Ir para conteúdo

w0

Membro da Comunidade
  • Total de itens

    11.308
  • Registo em

  • Última visita

  • Pontos

    233 [ Doar pontos ]

Sobre w0

Informação de perfil

  • Sexo
    Masculino

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está a ser visualizado por outros utilizadores.

  1. Concordo com o bold. Ha muita gente que vai acordar para Jesus. O PR acaba de dizer que o Estado de Emergência continua, por ele, até Maio. Portanto não sei bem o que esses Airbnbs têm em mente, vão ter de se inteirar e mudar de estratégia. A opção de não compra é puramente por filosofia de vida. Ambos aqui em casa já vivemos no estrangeiro (temporadas de 1 ano no máximo - Bruxelas, NYC e Londres) e queremos ter a independência de, amanhã, dizer Fuck it, vamos viver para Medellin, ou algo menos exótico tipo Paris. Nao me apetece estar amarrado a uma casa e se quiser fazer isso ter de vender (arranjar quem compre) ou arrendar (e ter o trabalho ou pagar a alguém para ter). Eu sou o gajo que deixou de ter carro e de viver de ubers e carsharing. Não tenho muito aquele sentimento de proprietário. Não vou levar os carros ou a casa para o outro mundo. E quando tiver filhos ajudá-los-ei mas nunca lhes vou dar nada de mão beijada. Para além de quem o património sempre é foco de discussão pós morte . Muito sinceramente nos temos plano de comprar casa a partir dos 40, idade onde achamos que vamos assentar de forma diferente: uma base que nos serve de hub para ir e vir pelo mundo. Edit: ficou um pouco mais filosófico haha. Mas pronto, não é um argumento financeiro e na volta até poderia compensar um pouco mais comprar. Mas sou sincero, gosto de ir mudando de casa. Fiz 6 anos e poucos nesta, e por mim tinha feito 4, mas já apanhei o mercado muito em cima na altura.
  2. Eu comecei a fazer o mesmo há mais ou menos 10 dias, já troquei umas duas dezenas de emails, já vi 5 casas e tudo indica que poderão aceitar uma proposta que fiz onde baixaram 30% do valor pedido. Noto as seguintes tendências: - O tipo que tinha uns Airbnbs está a tentar colocar as casas agora 2-3 meses e a rezar a todos os santinhos que isto mude tudo e que haja turismo daqui a esse tempo. Parece-me que vive iludido, pois ninguém vai arrendar por 2-3 meses, nem o turismo vai retomar nesse espaço temporal. - O outro tipo que tinha Airbnbs, menos sonhador, percebeu que isto precisa de, pelo menos, 1 ano para ir ao sítio (ao nível de turismo). Então está a precaver-se e a colocar ofertas de apartamentos em óptimo estado, equipados, mobilados (naquele estilo impessoal de Airbnb) e em localizações prime. Está a pedir uma renda historicamente 20% inferior ao que outros apartamentos naquela zona pedem. Vejo que daqui poderá surgir algum peso nos arrendamentos “normais”, com a descida do preço desses (na lógica inversa ao que aconteceu quanto os imóveis saiam de arrendamento clássico pars se transformarem em alojamentos locais, o que fez com que os preços disparassem). Aqui a esperança do arrendatário será a do turismo não retomar daqui a 1 ano e conseguir renovar daqui a 1 ano. Para mim não serviria, não obstante alguns casarões que vi, porque implica a viver a prazo e numa casa que não é a meu gosto. - Depois tens a malta que tinha dinheiro e que investiu numa casa para não ter o dinheiro parado no banco. Estes são os que baixaram os preços já em 20% a 30%, que querem fazer contratos de 3 anos, onde no ano 1 fazem esse “desconto”, no ano 3 sobrem ligeiramente e o ano 3 será ao preço atual de mercado (antes do Covid). Nao acho que um T2 que estava listado a 1500€ baixe mais do que 30% no primeiro ano, aliás muitos já estão a baixar 20%. Não me parece uma má estratégia, e julgo que estes serão atrativos para pessoas que tenham agora dinheiro para gastarem mais do que atualmente gastam. O meu negócio enquadra-se aqui, sendo que eu fiz uma proposta de nunca voltar ao valor atual e ficar num intermédio entre o valor mais baixo do ano 1 e o valor médio entre esse e o valor atual (pre covid da casa) nos anos 2 e 3. Mas foi um achado, porque são pessoas que apena querem, nesta fase, ter alguém com referências e conseguir pagar o empréstimo ao banco. - Não esquecer que, apesar do número de Airbnbs que entram, nem todos vão competir com o arrendamento clássico a 3 anos. E não esquecer, também, que há muitos Arrendamentos in place, portanto o que os arrendatários vao fazer aí é negociar os seus preços atuais. Ou seja, não vamos ter uma avalanche de não-Airbnbs a entrarem. vai ser o mercado normal de contratos acabarem e os apartamentos entrarem ou não no ciclo normal. Eu no lugar dos proprietários, se o meu arrendatário fosse certinho e não desse chatices preferia renovar por menos do que ir para o mercado por um valor inferior ao atual mas sem saber quem vem la. Portanto, quem esteja a arrendar e não tencione mudar, tentem ver abertura de o vosso senhorio ajustar a renda a esta nova realidade durante os próximos 6-12 meses. - Vamos ter, eventualmente, uma mini avalanche de casas que estavam à venda, mas face as quebras que esse mercado terá (aí sim, muito maiores), vão passar a arrendamento para fazer face a este momento mais baixo do mercado de compra e venda. Ninguém vai querer vender em loss (até que não consiga pagar ao banco, aí vende ao que der), portanto vão preferir colocar as casas em arrendamento para segurarem o investimento, cobrindo os custos do empréstimo com a renda a cobrar via arrendamento. Em suma. Já andam aí óptimas oportunidades. Mas isto é como a bitcoin. Daqui a 6 meses ou 1 ano podemos pensar “se tivesse esperado tinha poupado mais 50 ou 100 euros mês” ou então “ainda bem que avancei porque não desceu mais”. É impossível prever o lowest point, nem o Ticampos consegue. O que eu fiz foi justificar, para mim, o negócio. Aquele valor que, numa situação normal, em 10 vezes eu faria o negócio. Depois se porventura o vizinho do lado conseguir igual por menos 100€ eu não me vou martirizar, porque a proposta que fiz faria sentido para mim. Ou seja, adivinhar é impossível, avancem se sentirem confortáveis porque andam aí boas oportunidades.
  3. Boas notícias. Espero que as pessoas continuem a cumprir todas as recomendações e não “relaxem” por parecer que estamos a caminhar para uma fase de abrandamento dos números.
  4. Fizeram alguma declaração? Não consegui acompanhar hoje.
  5. w0

    Empreendedorismo

    Obrigado, enviei MP.
  6. w0

    Empreendedorismo

    Alguém que trabalhe em fábricas (independentemente do setor) importa-se de me enviar uma MP? Tenho aqui um conjunto de questões que gostaria de tentar ver esclarecidas. Thanks!
  7. Não achas que depois de quase 15 dias já não tenhamos passado essa fase gradual? Estas operações são semelhantes a outras já realizadas na semana passada em Cascais ou no Norte. Porém nada parece ter mudado.
  8. É uma questão de as pessoas terem ou não cultura de teletrabalho. O que tenho notado nos meus, que já tinham esse hábito, é que estão todos a aproveitar para trabalhar mais e despachar mais coisas. Vejo muita gente a trabalhar aos sábados e domingos porque, presumivelmente, o tempo passa mais rápido e não há muito mais para fazer. Mas deixo claro nas calls diárias que devem respeitar ao máximo o “horário de trabalho” (que não temos fixo para além do período onde tínhamos de estar todos no escritório entre as 10 e as 16), para que não aconteçam situações como a que tu relatas de receberes chamadas fora do horário normalize trabalho. Mas noto um aumento substancial nas horas trabalhadas.
  9. É certo que ninguém está habituado a isto. Porém, também é certo que já tivemos tempo suficiente para perceber que o isolamento social implica, entre outros, deixarmos de ir para a praia só porque está um dia agradável. As autoridades já tentaram a via do diálogo. Todos os dias somos bombardeado a com informação oficial relativamente aos do’a and don’ts. Ainda assim, chegam os raios de sol e vai tudo para as marginais, esplanadas e praias. Se as pessoas não entendem, e já tiveram tempo para, só resta fazê-las entender de outra forma. E, uma vez mais, tem de haver tolerância zero. Talvez assim as pessoas entendam que isto é um caso sério. Estas filas são a demonstração cabal da falta de respeito para com o esforço de todos. No final do dia, cada um continua apenas preocupado com a sua felicidade e bem-estar. Eu também preferia não estar isolado há 17 dias. Também curtia estar a apanhar banhos de sol, ir para as esplanadas e beber copos com os meus amigos. Quem não? Mas se todos pensarmos assim não ha forma de parar isto. Mas depois devem ser os mesmos que vão para as janelas bater palmas. Falta de respeito. Precisam todos de apanhar um valente susto que podia vir em forma de um jail time de um mês ou dois, ou de uma multa que os deixasse a pensar várias vezes.
  10. Não gosto do Rui Rio, mas tem estado muito bem. Um general numa guerra que tem de ser travada por todos. E o Costa teve os tomates no sítio para expor o ridículo do Ministro Holandês. E não só o fez como reiterou. Chapeau! Por último, não sendo católico, o Papa Francisco tem sido, maioritariamente, um grande líder religioso. Como todos tem as suas ‘falhas’, mas é um grande homem. Já agora. Alguém sabe da Ana Mendes Godinho? Está em lay off? Isolou-se do trabalho dela? É que o Siza é que tem vindo a dar a cara. Ela falou naquela conferência conjunta e depois nunca mais ninguém lhe meteu a vista em cima. Edit: que raio. Tipos de letra diferentes
  11. w0

    Dinheiro

    Tópico errado
  12. Concordo que tenham de ser tomadas medidas para preservar o emprego. Isto até Maio vai ser mesmo muito difícil. Agora temos é de pensar como vamos operar a retoma económica. A lógica do Governo é simples: assegurar que as empresas não vão ao charco, garantir que desemprego não sobe de forma absurda, manter as famílias capazes de retomarem a sua vida económica no final da “crise” e esperar que em Junho possamos retomar uma atividade económica “normal”. A mim parece-me que a estratégia passa mesmo por chutar para o segundo semestre. E tudo vai jogar-se aí. Agora o que me está a deixar preocupado é a real capacidade que termos (Estado) para aguentar esta travessia do deserto. Que medidas não ter de ser tomadas mais a frente? Outra m*rda absurda é os bancos irem buscar cash ao BCE e mamarem taxas de juro demasiado elevadas face ao cenário atual. Depois de não terem sido deixados cair, pedia-se que o governo metesse o pé e tivesse estipulado uma taxa de juro máxima inferior a atual. A outra preocupação que tenho vai ser o pós-crise. Podemos assistir a um consumo desenfreado e sem nexo. Ou seja, podemos voltar a ver alguns maus hábitos do tugao pre 2008. Ha aqui um conjunto de medidas extremas, mas importantes, onde o governo está a dar balões de oxigénio. Havemos de saber o custo real que terá e, acima de tudo, se temos capacidade para aguentar o embate económico que isto terá no futuro.
  13. w0

    Empreendedorismo

    No meu caso nos utilizamos a API do easypay que nos permite ter Ref MB e MBway. Quando o pagamento é efetuado com sucesso recebemos um email com essa confirmação.
  14. Percebo o que estás a dizer e concordo. Mas onde quero chegar é que o Bolsomito é mesmo limitado intelectualmente. Os outros dois são “burros” no sentido de “idiotas”. Ia jurar que tinham tido 7 funcionários infetados em 8 testados. Certo. Eu fiz uma estimativa mesmo conservadora e se tiveres 25 pessoas (idosos e funcionários) por lar, são mais de 60 000 pessoas, população de risco. Portanto preocupante. vi agora que em Espanha utilizaram o Centro de Congressos de Madrid para criar hospitais de campanha. Se necessário for há espaços idênticos em Portugal, é utilizar. Em Londres fizeram o mesmo - 4.000 camas no centro de congressos de Londres.
×
×
  • Criar Novo...