Ir para conteúdo

Flanders

Membro da Comunidade
  • Total de itens

    6.549
  • Registo em

  • Última visita

  • Pontos

    324 [ Doar pontos ]

Sobre Flanders

  • Rank
    O melhor

Informação de perfil

  • Sexo
    Masculino

Últimos Visitantes

1.440 visualizações
  1. Eu sei que o Público é maior mas uma diferença tão grande? 15 vezes mais? Mas até dou de barato. O Observador compara-se ao Eco e ao Sol para receber igual ou menor apoio que estes? A não ser que tenha percebido mal e não sejam estes.
  2. Portanto, é correto o Observador receber 20000€ e o Público receber 300000€?
  3. Em primeiro não sou eleitor do Chega. E se um dia for, até prova em contrário é tão válido como votar noutro partido qualquer. A democracia funciona assim. Em segundo, porque é que não tentas explicar que sentido faz um apoio desta forma à comunicação social? Com muito para uns com pouco para outros (porque é que será), com coincidências já a surgirem em canais que receberam apoios. É que se há coisa que compromete uma democracia é ter a comunicação social comprada.
  4. São os estrondosos 6,8% mas andam todos borrados de medo e tu és um deles. Ainda por cima com a crise que aí vem. Muito gostas de tapar o sol com a peneira. É vergonhoso aceitarem se este tipo de coisas numa democracia. Os media estão a ser comprados pelo governo. Os valores são escolhidos com base em quê? É possível explicar? Para além das coincidências que já começam a surgir. O apoio aos media já era uma vergonha, com a classe jornalistica merdosa que hoje em dia temos já seria de prever isto mas ser feito desta maneira é só deixar tudo ainda mais às claras.
  5. Quando tiver mais tempo vou dedicar um tempo a ler mais sobre isso dos guetos que falaste no primeiro quote. Quanto a isso da prisão, tens o abandono escolar e o casamento com menores em comunidades ciganas. É ilegal e não se passa nada. Ainda não vi um cigano ir preso por tirar os filhos da escola. Eu não concordo com confinamento especial para todos os ciganos. Isso era ter algo contra ciganos. Eu disse que não me choca que as comunidades ciganas em que hajam os problemas (o não quererem fazer testes, os ajuntamentos, as idas em grupo às urgências, o não respeito pela autoridade) sejam alvo de maior aperto no confinamento. Tal como isso pode ser feito noutras situações em que essas regras não sejam cumpridas igualmente por outras comunidades. Uma pergunta: tu achas que as comunidades ciganas não cumprirem a lei é exceção? Ou seja, é um aqui e um acolá? Eu não tenho números mas ouvem se e leem se tantos e tantos relatos sobre isso que não pode ser tudo mentira. Bold: acho. Longe de mim querer tirar a liberdade a alguém que não merece isso. Uma última pergunta, que foi de onde esta conversa toda surgiu: também achas que o Chega é um partido fascista? Ou achas que, com todos os defeitos que possa ter, o termo fascismo e a comparação com o Hitler são exagerados? E já agora agradeço pela tua resposta.
  6. A lei é para cumprir, seja apelativa ou não. Não é admissível algumas coisas que acontecem com os ciganos. E repito, não é com todos. É com muitos. Eu não culpo os ciganos por todos os males do país. Nem os ciganos nem ninguém. São cidadãos como os outros que devem ter os mesmos direitos que todos (e não têm muitas vezes, que já ouvi histórias de como não é fácil para um cigano arranjar trabalho) mas também os mesmos deveres (que também não os cumprem muitas vezes). E há que resolver os problemas tanto num lado como no outro. Não é a fingir que não se passa nada que as coisas vão melhorar.
  7. Enquanto não houver no partido ou em projetos propostas de natureza fascista eu não os considero um partido fascista. O Mário Machado é um idiota e faz o que bem lhe apetecer. Novamente, não é isso que faz do Chega um partido fascista. Não tens televisão? Eu no espaço de 2 semanas assisti a pelo menos 3 situações com comunidades ciganas relacionadas com a covid. Não é persegui-los, é dizer a verdade. E eu não defendo um confinamento especial para os ciganos. Já disse isso. Não ignoro é que há problemas em muitas comunidades e é preciso resolvê-los. Tal como há outras que vivem de forma exemplar e não é preciso fazer nada. Pareço viver muito bem com isso? Eu estou farto de dizer que o Ventura é um populista. Não concordo é que seja um fascista nem ele nem o partido Chega. Isso és tu a veres o que te apetece ver. Achas mesmo que o que o Ventura quer é uma ditadura à Salazar?
  8. Obrigado. Vai fumar um então, não te quero estar a roubar tempo.
  9. 1) As pessoas têm de saber filtar o que ele diz. Eu sei muito bem ver que o Ventura pega num assunto de m*rda e faz daquilo uma peixeirada para ter visibilidade. Cai na esparrela quem quer. Acho que fazia falta alguém no parlamento que tocasse em muitos assuntos que todos tinham medo de tocar e de uma forma que poucos se prestam a fazer. O Chega acaba quando os políticos se começarem a preocupar em resolver muitos dos problemas que são a bandeira do partido. A corrupção, os compadrios, os milhões injetados nos bancos, a impunidade de algumas pessoas, algumas leis muito mal feitas (Armando Vara a receber pensão vitalícia). É aqui que eu acho que o Ventura pode ser útil. Não é a mandar no país porque se lá chegar vai se revelar igual aos outros. Fala-se muitas vezes de qual é a melhor maneira de combater o populismo do Chega e impedi-los de crescer. A única maneira é: ou sai uma bomba sobre corrupção ou parecido do lado deles ou começar a resolver muitos dos problemas que ele aponta. Enquanto os problemas lá estiverem todos vão continuar a crescer. 2) Como já disse ainda não há projeto. Tu achas que ele se referiu aos ciganos porque é racista e não suporta ciganos. Eu acho que ele se referiu aos ciganos porque salvo erro essa proposta dele vem na sequência de uma série de problemas com comunidades ciganas relativamente ao coronavirus e viu ali uma oportunidade de ganhar uns dias de protagonismo. Populismo ao mais alto nível. Se é errado fazer isso? É. Eu acho que o Chega não vai chegar ao cúmulo de apresentar um projeto de confinamento para todo e qualquer cigano. Viva ele numa comunidade que não cumpre regras ou seja ele um cidadão cumpridor como outro qualquer. Confinamento especial só porque é cigano. Não aceitaria isso. Contudo se o fizer para comunidades onde as regras não estão a ser cumpridas não vejo mal nisso. É pior fazer de conta que não se passa nada. 3) Estares a comparar o Ventura com o Hitler por si só não faz sentido. O Hitler foi só a pior pessoa que alguma vez existiu. Eu se alguma vez votar no Chega não será por achar que ele só quer o melhor para Portugal, que tem o melhor programa político e que é incorruptível. Será por não ver governo nem nenhum outro partido a resolver muitos dos problemas que ele aponta. E palpita-me que isso, a acontecer alguma vez, vai ser só quando virem o Chega a ser 2ª força política.
  10. Se o Chega apresentar um projeto sobre isso e disser que todo e qualquer cigano vai ter um confinamento especial, viva ele em comunidades com problemas ou não e o único critério para esse confinamento seja ser cigano então vou ser o primeiro a vir cá dizer que é uma proposta racista. Disse com certeza porque é o que acho. Se achas que estou a ser anjinho, olha, talvez esteja. Claro que a malta branca também assalta. Gunas, betos, seja o que for. Nunca disse o contrário nem tenho nada contra ciganos. Convivi na universidade com todo o tipo de pessoas, dos 4 cantos do mundo, e só tenho a dizer bem disso. Só não gosto de quem não cumpre a lei e não se passa nada. E os ciganos, só por terem uma cultura tão diferente da nossa, não têm de ter regras e leis diferentes das nossas. Têm de se adaptar a elas. E a verdade é que há muitos que não o fizeram nem estão interessados em fazê-los. É com esses que há o problema, não é com os que vieram para cá e vivem como portugueses com as mesmas leis que todos. O Ventura disse isso, salvo erro porque não vi muito bem essa história, porque o Quaresma disse "Chega do Chega" ou "Chega do Ventura" ou lá o que foi. Tem todo o direito à opinião dele mas fica mal a um jogador da seleção vir rejeitar daquela forma um partido que representa milhares de pessoas.
  11. É a mesma coisa que eu dizer que o BE é um partido de drogados por ter no partido quem passe a vida a fumar droga. Generalizar no caso de ciganos achas mal (e bem) mas generalizas no caso do Chega. Nem era em primeiro nem é agora. O que pauta um partido são as propostas e os programas políticos. E o que o escreveram aí foram nem duas mãos cheias de pessoas. Quando começar a ver o Chega com tiques e propostas de ditadura, com xenofobia e tratamento contra uma raça só porque sim então dou-te a razão. O que o Chega propôs não foi confinamento para ciganos só porque são ciganos. Foi na sequência de vários problemas com algumas comunidades deles. E mais, aposto que ele nem sequer vai apresentar projeto nenhum. Foi só para ter tempo de antena. O tal populismo que já falei aqui. E pedir outro regime ou a quarta república é o quê? Estás a assumir que é o regresso à ditadura?
  12. O Chega até hoje não teve uma única proposta de natureza fascista. No dia em que tiver sou o primeiro a vir cá dizê-lo. Enquanto não o fizer, apelida-los de fascistas é errado.
  13. Abriu os olhos em quê? Eu não votei Chega nem tão pouco sou seguidor do partido. Não alinho é nessas conversas que dão jeito a alguns. Se tiver de votar Chega voto como votarei noutro partido qualquer sem que as acusações que façam me influenciem.
  14. Não. Acho uma declaração populista. O populismo é isso, poder dizer de uma forma mas dizer de outra para chamar a atenção. Que me digas que isso é errado, tudo bem. Isso todos temos. A diferença é que eu não vejo o Chega como alguém que põe em causa a democracia. Eu não defendo fascistas. Pergunta-me o que acho do Mussolini, Hitler, Salazar e afins e eu digo-te. O errado está em achares o André Ventura um fascista. É um populista, e dos bons porque sabe como comunicar.
  15. Não disse que vivo perto de comunidades ciganos nem que não vivo. Se há coisa que não falta são relatos de pessoas com problemas com eles. Se queres ignorar e achar que é só uma exceção aqui e ali estás no teu direito. Tal como eu estou no direito de achar que não é só uma exceção aqui e ali.
×
×
  • Criar Novo...