Militão, nada a a apontar, mas neste cenário a decisão racional seria vender o Chidozie para aproveitar a boa época anterior. Mas não, ficou no plantel como 5º central, atrás do Diogo Leite. Em janeiro alguém reparou nesta estupidez e mandou-o para um clube random da Turquia. Atualmente ainda é nosso, estando emprestado ao Leganés. João Pedro. Deu boas indicações na pré-época, sendo até titular nos últimos jogos amigáveis, mas surpreendentemente quem começou a época como titular foi o Maxi. O João Pedro fez apenas 3 jogos para as taças entre setembro e outubro, criou-se a desculpa de que não sabia defender, e foi recambiado para B e posteriormente para o Brasil. Nunca mais voltou, nem volta. Jorge. Quando parecia que íamos ficar apenas com o Telles para lateral esquerdo, sacámos um empréstimo com uma opção de compra razoável, um jogador com potencial para ser titular na época seguinte. A fazer lembrar os bons velhos tempos em que contratámos o Alex Sandro para ser suplente do Álvaro Pereira. Só que o treinador não estava para aí virado. Foi titular em 2 jogos (taças) e jogou 17 minutos a extremo na Champions, sendo recambiado após meia época. Sérgio Oliveira. Dada a lesão do Danilo, começou a época como titular. Foi perdendo gás, em particular em janeiro para o Óliver, numa altura em que o Bruno Costa também começou a fazer capas. Nesta sequência de eventos, foi emprestado para a Grécia, em mais uma decisão sem sentido nenhum. Militão. Com a chegada do Pepe em janeiro, foi desviado o resto da época para lateral-direito, relegando para o banco o Maxi, titular até então. Foi talvez a mais grave e longa estupidez do treinador nestes 3 anos. O negócio do Pepe foi uma boa oportunidade, mas deitámos ao lixo a dupla de centrais mais forte das últimas 3 épocas e ainda ficámos com um lateral fraco, inadaptado e que nos custou vários golos sofridos. Loum. Tendo em conta a saída do Sérgio Oliveira, fazia sentido ir buscar um médio mais defensivo. O Loum estava a fazer uma boa época no Moreirense mas o negócio com o Braga foi péssimo (7,5M€) por um jogador que em meia época fez 32 minutos, divididos por 3 jogos. Na época atual teve a oportunidade de jogar 4 jogos consecutivos e até marcou 1 golo, mas fê-lo sempre ao lado do Danilo. Merece uma sequência semelhante, mas como médio mais defensivo da dupla de meio-campo. 2019-20: Diogo Queirós. Foi ficando no plantel até uma fase bastante tardia da pré-época e quando já estava na cara que iria ser 4º ou 5º central, para depois ser emprestado a um Mouscron. Não é um caso particularmente grave e a época aparentemente não lhe está a correr mal, mas podia ter-se perdido e certamente existiriam clubes razoáveis no nosso campeonato aos quais poderia ter sido emprestado. Galeno. Depois de uma época muito boa no Rio Ave, foi vendido ao Braga, tão amigos que nós somos. Tendo em conta que o Corona voltou a jogar a lateral e a intermitência do Nakajima, o Galeno teria perfeitamente o seu espaço no plantel atual. Tomás. Com a saída do Militão e a reforma do Maxi, partimos para mais uma época com renovação total da lateral direita. Saudou-se a integração do Tomás no plantel principal e até foi dos melhores jogadores da pré-época. Tal e qual como o João Pedro um ano antes, quando começaram os jogos oficiais, desapareceu do mapa. O impasse na renovação não pode nunca ser desculpa, até porque não o foi para o Marcano, Herrera, ou Brahimi. Saravía. Depois de não ter dado grandes indicações na pré-época, começou a época como suplente do Manafá (deslocações a Krasnodar e Barcelos). Foi lançado às feras na receção ao Krasnodar e imediatamente queimado. Só viria a fazer mais 5 jogos, todos nas taças, e foi despachado no mercado de inverno. Fica a sensação que não se perdeu grande coisa, mas a verdade é que não foi um jogador barato e nunca teve uma sequência de jogos que permitisse tirar as teimas quanto à sua qualidade. Referir ainda a gestão do Marcano, Herrera e Brahimi, que resultou na saída a custo zero desses jogadores. Nem todos os erros têm o treinador como principal responsável e é impossível um treinador não cometer um único erro na gestão dos jogadores que tem à sua disposição, mas acho que o tamanho do post é elucidativo. EDIT: E isto para falar nas mudanças repentinas de opinião sobre os jogadores a contratar. Koubek, o extremo do Copenhaga... E certamente há mais, mas aqui não há zerozero que me reavive a memória.
  3. Prefiro a 2, mas a 1 também é uma boa opção e mais realista tendo em conta como acabámos o último jogo. A 3 e a 4 parecem-me irrealistas.
  4. Não é mau jogador, mas não é jogador para ser titular cá e iria absorver minutos que deveriam ser dedicados ao Fábio Vieira, por isso espero que não venha. Se é para ir buscar um extremo, que seja alguém para entrar de caras no onze.
  5. O Paulo Fonseca mostrou mais do que, por exemplo, o Mourinho no Leiria. Foi uma aposta que correu muito mal, mas como já referiram a sua contratação fez todo sentido. O rácio de qualidade do futebol vs. qualidade individual dos jogadores daquele Paços era absurdo, certamente o maior do campeonato português nos últimos 20 anos. Em relação ao treinador da próxima época, não me revejo no Sérgio Conceição, quer no estilo de jogo, quer pela pessoa de m*rda que é. Vale unicamente pela mística e pela raça. Gostava muito que ele fosse embora no final desta época, mas se é para ir buscar um Ivo Vieira ou Pedro Martins, a SAD que se deixe estar sossegada. Se os nomes credenciados que já se falaram por aqui (Gallardo, Jardim, Vítor Pereira, Jesus, Marcelino, Gasperini, etc.) são todos impossíveis, então que fique o Sérgio Conceição. Até porque a pré-época - vai sequer existir pré-época propriamente dita, ou esta época vai pegar diretamente com a próxima, só com 3 ou 4 semanas de treinos antes do início das competições oficiais? - vai ser curta e a janela de transferências também (e é bom que seja para não entrar pelas jornadas do campeonato adentro), não dá tempo para grandes mudanças. Ou o Pinto da Costa à data de hoje já tem um treinador escolhido e que já está a trabalhar há algum tempo nas contratações em conjunto com a SAD (tente não rir) à la Lopetegui, ou então os timings são curtíssimos, demasiado curtos para correr o risco de ir buscar um treinador apenas razoável.
  6. Obrigado pelo esclarecimento. Caso tenhas visto o lance do carrinho do Uribe (não encontrei vídeo), consideras que deveria ter sido mostrado cartão vermelho?
  7. Não entro na questão do Pepe porque me parece que temos opiniões demasiado afastadas para podermos chegar a um consenso. Mas acho que é mais justo fazeres a comparação com o Mbemba, que tal como o Diogo Leite teve uma utilização muito intermitente antes da interrupção do campeonato, e raramente enterrou (lembro-me de ter enterrado bastante num jogo fora em que o Diogo Leite também jogou), dando até sinais que poderia ter qualidade para ser titular, como se está a comprovar agora que teve uma sequência de jogos a titular. Não podemos dizer o mesmo do Diogo Leite. O que não significa que o Diogo Leite é mau jogador. Não é possível fazer uma afirmação dessas, porque tal como outros jogadores no plantel, nunca teve oportunidade para fazer 4-5 jogos seguidos para se perceber melhor o seu real valor. Mas é inegável que alguns dos erros que cometeu (nomeadamente o de hoje, que só não resultou em golo por milagre) são demasiado graves para serem ignorados.
  8. Mais um jogo em que não se jogou grande coisa. É verdade que teve mais intensidade que os últimos jogos, mas isso deveu-se essencialmente à postura do Tondela, que se expôs bastante nos contra-ataques que fez. O jogo fica marcado por um conjunto inusitado de polémicas. Os comentadores desportivos devem estar eufóricos, já têm temas para o resto da semana. Se me lembrar de tudo: O 1º golo do Porto nasce de um canto eventualmente mal assinalado (não passaram a repetição). O Uribe tem uma entrada a pés juntos (burrice incompreensível) que eventualmente poderia ser merecedora do cartão vermelho, mesmo ficando longe de acertar no adversário. O mesmo Uribe protagoniza o lance mais duvidoso do jogo. A falta é clara. Sendo penalty, o comentador da SporTV referiu que o árbitro não lhe poderia dar o 2º amarelo, devido à questão da tripla penalização. Tinha ideia que essa regra apenas se aplicava a situações de vermelho direto... Mas a polémica maior é que numa das repetições parece mesmo que a falta é fora da área, e nesse caso o 2º amarelo seria claro. Por fim, o lance do Marega. Deixámos de "ser todos Marega". Sobre o lance do Marega, começar por referir que caso exista uma hierarquia definida de marcadores de penalties para além do Telles, e caso o Marega esteja nessa lista, então o treinador esteve mal em dizer para o Fábio bater. O jogo não estava resolvido. No entanto, isso não desculpa nem um milímetro a atitude do Marega. Percebe-se a frustração, ainda dou de barato o chuto para a bancada, mas ficar o resto do jogo parado no meio-campo adversário, não. Não tem defesa possível. Deveria, no mínimo, ser castigado internamente com 1 ou 2 jogos fora da equipa e ser obrigado a fazer um pedido de desculpas público. Agora, também não exagerem com as comparações. Caso já não se lembrem do que fez o Maicon, ele abandonou o campo a meio de um jogo, em pleno Dragão, sem hipótese de ser substituído e, motivo principal para os casos não serem minimamente comparáveis, era um dos capitães de equipa nessa época (não me recordo se estava com a braçadeira no jogo em questão). Também me entristeceu a forma como uma página inteira deste tópico se encheu de "filho da p*ta". Eu também acho o Marega um jogador fraco para o que deveriam ser os nossos padrões, mas em qualquer caso não há justificação nenhuma para insultos desse nível. Ainda há uns meses atrás éramos todos Marega, se calhar isso significa que hoje somos todos filhos da p*ta. Sobre futebol, grande jogo do Corona. Incrível como nestes 4 (?) anos passou de um jogador altamente irregular para um jogador que faz tudo bem, em várias posições do campo. Tenho esperança que possa acontecer a mesma metamorfose ao Díaz. O lance do 2º golo é provavelmente a nossa melhor jogada desde a retoma do campeonato. Tão simples, mas tão bem feito. A equipa descompensada defensivamente, o compromisso do Marega (a ironia) que recupera a bola e imediatamente se desmarca, a bola fantástica do Corona e a finalização, também de bom nível, do Marega. Já não ficava tão contente com um golo nosso há muito tempo. Pela negativa, o Uribe deve bastante à inteligência e nunca deveria ser mais que um suplente útil para segurar jogos. Nota também o Diogo Leite, cuja primeira intervenção no jogo é ser mamadíssimo nas costas numa defesa a três e que até estava recuada. Assim fica difícil defendê-lo. Contra o Sporting não temos Corona, Uribe e muito provavelmente Sérgio Oliveira. Gostava de ver uma dupla Danilo-Vítor no meio campo, mas pelas indicações de hoje acredito que seja Danilo-Otávio com o Fábio Vieira e o Díaz a extremos. Mas será uma pequena janela que se poderá abrir para o Nakajima, que poderia ser usado pelo treinador como propaganda para demonstrar que no "grupo" está tudo perdoado...
  9. Eu acho que se está a fazer uma "festa" absurda, a fazer parecer que a conquista do título esta noite está garantida. Bem sei que a maior parte da culpa é da comunicação social, mas vamos lá ter calma. Se hoje escorregarmos e o Benfica ganhar, vamos todos borrados para a receção ao Sporting.
  10. O Díaz desde a retoma do campeonato já falhou uma enciclopédia de golos feitos e ontem com o jogo resolvido saca um golão daqueles. Tem um potencial enorme, só precisa de evoluir mentalmente.
  11. http://cyclingentertainment.stream/corona/2020/porto-vs-belenenses/
  12. Não estou a conseguir aceitar o amarelo, acho horrível. Tudo o resto dos 3 equipamentos parece-me do melhor que já tivemos nós últimos anos.
  13. Eu não disse que era utópico uma empresa dever apenas a fornecedores, disse que era utópico ter passivo 0. Mas também estou longe de ser um especialista em finanças empresariais. Em relação à lógica dos empréstimos, podes ver por pelo menos dois prismas. Um é o do investimento, ou seja, utilizar o dinheiro do empréstimo para fazer um investimento que vai ter um retorno superior ao custo do empréstimo. Outro é o de acompanhar a concorrência, ou seja, se o rival se endivida para poder contratar melhores jogadores ou pagar salários mais elevados, eu "tenho" que o acompanhar para poder manter a minha competitividade, endividando-me também. O que não falta pelo mundo fora são empresas cujos empréstimos são várias vezes superiores ao dinheiro que as empresas geram num ano.
×
×
  • Criar Novo...