Ir para conteúdo

Poeira

Membro da Comunidade
  • Total de itens

    40.654
  • Registo em

  • Última visita

  • Pontos

    577 [ Doar pontos ]

Informação de perfil

  • Sexo
    Masculino

Últimos Visitantes

7.897 visualizações
  1. 3 porque nem o Tello acreditava na facilidade com que aquilo acontecia, e então ainda falhou mais um par de lances claros. Podia ter sido uma goleada das antigas.
  2. Mundial 2014 é bom, mas o pico foi a Copa America 2015 (e alguns amigáveis antes). Aí sim, foi um nível de rotinas e de espectáculo que nunca vi noutra selecção. Felizmente, o Footballia tem os jogos todos da competição, pelo que já arranjei ocupação para mais umas horas. Btw, subscrevo a opinião sobre o Postocoglou.
  3. Sim, esse jogo com o Chelsea foi tiro ao boneco. Se em vez do Rui estivesse lá outro, tínhamos saído de saco bem cheio. Foi um bom episódio da série "Marco Silva e o descontrolo da profundidade".
  4. Não concordo totalmente. Fomos muito competitivos, o que é bom. Mas sempre existiu um exagero na avaliação a essas exibições. Ficou sempre a pairar a sensação de que fomos até onde essas equipas nos deixaram ir. Juventus, Dortmund, Real Madrid, Barcelona... A única excepção foi o Bernabéu. Aí, com um pouco mais de sorte num par de detalhes, podíamos ter chocado a Europa.
  5. O 11 vai transmitir todos os jogos do Porto nessa caminhada de 2003/04.
  6. Só conseguiríamos fugir a esse negócio se, por algum milagre, estivesse estabelecido no negócio que os 30 jogos são relativos a titularidades do jogador (tem 29, salvo erro), ou se existisse alguma cláusula surreal que salvaguardasse a nulidade da coisa no caso de ocorrência de um evento extraordinário destes, que levasse ao cancelamento da época desportiva . De qualquer outra forma, essa cláusula já é perfeitamente válida. Ele já fez 30 jogos no Championship.
  7. @jmopborba, forte abraço, as melhoras! A evolução do nº de casos em UCI (um dos dados com maior importância, a meu ver) parece-me estar, para já, minimamente controlada, o que é uma boa notícia. Isto dentro da relatividade que é utilizar a expressão "minimamente controlada", no contexto actual.
  8. Selecções? Chile de 2013-2015, com facilidade. Do Sporting, a melhor equipa terá de ter sido a de 2015/2016, o primeiro ano do Jesus. Mas a escolha também não é muita...
  9. Onde é que se encontra isso online e com uma qualidade minimamente decente? Está já no Youtube, mas em condições um pouco arcaicas.
  10. Preferia. Eram uma equipa fantástica, do ponto de vista colectivo.
  11. Das raras épocas em que tinha gosto de ver os jogos do Sporting, desde que nasci. Acho que ainda não disse hoje, mas essa equipa só precisava do Montero a tempo inteiro e de dois laterais minimamente razoáveis. E esse Braga jogava muito, btw. Foi o melhor que me lembro de ver.
  12. Aquela defesa era fraquinha. Daí para a frente cresceram nesse aspecto (menos na lateral-esquerda, que foi sempre o calcanhar de Aquiles). E o meio-campo também melhorou. O Schneider era genial, o Frings do Bremen era um maquinão e o Schweinsteiger também apareceu (a extremo) um pouco mais tarde. Claro. O Schweinsteiger e o Podolski, sobretudo, eram os "poster boys" dessa nova geração.
  13. Foram esses anos, em parte, que fizeram os alemães abrir os olhos e repensar todo o seu futebol a médio/longo-prazo. Esta equipa era péssima, e estava demasiado assentes em meia dúzia de jogadores, alguns dos quais já em final de carreira ou a aproximar-se disso (Kahn, Matthaus, Scholl).
  14. Concordo. E o Rooney tinha mais do que capacidade para partir da ala esquerda, nesta altura.
×
×
  • Criar Novo...