Ir para conteúdo

Diogo Mitch

Membro da Comunidade
  • Total de itens

    979
  • Registo em

  • Última visita

  • Pontos

    240 [ Doar pontos ]

Métodos de contacto

  • Website URL
    http://

Informação de perfil

  • Sexo
    Masculino
  • Origem
    Matosinhos.

Últimos Visitantes

1.762 visualizações
  1. Confere. Entretanto também joguei vs @FabioK (Man City) O primeiro jogo foi equilibrado. Ganhei 1-0, tive um golo anulado, mas ele também podia ter marcado. No segundo levei alto cabaz e o 2-0 foi lisonjeiro... Não está nada fácil... Só marquei um golo em quatro jogos e a equipa não engrena. Se em casa consigo equilibrar as coisas (e apenas isso), fora não tenho tido antídoto... A ver vamos mais para a frente.
  2. Conclusão: estou f***** ! Escolho mais próximo da minha vez, sou o penúltimo não consigo fazer já uma lista de 12 equipas assim de repente.. Mas vou estando atento...
  3. Boa noite, Estou actualmente a trabalhar num restaurante. No domingo fará 3 semanas que estou em casa, sendo que a primeira delas foi por iniciativa minha, visto que o "boss" não demonstrava qualquer intenção de fechar ou alterar o que quer que fosse, e eu em minha casa tenho a minha avó com 93 anos a morar. Meti para férias, pensando depois no que faria a partir do final dessa semana. Entretanto foi declarado o estado de emergência e as tais medidas, que o obrigaram a reduzir horários, mandar funcionários para casa e apenas servir para take away. Assim, e agora por sua imposição, continuei em casa nas duas semanas seguintes (a passada e esta que está a acabar). Para já não me interessa muito a questão das férias, e em relação aos ordenados fomos informados que, enquanto isto durar, recebemos só o salário mínimo. Até aqui tudo mais ou menos pacífico e disse-vos apenas para enquadrar a situação. Hoje recebi (eu e outros funcionários) mensagem do patrão a dizer para lá passar amanha para, e passo a citar, "receber e assinar a declaração de layoff". Ora, logo aqui surgiram-me duas questões, provavelmente dignas de um leigo em leis e burocracias, mas aqui haverá possivelmente quem saiba: - É a empresa que entra em layoff certo? É suposto os trabalhadores assinarem algo nesse sentido? Penso que não seja nada com a qual possamos ou não concordar, pelo que achei estranho... - E se não tiver que assinar nada, poderá ele estar a tentar o engodo de apresentar um documento que nada tem a ver com isso? (por ex: eventual rescisão de contrato por mútuo acordo ou do género, contando que as pessoas não vão ler e apenas acreditar no que ele diz?) Desde já peço desculpa se for algo básico/ridículo mas pronto, aqui fica a questão P.S.: também não sei se estou no tópico correto, mas como isto não é bem uma "questão legal" (é mais sobre o que rodeia a legalidade), decidi colocar aqui por ter mais visibilidade.
  4. Era precisamente para evitar isso que nas competições, quando eram equipas livres, cada jogador ao inscrever-se enviava uma lista por ordem decrescente das equipas favoritas, sendo estas reveladas quando o torneio começasse. Por exemplo: Eu: Liverpool, Real, Barça, Bayern, PSG, etc Tu: Liverpool, Real, Bayern, PSG, Barça, etc Jogando contra ti, o jogo seria Barça x Bayern (um exemplo, coloquei a ordem aleatória neste caso claro). Devemos ter começado os embates antes até, penso eu... Bons tempos meu menino! @CeLL @Kendrick Lmao saltem para o relvado!!
  5. Não votei na sondagem porque, sinceramente, é-me perfeitamente igual em ambas as questões. Já joguei torneios de todos os moldes e feitios, mas como já não o faço há anos, tenho saudades de qualquer formato... I'm in, o resto deixo ao vosso critério
  6. Coisa linda... Foi o primeiro jogo de futebol que joguei, ainda em 2D.. Como as coisas mudaram em pouco mais de 20 anos... Incrível!
  7. Ora então boas noites ! Ao fim de muuuuitos anos (não fazia mais de uma época para aí há uns dez FM's ), e perante estes tempos de quarentena que chegaram para ficar, decidi iniciar um save neste mais recente FM2020. Como já é meu apanágio desde o CM3, o primeiro save começo quase sempre no Benfica. Já completei três épocas e posso dizer que o jogo não podia estar mais real num sentido: limpo tudo cá dentro, lá fora a coisa pia bem mais fininho... Adoptei um 4x2x3x1 como táctica principal, e o primeiro ano não foi muito atribulado em termos de transferências... Fui buscar o Montiel para defesa direito (A. Almeida como suplente e Ebuehi joker - apenas usado numa razia de laterais, como até chegou a acontecer), o Stark para central (rodar a titularidade com o Ferro depois da saída do Jardel, qualquer um deles para emparelhar com o titularíssimo Ruben Dias), o Helton Leite para ter alguma segurança caso algo acontecesse ao Ody e, a cereja no topo do bolo, James Rodriguez para dar aquele toque de classe como nº 10 - os dois livres não fui eu, foi alguém da estrutura que assumiu mas não valem nadinha Nas saídas registam-se os casos do já referido Jardel e, em Janeiro, os excedentários Cervi e Seferovic que ainda renderam bom dinheiro e deu para equilibrar as contas. Os emprestados foram-no para ganhar calo e, quiçá, voltarem. Por curiosidade, 3 anos depois, o Svilar é o meu GR suplente e o Tomás Tavares é o lateral direito titular. Chrien esquece e Kalaica continua de empréstimo em empréstimo. Na 1ª época as coisas dificilmente poderiam correr melhor: limpei a Supertaça (1x0 ao Sporting), Taça da Liga (2x0 ao Paços, depois de eliminar o Porto, nas meias, em penaltys), Taça de Portugal (3x1 ao Tondela) e Campeonato, onde terminei com apenas uma derrota ( na Luz, contra o Braga, já no último terço do campeonato, quando já estava tudo encaminhado) e 11 golos sofridos. Por outro lado, na Champions, num grupo com Man City, Borussia e Galatasaray, o melhor que consegui foi acabar em 3º (à rasca, com 6 pontos, os mesmos do Gala) e, ao cair para a Liga Europa, sou logo eliminado nos 16avos pelo Atlético de Madrid (perdi os dois jogos por 2x1, casa e fora). =========================================================================================== Já na 2ª época as coisas foram bem diferentes. A começar pelo plantel, que sofreu uma remodelação mais profunda do que o esperado, como até nos resultados. Vamos por partes. No que a transferências diz respeito, muitas mais foram as saídas que as entradas, e aqui destacam-se as vendas "chapa 20M" como André Almeida, Samaris e Taarabt; os 45M por Pizzi; os meninos 60M Gabriel e Ruben Dias; e por fim Zivkovic para... o Famalicão! Os três primeiros não eram titulares (embora tenham jogado bastante), o Pizzi foi uma proposta irrecusável para a época nada por aí alem que fez vs a sua idade, o Gabriel bateram a cláusula de rescisão (também não fez uma época estrondosa, não esperava que o Man Utd viesse em força) e o Ruben Dias já era difícil aguentar mais uma época. Os restantes das imagens são excedentários que, todos juntos, também valeram uma boa fatia do incrível bolo de 280M de euros recebidos esse ano! Por empréstimo saíram muitos também, de onde destaco Tiago Dantas (bruto potencial, precisava de tempo de jogo) e Julian Weigl (a época anterior tinha sido fraca, este ano ainda menos espaço iria ter, tentei que se valorizasse com o empréstimo visto que em definitivo ninguém estava disposto a pagar o justo). Perante tanta mexida, a qualidade teria de ser reposta. E em 10 reforços foram gastos praticamente 270M de euros. David Luiz e Phil Jones, centrais experientes e low cost, a partirem atrás e Ferro e Stark na hierarquia (David o 3º central, Jones quase nem jogou); para o meio campo o jovem prodígio Camavinga (penso que dispensa apresentações por estes lados), Nikola Moro e o regresso do filho pródigo Renato Sanches, além de Rodrigo de Paul que chegou para substituir James cujo empréstimo tinha terminado no final do ano e os salários para o comprar eram incomportáveis. Para extremos, à esquerda mantiveram-se Rafa e Jota, mas no lado oposto repus as saídas de Pizzi e Ziv com as entradas de Adama Traoré (o tal que é meio bicho meio mota!!) e Riyad Mahrez (acabou por fazer uma época aquém das minhas expectativas quando assinou). Por fim, lá na frente, Carlos Vinicius mantinha-se titularíssimo, mas agora com a sombra de Moise Kean. O Galeno, em Janeiro, foi porque tinha tido algumas lesões nos extremos e queria ter mais profundidade para a altura crítica da época. Ainda fez uns joguitos, mas não justificou. A época até começou bem comigo a cilindrar o Tondela por 5x0 na Supertaça, mas rapidamente as coisas começaram a cair ao ponto de, volvidas 5 jornadas, ter já 2 derrotas (0x2 em Guimarães e 0x1 em Chaves), mais do que em todo o campeonato anterior . As coisas até foram estabilizando, comigo em 1º e o FCPorto sempre por perto, até às últimas jornadas que foi uma loucura. Na 31ª jornada perco a liderança com uma derrota no Dragão, por 2-0, e imediatamente pensei que "estava feito". Porém, o FCPorto desloca-se aos Açores na 32ª jornada e... perde (!!!!) permitindo-me ascender de novo ao 1º lugar a apenas duas jornadas do fim. Na 33ª ambos ganhámos e tudo se decidiria na última, onde receberia o Portimonense e teria obrigatoriamente de ganhar para não depender de terceiros - tudo mais ou menos garantido, pensava eu. Pois é...... Num jogo surreal (não consigo aceder aos pormenores do jogo porque já foi há mais de uma época), comecei logo a perder, dei a volta para 2x1 ainda antes do intervalo e estava tranquilo a dominar completamente. No reatamento eles empatam cedo (50' mais ou menos) e depois, mesmo com 30 e tal remates foram eles que, aos 89', gelaram por completo o Estádio da Luz - e a mim, diga-se, que me apeteceu logo rebentar o portátil contra a parede... Nem tudo são rosas e são estes momentos que nos tornam mais fortes... A nível interno voltei a limpar tudo o resto. Taça da Liga em penaltys ao FCPorto depois de 1x1 no tempo regulamentar, tendo eliminado o Sporting nas meias por 2x1; Taça de Portugal vinguei-me daquele fim de campeonato como já devem ter visto ao rebentar com o Santa Clara por expressivos 7x0 - e que bem me soube! Na Champions, num grupo com Lyon, Borussia M'Gladbach e, de novo, Galatasaray, as coisas já correram melhor e passei em 1º com 4 vitórias, 1 empate e 1 derrota. Lyon 2º, Gala 3º e Borussia a desilusão a acabar com apenas 2 pontos. Nos oitavos calhou-me o Sevilha em sorte e, depois de uma derrota fora por 0x1, saíram vergados da Luz a penosos 5x0. Porém, nos quartos calhou-me a fava: o bicampeão europeu Liverpool, que me venceu os dois jogos com uma limpeza impressionante (0x2 e 3x0, nem um golo marquei para a amostra). A título de curiosidade, e apesar da perda do campeonato, no final da época recebi convite do Real Madrid (gravei o jogo antes de declinar o convite, não vá mais tarde querer pegar nos galáticos) =========================================================================================== Por fim, na 3ª época, que agora termina, as mexidas não foram tantas, mas os valores (quer em saídas quer em entradas) superaram até os das épocas anteriores. Na defesa saiu Phil Jones, que pouco tinha jogado e o salário não era condizente com a utlização; no meio campo registaram-se as saídas de Julian Weigl (que tinha sido emprestado, agora consegui fazer bom dinheiro), Chiquinho (Gonçalo Ramos estava pronto para subir à A e ficar na sombra do De Paul) e Camavinga (a crescer como jogador, ainda com uns 19 anos, mas fez uma época muito fraca, sendo que andava meio mundo atrás dele e a proposta foi assustadora) para a subida efectiva de Tiago Dantas ao plantel principal; nas alas, Mahrez (provavelmente o pior negócio das três épocas, perdi dinheiro na venda e ganhava imenso para o que produziu) e Galeno (que como disse, não justificou nem sequer o estatuto de tapa buracos); finalmente na frente, depois de duas épocas de alto nível, achei que seria boa altura para deixar sair Carlos Vinicius. No mercado de Janeiro saíram ainda Florentino (100M a pronto do City, completamente inesperado visto que não era um titularíssimo ainda, apesar das stats em crescendo) e Ferro (que já andava a criar alguns problemas há meses perante tanto assédio) que se juntou a Ruben Dias no Barça. Em termos de entradas, Federico Chiesa para se juntar a Traoré na luta por um lugar a extremo direito, depois das saídas de Galeno e Mahrez; e dois avançados, Iheanacho e... Erling Haaland, que bateu record de trasferências como podem ver e com um astronómico salário superior a 1M/mês. Em Janeiro, Phil f*den e Todibo supriram diretamente as saídas de Florentino e Ferro, em mais dois elevados investimentos principalmente no que custaram e não tanto nos salários. A época não começou bem. A Supertaça perdi-a para o FCPorto em penaltys (não posso ganhar sempre na lotaria...) e, como não fui campeão na época anterior, tive de jogar as duas pré-eliminatórias da Champions. Primeiro com o PSV, em que perco a primeira mão 2x0 logo a seguir à derrota na Supertaça (porém na segunda mão ficou.... 7x0!!!) e depois com o Club Brugge - muito suado, 0x0 fora e 1x0 em casa - carimbando assim a passagem aos grupos. Em termos de campeonato voltou ao passeio da 1ª época, tendo apenas perdido um jogo, já na 30ª jornada em Belém - com o título praticamente já no bolso. Destaque para o Paços que voltou a apurar-se para a Champions () e o Tondela que assegurou um histórico 5º lugar. Na Taça da Liga perdi na meia final da final four para o FCPorto.... (guess what??) em penaltys! No fim da época tive a recompensa, ao vencê-los na final da Taça de Portugal por 2x0, limpinho limpinho... Na Champions tive a companhia do ilustre Real Madrid, além de CSKA Moscovo e Celtic. Perdi o primeiro jogo na Rússia, mas acabei em 1º lugar com 4 vitórias e 1 empate (com o Real no Santiago Bernabeu, depois de ter ganho na Luz). Infelizmente, a minha campanha voltou a não durar muito mais. Nos Oitavos de Final defrontei o Inter, adversário acessível e que enfrentei com muita esperança de continuar, mas infelizmente a derrota por 2x0 na primeira mão revelou-se uma montanha demasiado alta para subir na 2ª mão. Ainda entrei em vantagem, mas depois empataram através de grande penalidade e a coisa complicou. Acabei por ganhar 3x2 mas não foi suficiente... Conclusão: 2 Ligas Portuguesas 2 Supertaças 3 Taças de Portugal 2 Taças da Liga Champions (Quartos de Final max) Ou seja, as campanhas europeias ficaram sempre aquém do esperado (tirando a 2ª época que nos Quartos calha logo o Liverpool) e, a nível interno, só aquele golpe de asa da última jornada contra o Portimonense é que me tirou do sério... Agora não sei se vou continuar para tentar ganhar a Champions ou se vou sair para outro clube, depende do que aparecer e quando aparecer.. P.S.: Ui cum caraças, isto ficou gigante (!!!!), entusiasmei-me um bocado, desculpem... Esta quarentena está a dar cabo de mim! Bons jogos a todos!
  8. Grande @WormboY , ao que nos leva a quarentena... Estou a ver que já não vim a tempo, mas no próximo em princípio estou in, para recordar bons velhos tempos... Tamos juntos
  9. Apareceu-me isso no face até esbocei um sorriso. Que coincidência Obrigado a ambos!
  10. Foi o que pensei.... Ainda ontem me apareceu que se bateu record de jogadores de CS ao mesmo tempo... Quanto ao FM já me apareceu 37€, entretanto 32€... Mas o problema agora nem é esse, queria mesmo era comprar. Vamos lá ver em quanto tempo repõem isso. Obrigado pela rápida resposta. Um abraço
  11. @Luís Silvares, não sabia onde colocar a questão, mesmo já tendo procurado tópico específico.. Devido a toda esta situação pensei em comprar o FM, e ia fazê-lo através da parceria do CMPT com a CDKeys. Porém, além de estar já nos 37€, até me diz que está indisponível e se perguntam-me se eu quero que me avisem quando estiver em stock... Tratando-se de uma cdkey, pensei que este tipo de coisas nem acontecia (sim, sou leigo nestas partes técnicas ). Alguem sabe para quando a situação possa estar resolvida? É que já vi outros sites e também está 'esgotado', e diretamente pela Steam são para 50 e tal euros... Abraço
×
×
  • Criar Novo...