Ir para conteúdo

Modulor

Membro da Comunidade
  • Total de itens

    2.670
  • Registo em

  • Última visita

  • Pontos

    290 [ Doar pontos ]

Sobre Modulor

  • Rank
    Top Class

Informação de perfil

  • Sexo
    Masculino

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Praticamente 2 meses depois...aqui vai :mrgreen: NOTA: vai sair parede de texto, provavelmente. NOTA 2: 15 dias (6+9) entre Istambul e Atenas - incluindo duas ilhas. Istambul Genial. Não podia ter correspondido melhor às expectativas que levava. A melhor descrição que posso fazer é que fui para lá com a lição razoavelmente bem estudada (ao contrário do que costumo fazer mas, para ser honesto, viajar sozinho para a Turquia não me deixou ir 100% relaxado à partida. 85%, talvez lol) e acabei por ser surpreendido sobre tudo e mais alguma coisa. De referir que, como eram as minhas "férias grandes" e Istambul é confortavelmente mais barato que o costume na Europa, apostei por ficar num hotel todo pipi ao invés de me aventurar num hostel ou num airbnb, que sinceramente pouca ou nenhuma confiança me passaram. Acabei por optar pelo Nabu Hotel, no bairro (?) de Karakoy. Muito fixe, nada a apontar, a não ser o facto de não ser propriamente versátil para todo o tipo de viajante. Indo agora à cidade em si. Monstruosa. Em escala, em movimento, em informação, em sensações, tudo. Valente caldeirada em que dá de facto para perceber a geografia a ter efeitos práticos. Istambul está dividida entre Europa e Ásia - a ligação ou é feita de carro ou de ferry - e o lado Europeu ainda é atravessado pelo Bósforo (um estreito que liga o mar Negro ao mar de Mármara), pelo que do ponto de vista de quem anda lá com os coutos, Istambul parece um bolo gigante dividido em 2+1, o que lhe dá uma sensação de escala ainda maior. Grosso modo existem um punhado de distritos que se tornam obrigatórios enquanto visitante: - Karakoy, que foi onde dormi: mais agitado e jovem, com muitos pequenos restaurantes e bares (nota importante: estabelecimentos não-muçulmanos, o que torna a zona propicia para ir beber um copo ou sair, seja para turistas ou para locais). Não perde o charme local, ainda assim, porque está literalmente no meio da cidade, colado à famosa Torre Galata, junto ao "rio" (vou escrever assim para simplificar e porque de facto parece um rio, às tantas) repleto de turcos a pescar, a comer um Balik Ekmek (uma espécie de papo seco torrado com peixe na chapa lá dentro + salada, comem disto às carradas) ou só a estar, que reparei ser algo em que os turcos são exímios e que lhes acaba por dar uma certa piada e uma imagem icónica da cidade - eu literalmente não encontrei uma rua que fosse, à hora que fosse, sem que houvesse lá alguém a estar, só. - Besiktas, que reconhecemos perfeitamente por causa do clube, mas que fica um bocado afastado do centro centro. Pelo menos para mim, que quando vou sozinho ando sempre e só a pé, o que faz esticar a distância para tudo o que ficar a mais de 15min indo de transporte. Anyway, zona muito porreira que está a sofrer uma regeneração enorme, fruto do fenómeno que é a saturação das zonas centrais das cidades. Um pouco mais caro que o resto da generalidade das zonas, precisamente por estar a ficar meio hipster. Vale a pena passar lá uma tarde. - Beyoglu, que na verdade é o distrito que engloba a zona de Karakoy, e cobre toda a zona de interesse na margem Este do lado Europeu. Desde a conhecida Taksim Square, à Torre Galata, Karakoy, Kabatas (área cheia de pequenos artesãos, pequenos cafés, muuuito fixe), a zona pescatória entre as pontes Galata (brutal, btw, tem uma energia muito própria que muda a toda a hora do dia) e Unkapani. - Eminonu, que engole tudo o que é de relevo na margem contrária do lado europeu: as mesquitas mais bonitas (Hagia Sophia ou a Blue Mosque), o Grand Bazar, o bairro lindo e pitoresco de Balat, etc etc. - Kadikoy, por fim, que acaba por ser a zona mais marcante do lado Asiático. O ferry para lá custa uns míseros 3€ - se não me falha a memória e as contas - numa viagem de 15min para cada lado. As diferenças são assinaláveis: é o grande centro universitário, pelo que é muito mais comum ver grupos de malta nova nas ruas e muito mais comum ver estabelecimentos preparados para esse publico alvo. Passei lá duas tardes, mas com muita pena minha - e das minhas pernas - foi a zona que acabei por explorar menos. Com o calor constante foi o sítio ideal para ir bebendo umas cervejas aqui e ali e absorver os movimentos, com perda para o reconhecimento da zona. Não vou gastar parágrafos a falar-vos sobre as "main attractions", primeiro porque haverão 1000 sites melhores para esse efeito e depois porque, na minha opinião, spoila um bocado aquilo que é um dos pontos fortes de Istambul, que é o factor "uau". Como descrevi a uns amigos: não é uma cidade convencionalmente bonita; não é uma cidade convencionalmente atrativa para turismo de lazer ou de festa; mas é uma mistura bonita de muitas coisas peculiares ou inesperadas. Vou deixar só mais algumas notas soltas que podem dar jeito: - Vão comer tudo o que seja ao Durumzade, que filha da p*ta de barraco Fica do lado Europeu, margem Este, e relativamente "à mão" a partir de qualquer ponto dos mais conhecidos. É mesmo imperdível, seja pela qualidade, pelo ambiente ou pelo preço. - Não desaconselho a subida à Torre Galata, até porque nem é particularmente cara (como tudo na cidade, a bem da verdade), mas se eventualmente tiverem de fazer opções...eu não iria. Tem uma vista simpática e desafogada, mas pá, não é perspectiva que não consigam ter de outros "n" sítios em que não tenham de esperar em filas. - Se tiverem para isso façam uma visita guiada à Hagia Sophia. O sítio é mágico, mas saber a história cria outro misticismo à volta daquilo, e muito provavelmente fiquei a saber coisas que não saberia se não o tivesse feito. E coisas importantes para a experiência, sim. Já falo um bocado de cor, mas o bilhete normal é 15€, eu paguei 30€ (mas tive de regatear um bocado) mas ultrapassei toda a fila - que era coisa para me fazer torrar 15min debaixo de sol assassino - e andei sozinho com um turco a explicar-me tudo na boa. Foi cerca de 40min a visita, btw, o que achei ser uma duração ideal. - Não achei a cozinha turca muito diversificada, mas tem muitas iguarias de fácil acesso que valem a pena experimentar, sobretudo nos tasquitos que dá para perceber que são mais "local". Nunca me sentei para comer em sitio nenhum mais turistico e acho que saí claramente a ganhar. - A cidade pareceu-me globalmente muito tranquila e segura. Andei sozinho por todo o lado a várias horas do dia/noite e nunca me senti desconfortável. Há apenas zonas mais fora da bolha em que se nota que são habitadas por malta mais "tradicional", logo, um tipo de calções e mochila às costas dá logo nas vistas por entre um cem número de montra sim-montra sim com livros do corão e coisas que tais. É mais desconfortável, mas acho que o desconforto faz parte da experiência de Istambul. Vou deixar um link com algumas fotos aleatórias da cidade. Acabei por decidir entretanto não deixar neste comentário o passeio na Grécia, fica para depois se não isto torna-se demasiado aborrecido! Caso queiram perguntar algo mais especifico, go ahead. https://imgur.com/a/gB0eojk
  2. Mathieu, Rosier, Wendel e Plata de fora. Rodrigo volta a ser chamado e o Camacho continua.
  3. Mas isso eu não discuto :mrgreen: Só acho demasiado tendencioso dizer-se que o Silas tem uma paixão pelo Eduardo, quando as suas opções não o demonstram. O Sporting tem - na teoria e tendo em conta os que têm jogado - Battaglia, Doumbia, Wendel, Miguel Luis e Eduardo para aquela posição. Ora o primeiro está fora de combate; o segundo é o que tem jogado sempre; o terceiro jogou quase tanto como o Eduardo no período Silas, e pelos vistos não jogou mais porque anda entretido com outras coisas; o Miguel Luis é o Miguel Luis. Perante este cenário, e tendo em conta os minutos que leva em 5 jogos, parece-me que foi só uma maneira de toldar as coisas para conseguir suportar a teoria de o Sporting agora ir buscar reforços ao Belém. Anyway, o Eduardo é demasiado mediano e está a provar que foi mais uma contratação desnecessária. É o que disseram algures aí atrás: se fossem 2/3 Eduardos para fechar plantel era tranquilo...o problema é que são 6/7 e alguns deles já estão nos supostos 11 melhores.
  4. 3 jogos a titular em 5 possíveis, nunca fazendo os 90min. “O amor que ele revela pelo Eduardo”. De facto...
  5. Só regressou hoje da seleção, pode ter a ver com isso.
  6. Eia, cum crl, até me arrepiei obrigado compincha!
  7. Discordo totalmente. Mas pronto, no fundo acabamos na mesma conclusão de que de facto ele pode servir mas não para titular.
  8. Continuo a não estar feliz com a lateral esquerda, mas será bem mais fácil de resolver que a lateral direita na altura. Neste momento a nossa grande lacuna é mesmo a de PL, diria. Ou quem joga nas alas, mas aí parece-me que há/houve mais bandalhice que outra coisa, porque material há. Existe ainda a situação do Renan, que seria para resolver no fim do ano. Até lá dava as taças ao Max e não mexia, o mal está feito e está... A curto prazo os centrais é que precisam de ser revistos de cima a baixo. O Coates é de muito bom nível para o nosso campeonato, mas para mim terminou o ciclo cá na época de saída do Jesus. Devíamos ter aproveitado aí para fazer algum dinheiro e somar sangue novo à tarimba do Mathieu. E hoje o próprio francês já me parece estar definitivamente no último ano. Portanto logo aqui estão os dois titulares. Olhando para o banco e vendo Neto e Ilori...Bora, 3 centrais + Quaresma.
  9. Nem 8 nem 80. O Risto está muito bem no plantel - a não ser que aparecesse uma proposta milagrosa - e muito longe de ser cepo. Mas este desdém não começou com as expulsões. Começou porque o Piccini era isto e aquilo mas saiu e o Risto não conseguiu convencer ninguém de que merecia o lugar. Tanto que fomos buscar o Rosier e ainda se debate sobre a necessidade de mais um, tal a época mediana que o Macedónio fez. Ya, foi uma época caótica e podemos debruçar-nos sobre a questão dos treinadores, mas a verdade é que o Risto teve uma época de bandeja para se afirmar e falhou. Defensivamente foi muito menos eficaz do que o que mostrou com o Jesus (e aqui meto toda a razão para essa diferença, óbvio) e ofensivamente foi pouco mais que o que estamos habituados, o que é pouco.
  10. Que onze manhoso. Muita alteração que ainda obriga a mexer na estrutura da equipa, com tão poucos treinos e no caco que já éramos por defeito...espero que corra bem, para não esvaziarmos já o pouco que enchemos no fim‑de‑semana.
  11. Renan Rosier - Coates - Mathieu- Borja Eduardo - Doumbia Bolasie - Bruno - Vietto Jesé oficial. muita surpresa.
  12. Sim. E o Emanuel Ferro também já estava nos quadros do clube. Era ele que estava a assumir os sub-23 depois da subida do Bridges. Fico com pena pelo Nélson, mas também não sei até que ponto nos conseguia dar muito valor.
  13. Vou mais por aqui. Dá ideia de ele falar de alguém que se quis pôr logo ao fresco e abandonou o barco. A meu ver não diz nada de mal e nada que não seja verdade, mas isto quando é para correr mal vem tudo em pacote. É gajos sem carta, é audios em tom máximo de saturação leakados cá para fora, que crl.
  14. Quem é o miudo de que ele fala?
×
×
  • Criar Novo...