Ir para conteúdo

Duke29

Membro da Comunidade
  • Total de itens

    341
  • Registo em

  • Última visita

  • Pontos

    0 [ Doar pontos ]

Sobre Duke29

  • Rank
    Por muito que tentem, não nos vão deitar abaixo.
  • Data de Nascimento 23-02-1988

Informação de perfil

  • Sexo
    Masculino
  • Origem
    Leiria
  1. Podes verificar os resultados financeiros dos últimos anos da champions aqui, onde demonstram os resultados dos últimos anos, e por acaso começa na época 2003/004.: http://www.uefa.com/insideuefa/documentlibrary/aboutuefa/financialreports/index.html
  2. No fundo a ideia da uefa não é limitar o poder dos clubes grandes, mas sim acabar com loucuras tipo PSG ou Man City, que enquanto tiverem o financiamento dos novos donos vão-se manter como clubes grandes, mas que na realidade não têm capacidade para se manter caso os mesmos donos decidam sair de repente. Tens o caso de clubes como Portsmouth e Parma que assim que o investimento exterior acabou, os clubes começaram a definhar pois já não conseguiam fazer frente às despesas que tinham e acabaram por cair para divisões inferiores. Para além disso, qualquer um vê que o principal objetivo destas medidas é mesmo proteger os clubes grandes, principalmente impedir que volte a ocorrer outra final da Liga dos Campões tipo Porto - Mónaco, que a nível de receitas com publicidade, venda de direitos de imagem, etc., foi um fiasco brutal para as contas da Uefa
  3. Para mim a dos empréstimos é uma boa ideia, acabava-se com a coisa de comprar para para ver o que dá o jogador e lucrar com as taxas do empréstimo. Era permitir só o empréstimo de jogadores até aos 21 anos e que tivessem sido formados no clube. Em relação às transferencias, o que ele está a apresentar é só uma versão do fair-play financeiro, mas as multas ficam disfarçadas de taxas. Se querem acabar com as transferências multimilionárias e promover a competitividade entre clubes, era mas é criar um teto salarial e um valor máximo de quanto os clubes podem gastar por época, só assim conseguem acabar com a loucura que se tem visto nos últimos anos.
  4. Vou a chegar ao final da primeira época com a Atalanta, e não tenho tido grandes problemas com lesões, alguns 1 semana, ou 15 dias, o Vido 3 meses, mas nada fora do normal. A única exceção foi o Giuseppe Rossi, recupera de lesão um dia, e no seguinte tem uma recaída e fica mais 8 meses fora. Por sorte ainda não o tinha assinado.
  5. Sem desculpas da minha parte para este erro :facepalm:
  6. Sou totalmente a favor das praxes, não quando obriguem o pessoal a ir, mas neste ponto dou-te toda a razão. E dizer que o pessoal que praxa são um bando de burros? Se tivesse participado em praxes via que participam tanto maus alunos como alunos de topo. E os alunos estão lá à 5 anos? Perguntem-se se não há lá bastantes que são obrigados a trabalhar aos fins-de-semana e/ou depois das aulas porque tiveram de ir estudar para uma cidade diferente e os pais não têm capacidade de os manter na universidade, e a porcaria das bolsas de estudo mal dão para a renda!!! É verdade que nas universidades, tal como nas escolas, no trabalho, etc, há maus alunos / trabalhadores, mas dizerem que andam lá à bastante tempo por causa das praxes é de rir. É divertido ver que todos os anos se fala deste tema, mas não se fala da constante falta de apoio que as universidades dão aos próprios alunos. É vergonhoso que para tratar de qualquer assunto a primeira coisa que tenha que fazer antes de entrar nos serviços académicos é ver se tenho dinheiro na carteira ou no cartão de crédito! Ou então o facto de um aluno ficar impossibilitado de ir a uma época de exames porque falhou no pagamento de uma propina. Para não falar das carradas de "professores" universitários que se estão borrifando para os próprios alunos, só querem acabar as aulas para voltarem para os seus projetos, não se preocupam em explicar a matéria em condições. É muito bonito utilizar as praxes para tentar esconder que o modo como as universidades funcionam em Portugal não funciona, há falhas em todo o lado e não há preocupação em resolvê-las, passando inclusive pelo Processo de Bolonha, que foi implementado em 2006/2007 e ainda hoje não o conseguem colocar a funcionar como ele tinha sido inicialmente projetado.
  7. Como é possível o desporto nacional ter chegado a este nível?!?!?! Como é possível ver membros de órgãos jurídicos e diretivos do desporto nacional a demonstrar publicamente o seu apoio a certos clubes e o seu ódio / desdém por outros clubes? Pior, utilizam os seus cargos para atacarem os rivais do seu clube do coração, e proteger o seu clube, de forma tão clara que qualquer criança de 2 anos conseguiria ver!! E a principal discussão em praça pública é que o Benfica tem um prazo irrisório para apresentar um plano que lhes agrade (a pessoas que demonstram o seu apoio aos rivais à descarada), ou então arrisca-se a jogar o 1º jogo da temporada em campo neutro, arriscando assim ainda mais a possibilidade de obter um mau resultado logo na 1ª jornada!! Sinceramente, isto já passa todos os limites do ridículo. Em relação à discussão das claques, é o motivo mais estúpido que alguma vez vi. Também conheço membros de claques, principalmente Juve Leo e No Name, e todos estes dizem o mesmo, dentro das claques há sempre aqueles que estão lá para apoiar o clube e divertirem-se, e há os que utilizam as claques como uma fachada para os seus "negócios". Não me venham dizer que são todos criminosos, nem que são todos santinhos, mas a verdade é que todos sabem o que se passa dentro das claques, polícia inclusive, sobre quais as formas de obtenção de rendimento de alguns dos seus membros, e a verdade é que ninguém faz nada para o impedir. Quando é assuntos de violência no futebol, são sempre as claques que estão metidas no meio. Na minha opinião, as claques são o exemplo perfeito do ditado: "Tanto é ladrão o que rouba, como o que vigia", temos muito que aprender com os ingleses, as claques dão problemas, identifiquem os seus membros (que conseguem facilmente fazer isso) e proíbam-nos de entrar nos estádios. Acabem com a pouca vergonha de eu querer levar os meus filhos ao estádio e ter que perguntar nas bilheteiras onde vão ficar as claques, e para me afastar o máximo deles.
  8. Sou contra a proibição dos empréstimos a clubes da 1ª liga, basta pela liga inglesa, onde até ao início dos anos 2000 não podiam emprestar jogadores a clubes da mesma divisão. Isto originou que os clubes se queixassem que os jogadores formados no clube, principalmente em clubes grandes, não tinham grande competitividade nos primeiros anos de sénior, o que dificultava a transição de júniores para séniores. A liga alterou a regra e isso ajudou bastante no crescimento dos jogadores jovens. Neste caso até corre bem, os jogadores crescem na Premier League e ficam adapatados à liga caso consigam entrar para o plantel da equipa no ano seguinte. O problema é em clubes como o Chelsea, que distribuem os jogadores por ligas inferiores e de vários países, o que faz com que bons jogadores acabem por não se conseguirem impor no plantel. Este ano o caso mais escandaloso é o do Christensen, que está a fazer grandes temporadas no borussia mönchengladbach e dificilmente conseguirá ficar no plantel. Enquanto isso o Nathan Aké fez uma grande temporada no Bournemouth e conseguiu voltar em janeiro ao Chelsea. Isto mostra o que poderá ser positivo nos empréstimos para clubes do mesmo país e divisão. Também sou contra a proibição dos jogadores jogarem contra os próprios clubes, pois como dizem, isto retira a verdade desportiva do jogo, principalmente se este for um jogador importante no clube ao qual está emprestado. Vi este fim-de-semana o Cruzeiro contra a Chapeconense, e a Chapecoense ganhou 2-0, com o segundo golo a ser marcado pelo Douglas Grolli, que foi um dos melhores em campo, e ele está lá por empréstimo do Cruzeiro!! Em relação a ser mau negócio para os clubes que recebem os jogadores por empréstimo, temos que ver por dois lados este assunto: 1º Ninguém os obriga a receberem os jogadores por empréstimo, eles fazem o negócio conscientes de que se jogar bem, o mais provável é o jogador sair no final da época e eles não receberem nada. 2º Na a maioria dos clubes que chegam à primeira divisão, os seus plantéis não têm qualidade suficiente para se manterem na primeira divisão, e sendo as receitas televisivas e as assistências em jogos grandes a sua principal forma de rendimento, para eles a sua melhor opção a curto prazo poderá passar por receber jogadores por empréstimo dos grandes. Na grande maioria destes casos o clube paga pouco ou nada pelo empréstimo do jogador, tanto de comissão pelo empréstimo como salário, e melhoram o seu plantel a gastar pouco. Assim que estabilizam as contas, caso se consigam manter, poderão então avançar para a melhoria dos seus plantéis com base em aquisições a título definitivo. Isto chama-se boa gestão, pena que a maioria dos clubes não conseguem passar do primeiro passo.
  9. Se gerirem bem as coisas, a entrada de investidores no futebol italiano poderá beneficiar bastante o nível da liga. Basta ver o que se passa em Inglaterra, em que o investimento estrangeiro nos últimos 15 anos ajudou a subir bastante o nível competitivo da liga e melhorou também bastante a qualidade da maioria dos estádios dos 3 principais níveis. Em relação aos estádios, Juventus tem um novo, Roma e Fiorentina já estão em construção, e em relação ao Inter e Milan, o problema é que os clubes se querem separar, mas os adpetos preferem continuar a manter ambos no mesmo estádio. Depois da compra da Roma por americanos e o interesse de um grupo árabe na Lázio, será que finalmente o De Laurentis e o Della Valle vão deixar de brincar e finalmente investirem a sério nos respetivos plantéis, ou vão acabar por deixar de chegar às competições europeias.
  10. Duas situações diferentes, primeiro quando estava nos bombeiros, recolher pedaços de um suicida numa linha de comboio. Actualmente, a ter que ajudar a minha mãe a tratar da minha avó, que praticamente me criou quando era puto, e aogra está com alzheimer bastante avançado.
  11. Boas Blue, qual das táticas é que consideras a melhor? É que sempre fui fã do 4-4-2 puro, já desde o cm0102 que o aplico, sempre com muito ou pouco trabalho, mas como tenho visto excelentes resultados teus com o 3-4-3 não sei se valerá a pena trocar. Estou com o Derby County, e não tenho defesas muito rápidos, daí o meu problema. É que estou a utilizar uma tática feita por mim, e apesar dos bons resultados não consigo que os PL marquem muitos golos, os meus melhores marcadores são os médios-ala e os defesas laterais. Tens os mesmos problemas na tua tática?
  12. Quando fazes a primeira proposta, só aí funciona, escolhes para excluir essa opção das negociações.
  13. Estive a ver e até pode nem pagar tanto, por exemplo de Lyon para Paris pagam só 39 € (A6 completa), por isso o valor até pode nem ser tão alto. Se juntares a multa por não ter pago a autoestrada o valor final poderá ficar nos 60 ou 70 €. Tive o mesmo problema na empresa de camionagem onde trabalhei à alguns anos, em que o aparelho do camião não estava a funcionar e o motorista só se apercebeu quando ia já a sair de França, e nesse caso pagámos cerca de 750 €, o que não foi muito, pois nesse trajecto os camiões pagavam de portagens quase 600 €. O melhor a fazerem, tu e o teu pai, é não ficarem stressados com a situação, como podes verificar pelos posts, daqui a uns meses (geralmente entre 2 e 6 meses) vais receber uma carta em casa com o valor a pagar e problema resolvido. Até lá não precisam de andar preocupados que ninguém o vai prender nem apreender o carro. Se tiver mais dúvidas, basta perguntar a um polícia ou dirigir-se à entidade que gere as autoestradas em França que eles tiram-lhe as dúvidas todas sem problemas e até o ajudam a resolver este problema o mais rapidamente possível, pois como dizes, ele não agiu daquela forma porque quis, reconhece que errou e está a tentar resolver o problema.
  14. Funciona tal e qual como em Portugal, e geralmente vem descrito no papel, que a perda do ticket da autoestrada incorre no pagamento de multa que pode ir até 100x o valor mínimo que pagaria nessa autoestrada, o que geralmente corresponde ao valor de percorrer completamente a autoestrada, mas isto será um caso extremo. Não sei como é o Francês do teu pai, mas as portagens em França (tal como em Portugal) têm intercomunicadores para situações como esta,e nessa situação eles inserem o valor ser pago, já com a multa, no aparelho, ele paga e segue. Também estive a faar desta situação com um primo meu que está emigrado em França e afinal, nestas situações, a única solução é aguardar que eles te enviem o valor a ser pago por carta, mesmo que ele se dirija à entidade responsável pelas portagens em França, a única coisa que lhe vão dizer é que como a viatura tinha matricula portuguesa, eles não vão poder cobrar na hora a multa, pois a viatura não está registada em França.
  15. Ele ainda está em França? Se sim pode voluntariamente dirigir-se à entidade responsável e tentar explicar a situação para ver se consegue obter algum desconto na multa, porque da multa não se livra, então com os franceses não tem a mínima hipótese de discutir, ou paga a bem voluntariamente ou aguarda por receber a carta em casa e paga só nessa altura. "Existem dois tipos de portagens nas auto-estradas francesas. Em algumas paga-se uma taxa fixa, ao passo que noutras o preço depende da distância viajada. Esta segunda opção é a mais comum para grandes distâncias. Pagar as portagens é simples e funciona tal como em Portugal. Tira-se um bilhete à entrada da auto-estrada e paga-se à saida. É importante manter o bilhete num lugar seguro. Se o perder terá de pagar por toda a extensão da auto-estrada, mais taxas extra. Os métodos de pagamento aceites são dinheiro e cartões de crédito (cartões Maestro ou Visa Electron não são aceites)." (http://blog.autoeurope.pt/conduzir-em-franca-informacoes-basicas/)
×
×
  • Criar Novo...