Ir para conteúdo

Snytram97

Membro da Comunidade
  • Total de itens

    507
  • Registo em

  • Última visita

  • Pontos

    243 [ Doar pontos ]

Últimos Visitantes

603 visualizações
  1. Início da terceira época da minha (ainda) curta carreira de treinador no futebol sénior, mais uma vez ao serviço d"Os Armacenenses". Os objetivos estavam definidos: mantermo-nos na segunda liga, tentando pelo menos repetir o feito da época passada de terminar na 1ª metade da tabela; atingir a 4ª eliminatória da taça de Portugal (ainda nunca fui além da terceira) e tentar ir o mais longe possível na taça da liga. Os sites de apostas e jornais desportivos voltam a dizer que partimos na pole position para a despromoção, mas não acredito que isso vá acontecer. Estoril e Paços conseguiram manter quase a totalidade do plantel da época passada e voltam a assumir o ataque à subida de divisão. Começando pelas saídas, optei por não renovar com 4 jogadores: Carlos Bastos, jovem GR contratado para ser a terceira opção, sai após uma época sem qualquer jogo realizado pela equipa de seniores; Rui Dabó, que tinha sido emprestado ao Leixões, pouco ou nada jogou, e parece que já não vai atingir o potencial esperado; Elvis e André Azevedo, DE e Extremo respetivamente, saem em busca de um clube onde possam ter mais minutos. André Oliveira, Turnbull e Mandei somam mais um empréstimo: o potencial está lá, mas ainda não estão prontos para jogar a este nível. Pronto está André Simões, mas acabei por emprestá-lo também, pois teria pouco espaço para ser titular regularmente. Bruno Torres e Camará, dois jogadores que se mantinham desde o dia em que cheguei a este clube, foram à sua vida. Fundamentais noutros tempos, cada vez somavam menos minutos, e eram curtos para o nível que queremos atingir. Diogo Martins pediu para sair, para ter mais minutos e fiz lhe a vontade. Emprestei também mais uns miúdos da formação. No que diz respeito ao plantel principal, 7 saídas levaram a 7 entradas. Ainda durante a segunda metade da época passada fechámos a maior parte destas contratações. André Velez é um talentoso médio ofensivo de 20 anos, que vem à procura de espaço que não tinha no Estoril. Miguel Lázaro e Jaquité são dois jogadores que vêm aumentar a qualidade do plantel e vieram do nosso parceiro Tondela. O GR vai discutir o lugar com Bruno Pinto, Jaquité vem tapar alguma falta de opções para o meio campo que se sentiu na época passada. Do Brasil chegam dois jovens, Sabino, Defesa Central que vem substituir Akho, e Luan, maior investimento do clube, um avançado rápiddo que promete acabar com a crise de golos que assolou a época passada. Rúben Nunes chegou depois do empréstimo de Igor, e deve ser a 3ª ou a 4ª opção. Jair Tavares chegou no último dia de mercado para alargar o leque de opções nas alas, e vem acrescentar muita qualidade. Jordan Aina foi oferecido pelo empresário e foi uma boa oportunidade de negócio, mas vai começar na equipa de juniores. Na baliza Bruno Pinto parte em vantagem, com Lázaro como segunda opção. Bruno Costa assumiu a função de preparador dos sub-19, e mantém-se como 3ª GR, pelo seu passado no clube. Na defesa, à direita o titular deve ser Mailton, à esquerda Ceka, Miguel Silva e Zinho são as alternativas. No centro, a dupla inicial vai ser Sabino e Casimiro, com Nunes e Cunha à espreita de uma oportunidade. No meio campo, tenho 7 opções de qualidade para 3 lugares: Murilo Augusto, Jaquité, Antonio Diaz, Babacar Fati, Tiago Esgaio, Marcelo Castro e André Velez. A grande promessa da formação é também um médio defensivo, e deve ter alguns minutos. Para já, Murilo Augusto, Castro e Esgaio partem com vantagem. Para as alas tenho Márcio Meira, Ismael, Mésaque Dju e Jair Tavares, 4 boas opções, e a titularidade vai alternar muitas vezes. No eixo do ataque, vou atacar a época com Luan, Betinho, que fez uma grande época no ano passado, e Anderson, herói da subida à dois anos, e que confere mais experiência à equipa. Nestes 25 jogadores restam 4 do plantel que encontrei quando cheguei ao clube. Estou muito contente com o plantel que formei. Tenho mais e melhores opções do que na época passada. Esperemos que isso se reflita na classificação final. Obrigado por acompanharem! Sim, é verdade, o final foi um desastre. Acredito que com as melhorias no plantel e algumas alterações táticas esta época seja melhor. Obrigado!
  2. Atualização de final de época. Chegámos à reta final da época com o principal objetivo praticamente assegurado, e uma réstia de esperança de surpreender na luta pela subida. Nos meses de Março, Abril e Maio tivemos 10 jogos. Começámos com uma ida a Coimbra, que era um jogo fulcral para as nossas aspirações: podíamos ultrapassar um dos candidatos assumidos à subida, e subir mais uns degraus na tabela, fazendo pressão ao Moreirense. Infelizmente perdemos, de forma merecida, por 2-0. Seguia-se uma receção ao Mafra, que era o lanterna-vermelha, cada vez mais aflito, e parecia o jogo ideal para voltar às boas exibições. Engano meu, o Mafra deu muita luta e acabou por vencer num festival de golos. Curiosamente, acabaram por se conseguir manter na segunda liga. Depois desse jogo. a equipa ficou sem um objetivo claro: a sonho da subida era impossível, a manutenção só fugiria com um descalabro, e isso acabou por reflectir-se nos resultados. 4 jogos em casa, 4 jogos fora; 2 vitórias, 2 empates e 4 derrotas. Não há muito a dizer, o final de época não me deixou muito agradado e terei de rever algumas opções na próxima época. Acabámos por conseguir ficar na primeira metade da tabela, o que foi fantástico depois do terrível arranque. Contudo continua ainda a existir um grande fosso entre a qualidade individual da nossa equipa e de quase todas as equipas da metade superior da tabela, não nos podemos esquecer que antes da época começar fomos apontados ao último lugar, e acabámos por fazer uma surpresa. Acabamos a época numa série de mais resultados, mas com um consistente 9º lugar, 14 pontos acima da linha de água. O Benfica B sagrou-se campeão pela primeira vez, e regressam à primeira liga o Nacional e o Moreirense, duas equipas despromovidas na época passada. A outra equipa despromovida da 1ª liga na época passada, o Santa Clara, soma a segunda descida consecutiva surpreendentemente, acompanhados pelo Varzim. Em sentido contrário, na próxima época vamos ter Gil Vicente e Desportivo das Aves (despromovidos da 1ªLiga) e Vizela e Braga B (promovidos do CNS), de regresso à 2ª Liga. 11 da época eleito pelos adeptos. Concordo com quase tudo, mas penso que no lugar de Ismael, que apenas chegou na segunda metade da época, devia estar Márcio Meira, que voltou a ser fundamental, ou Mees de Wit. Mésaque Djú foi claramente o destaque da época. Menções honrosas ao DD Mailton, ao duo do meio campo Marcelo Castro e Murilo Augusto e ao GR Bruno Pinto. Do ponto de vista coletivo acredito que apresentámos um bom futebol. Fomos a 3ª equipa com mais remates enquadrados, a equipa com mais desarmes ganhos, passes com sucesso e melhor média de posse de bola. No geral estou bastante satisfeito, claro que há muitos ajustes a fazer, mas na próxima época vou continuar em armação de pêra, e o objetivo é tentar melhorar o que já foi atingido. Obrigado por acompanharem!
  3. tks, tem sido titular nos últimos jogos tks, sim os 35 pontos à partida vão ser suficientes, mas o objetivo é tirar o máximo de pontos dos próximos dez jogos Obrigado! Obrigado! Sim é verdade, estou já a construir a base para a próxima época também Obrigado! Sim com um pouco de sorte é possível, mas vai ser muito difícil, os próximos jogos são fundamentais
  4. Regresso da paragem de inverno com deslocação ao terreno do Leixões. Queríamos começar bem a segunda volta, e apesar de termos sido superiores não fomos além de um empate. Seguia-se a recepção ao Estoril, e a equipa queria vingar-se da derrota pesada da primeira volta. Excelente jogo, e excelente vitória por 4-0. Na jornada seguinte, novamente em casa, o impensável aconteceu: a equipa apanhou-se a perder aos 2' depois de um autogolo de Zinho; ficámos nervosos e a construção foi sempre pouco lúcida, ao intervalo já perdíamos por 2-0; no início da segunda parte a equipa esboçou uma reação, mas as esperanças esfumaram-se depois de ficarmos a jogar por 10, e o Porto B fazer o 0-3 através de um penalty. No mês de Fevereiro a equipa baixou o seu rendimento: jogámos frente ao Benfica B e Nacional, lideres da tabela, fomos aos Açores e recebemos o Varzim. 4 jogos, 3 empates, 1 vitória; 1 GM, 0 GS. Faltam 10 jogos para acabar a época, estamos a 6 pontos da zona de subida, e 14 acima da zona de despromoção. À partida estes 35 pontos serão suficientes para atingir a manutenção, o principal objetivo da época. Vamos tentar fazer o máximo de pontos nos próximos jogos, e ver até onde conseguimos ir. A equipa melhorou muito defensivamente, tirando aquele jogo atípico com o Porto, mas ofensivamente voltou a afrouxar: parece que o efeito Betinho já passou, depois de uma início fulgurante. A baixa eficácia dos PL uma situação a rever na próxima época. Pelo meio tivemos mercado de Inverno, onde chegaram dois jogadores. No início da época idealizei um 4-2-3-1, que rapidamente passou a 4-3-3. Assim, a quantidade de opções para as 3 posições do miolo não era assim tão satisfatória, e com a lesão de Fati, acabaram por jogar (quase) sempre Murilo Augusto, Castro e Antonio Diaz. Nesse sentido contratei Tiago Esgaio ao Belenenses, um jogador que estava na lista de transferências e que pode facilmente ser titular por cá. A segunda contratação foi Ismael. Jovem de 20 anos, foi descoberto pela equipa de observação e estava sem colocação. Tem um potencial enorme, bons atributos técnicos e é um extremo rápido. Esta contratação foi feita também já a pensar na próxima época, uma vez que Mees de Wit muito provavelmente vai regressar ao Sporting. Obrigado a todos os que acompanham, vou tentar ser cada vez mais regular nas atualizações!
  5. Pelos vistos o Svilar, com bastantes minutos na equipa B de forma consistente, tem vindo a evoluir a evoluir a olhos vistos e a somar boas exibições
  6. No final do mês de Novembro voltou a haver pausa para compromissos internacionais. Resolvi voltar a marcar dois amigáveis, por vários motivos: em primeiro lugar, manter o ritmo da equipa, aumentar a coesão e habituação à nova tática, e aproveitar para embalar na onda positiva gerada com os resultados mais animadores da ultima semana e gerar mais confiança; em segundo lugar, tinha a situação da falta de golos por resolver. A verdade é que a equipa tem tido sempre mais bola, e muitas vezes faz mais remates que o adversário, pelo que o problema passa principalmente pela eficácia. Tentei trazer um preparador para melhorar a qualidade do treino na finalização, mas o que conseguíamos trazer, tendo em conta o disponível no mercado e as nossas condições financeiras, pouco ia acrescentar. Assim, resolvi trazer dois PLs, recomendados pela equipa de observação, que se encontravam sem clube. Vieram os dois à experiência e nestes dois jogos tinham a possibilidade de mostrar serviço e assinar um contrato a longo termo. Betinho acabou por me convencer e vai ser um importante reforço. Em sentido contrário, o Gil Eanes ruma ao Olhanense, estava insatisfeito e eu também já não estava muito satisfeito com ele E por falar em Olhanense... Escusado será dizer que recusei. Apesar de ser um clube com mais história, e melhor estrutura, sinto que seria um passo atrás voltar ao Campeonato de Portugal nesta fase. A história veio a público e ganhei mais uns pontos de popularidade junto dos adeptos e da direção. Passando ao que interessa, o mês de Dezembro foi muito positivo. Depois dos dois amigáveis para a finar alguns aspetos de que já falei, começámos por ir empatar à mata real, excelente resultado frente a uma das equipas mais fortes desta liga, e depois de termos estado a perder 2-0. Betinho estreou-se logo a marcar. Seguiram-se três vitórias, em casa frente ao Gondomar, em Penafiel, e em casa frente a um Moreirense muito forte. Três exibições muito convincentes. Por fim, no jogo teoricamente mais fácil desta série, acabámos por não ir além de um empate sofrido frente ao Académico de Viseu. Diria que tendo em conta as expectativas da época e o arranque, estamos a atravessar uma fase muito boa. Somamos neste momento 11 jogos sem perder, e terminamos a primeira volta numa posição confortável. Para além disso nestes 5 jogos somámos 8 golos marcados, quase tantos como os 9 que tínhamos marcado nos outros 12. Altura de paragem para a época festiva, e o mercado volta a abrir para fazer alguns ajustes. Obrigado a todos por acompanharem!
  7. é verdade... sendo isto FM claro que o meu objetivo é a subida em duas ou três épocas, mas para já vai ser impossível, o fosso ainda é grande
  8. Depois do péssimo arranque, chegou uma paragem para seleções que nos abria uma janela para trabalhar e reflectir. Marquei dois jogos amigáveis para aumentar a coesão entre a equipa, e explorar novas soluções. A equipa respondeu bem, com duas boas exibições, e foi muito bom para aumentar a confiança. No regresso aos jogos oficiais, recebemos o Nacional, candidato inevitável à subida. Num jogo bastante equilibrado chegámos à vantagem na segunda parte, com um golo de Mesaque Dju, mas a equipa acabou por quebrar e sofrer dois golos nos últimos 30 minutos. Mais uma derrota, mais uma desilusão. Cheguei à conclusão de que tinha de alterar alguma coisa no modo de jogar da equipa: o 4231 que assumimos na época passada funcionou muito bem no CPP, mas na segunda liga, em que a maior parte das equipas são melhores do que nós, individualmente, deixa-nos demasiados expostos. Assim, na jornada seguinte, apostei num 433 na deslocação à Póvoa de Varzim. Com um meio campo mais robusto, a equipa deu uma boa resposta, com dois golos de Mésaque Dju. O Varzim reduziu por penalty ao cair do pano. Primeira vitória na segunda liga, muito saborosa. Seguiram-se dois jogos mornos: a alteração tática tornou a equipa mais coesa defensivamente, e as nossas redes mais dificeís de alcançar mas, por outro lado, o ataque já viveu melhores dias. Anderson e Gil Eanes não estão a conseguir fazer a diferença como no ano passado. Dois empates a 0, dois pontos somados. Seguiu-se mais um jogo sem sofrer golos, com uma vitória em casa frente ao Cova da Piedade, um empate em Oliveira de Azeméis num jogo em que fomos superiores, e uma vitória caseira convincente frente ao Famalicão. Pelo meio tivemos a nossa curta participação na Taça de Portugal. Optei por dar minutos aos menos utilizados, o que correu bem frente ao Sintrense, num jogo que vencemos por 2-0. Na terceira eliminatória encontrámos o Loures, e fizemos um jogo sofrível. Acabámos eliminados, justamente. Ainda assim cumprimos os serviços mínimos e atingimos a 3ª eliminatória, objetivo estabelecido pela direção. Ainda assim, soube a pouco. Olhando `para a classificação, a situação é bem mais animadora, mas a equipa tem que melhorar muito o fio de jogo se queremos ter uma época tranquila. Somámos 12 pontos nesta sequência de jogos, o que foi positivo, mas os apenas 9 golos marcados são um indicador preocupante. Muito obrigado por acompanharem!
  9. A pré-época foi algo atribulada, uma vez que a maior parte dos jogos foram organizados não com o intuito de preparar a época da melhor maneira, mas sim com o objetivo de amealhar mais algum dinheiro para a sustentabilidade do clube. Assim, tal como na época passado, enfrentámos equipas da primeira divisão francesa de passagem pelo Algarve. A prestação foi satisfatória, demos luta ao Guingamp e surpreendentemente, batemos o Marselha. Noutro jogo em que claramente partíamos como underdogs, encaixámos uma derrota esperada frente ao Basileia. Os restantes 5 jogos foram frente a equipas nacionais: o Tondela, clube de 1ª liga com o qual celebrámos um protocolo; o Mafra, equipa da nossa divisão; Almancilense, Ferreiras e Lusitano VRSA, três equipas do distrital, aqui da região. A equipa cumpriu com o esperado, perdendo com o Tondela, empatando num jogo em que fomos superiores com o Mafra, e vencendo as equipas das divisões secundárias. Estes 3 últimos jogos foram importantes para aumentar a coesão da equipa e dar-lhe alguma confiança. Pelo meio da pré-época meteram-se as eliminatórias de acesso à taça da liga. A primeira participação do clube na competição não foi muito longa, mas acaba por ser positiva. No primeiro jogo oficial da época, enfrentámos o adversário do último jogo da época passada, e nosso companheiro de subida, Gondomar. Num jogo em nossa casa, ficámos em vantagem ainda na primeira parte, graças a um golo de Andersson. O equilíbrio foi notório, mas tivemos sempre mais oportunidades de golo. Contudo, já em tempo de compensação, balde de água fria, e o Gondomar leva a decisão para os penaltis. Felizmente levámos a melhor. Na segunda fase, calhou-nos em sorte o Belenenses, equipa de um patamar superior. Começámos bem, em vantagem, e o jogo foi equilibrado em termos de oportunidades de golo, mas a qualidade individual do Belenenses sobrepôs-se, e fomos eliminados com uma derrota pesada. O arranque da liga, não podia ter sido melhor 5 jogos, 3 derrotas, 2 empates, 2 GM, 10 GS. Começando com uma derrota em casa frente ao Leixões, seguiu-se uma derrota pesada frente ao Estoril. Na terceira jornada, conseguimos finalmente o primeiro golo, e primeiro ponto, em campeonatos profissionais, frente ao Porto B. Ainda estivemos muito tempo em vantagem o que podia ser um sinal positivo, mas na receção ao Santa Clara não conseguimos desfazer o nulo. Na deslocação difícil ao Seixal demos luta, mas depois de ficarmos a jogar com 10 o jogo estava sentenciado. A verdade é que a série não era fácil, com uma equipa recém.despromovida, uma equipa candidata à subida, e duas equipas B com planteis absurdos, mas é preciso fazer mais. É cedo para por tudo em causa, mas é indesmentível que este arranque foi uma desilusão. Segue-se uma pausa de seleções, pelo que já marquei dois amigáveis para tentar fazer alguns ajustes e dar moral à equipa.
  10. Obrigado! É verdade, o plantel é muito superior ao da época passada, mas a verdade é que não é mais que razoável comparando com o nível médio da segunda liga.Vamos ver no que vai dar, ainda tenho Janeiro para fazer alguns ajustes, se necessário
×
×
  • Criar Novo...