Ir para conteúdo
Entre para seguir isso  
Samaris

[Diário] Live & Online Poker

Posts recomendados

Boa tarde,

 

Quem acompanha esta parte do fórum sabe que o Poker é uma paixão e acima de tudo, é um sonho de vida. O meu primeiro contacto com o Poker aconteceu em 2009 e desde então nunca mais o larguei. Tudo o que sei sobre Poker, aprendi basicamente sozinho, e hoje em dia orgulho-me disso. Por não ter tido a ajuda de ninguém, esta foi uma aprendizagem muito difícil e muito demorada, e sei que ainda tenho um longuíssimo caminho a percorrer. Daqui em diante, planeio percorrer uma parte desse caminho na vossa companhia.

 

Desde o início de 2017 decidi dedicar cada vez mais tempo, e com isso tenho conseguido retirar cada vez mais dividendos deste investimento pessoal. Por ter fé nas minhas capacidades e na seriedade com que encaro o Poker, acredito que é possível ter sucesso a médio-longo prazo, e concretizar este sonho, que é tornar o Poker na minha principal fonte de receitas, e transformar este hobby na minha principal actividade profissional. Em resumo, este é o meu objectivo de vida a médio-longo prazo, e já tomei as primeiras decisões para que esta realidade seja possível de concretizar. Durante os últimos dois meses trabalhei de mais, em vários sítios diferentes, e por isso pouco ou nenhum tempo de qualidade consegui dedicar ao Poker. No início deste mês de Novembro, decidi abdicar de um desses sítios, e libertar horário que me permita em dois dias durante a semana, sem contar com o Domingo, focar única e exclusivamente nisto.

 

Sendo assim, vamos entrar em mais detalhes. Todas as terças, quintas e domingos, na Pokerstars.pt, irei participar nos seguintes torneios:

 

Terça-Feira: Super Tuesday 10€ e Super Mini 3€

Quinta-Feira: Big 10€ e Big 3€

Domingo: Sunday Storm 10€ e Sunday Mini 3€

 

É a isto que me proponho e não a mais, porque sei que nos outros dias vou estar longe das melhores condições, quer físicas quer mentais, para ser capaz de jogar ao nível que eu pretendo.

 

A contabilidade será feita da seguinte forma. Todos os meses, por volta de dia 10, irei fazer um reset à conta, ou seja, irei retirar o lucro que consegui durante o mês, ou em caso de prejuízo, recolocar a diferença até à banca inicial. A banca inicial de cada mês será de 200€. Este valor foi encontrado somando os buy-in dos seis torneios que irei jogar sempre, todas as semanas, e multiplicando esse valor por 4,5 que é o número médio de semanas que cada mês tem. O valor encontrado situa-se à volta de 175€. Os restantes 25€ servem para rebuys que eventualmente possam acontecer, embora essa prática não seja muito comum comigo.

 

A médio prazo, e se tudo correr bem, poderei em certo mês não retirar o valor de lucro da conta, para que seja possível dar o salto para o patamar seguinte, que seria adicionar o Big 20€ à programação semanal de torneios. Para isso, respeitando as mesmas contas, seria necessário algo à volta dos 500€ de banca, incluindo já neste valor a almofada de conforto relativa aos rebuys.

 

Neste tópico irei deixar informação sobre a minha participação nos referidos torneios, e em casos específicos poderei partilhar algumas mãos importantes e/ou interessantes que aconteçam nesses mesmos torneios, embora seja preciso cuidado com esta parte, porque com um tópico público, pode haver adversários que retirem informações importantes sobre o meu comportamento em situações específicas.

 

Mais desenvolvimentos na página 6.

 

Live Poker

 

1º 04/12/2017 - Grand Poker Series Main Event Casino do Estoril 400€ - Classificação: 8º lugar; Prémio: 4930€

2º 14/04/2018 - European Poker Series Main Event Casino do Estoril 500€ - Classificação: 11º lugar; Prémio: 2627€

 

Online Poker

 

1º 19/11/2017 - Sunday Storm 10€ - Classificação: 4º lugar; Prémio: 696€

2º 27/08/2017 - Sunday Storm 10€ - Classificação: 3º lugar; Prémio: 686€

3º 31/07/2017 - Micro Series Evento 18 5€ - Classificação 4º lugar; Prémio: 681€

Editado por Joao Pedro

Compartilhar este post


Link para o post

Terça-Feira dia 07/11/2017

 

Super Tuesday 10€

Participantes: 901

Classificação: 87

Prémio: 18,95€

 

Um torneio muito atribulado. Quando tudo parecia que ia correr mal, acabou por correr bem, e quando tudo parecia que ia correr bem acabou a correr mal. Numa altura fundamental do torneio venci uma mão num all-in no qual recebi dois calls e no qual as mãos eram:

 

Hero: JQ, Vilão 1: AQ, Vilão 2: 88. Veio o meu J no turn e de uma situação onde eu estava atrás e dominado fiz um triple up.

 

A situação específica deste all-in aconteceu numa altura em que eu estava com 10BB's, a minha posição na mesa era CO, e veio tudo em fold até mim. Fui all-in, mas recebi call do botão e call da SB.

 

No entanto outras situações tive onde fechei sequência com 10 8 vs KK, levei o jogador que tinha KK all-in, e vieram as minhas cartas para a mesa, dando sequência aos dois. Teria dado um pulo gigante no numero de fichas. Já para não falar da mão onde sou eliminado, na qual estou na SB, tenho QQ e depois de abertura do UTG+1 para 2,5BB e call do HJ, eu vou all-in de 16BB. Recebo call do UTG+1, cuja stack inicial da mão eram 25BB, e que tem JJ. QQ vs JJ, mas o flop trouxe uma das únicas duas que eu não queria ver. Daria um salto para 150000 e nesta altura não estava a escrever isto de certeza, mas sim a jogar, e a sonhar com a possibilidade de chegar à FT.

 

Super Mini 3€

Participantes: 1474

Classificação: 1129

Prémio: 0€

 

Eu costumo de chamar a este torneio com buy-in de 3€, o freeroll da Pokerstars portuguesa, porque as acções dos jogadores assemelham-se em tudo ao que acontecem em freerolls. Não há um único torneio destes em que eu não tenha de levar a mão à testa em sinal de facepalm, porque é mau demais. No entanto não há como negar que para um buy-in tão baixo, o prizepool é muito interessante, para a realidade da Pokerstars portuguesa, principalmente às terças e aos domingos, nos quais os torneios são especiais. Por isso, a ideia é continuar a jogar, e torcer para que nada de anormal aconteça. Hoje não foi o caso, e fui eliminado por causa de uma jogada muito questionável de um jogador que faz limp com K7s. Houve 4 limps de 250 nesta jogada, e eu que era a BB, com J8s, faço um raise considerável para 1500, com o objectivo de afastar toda a gente e recolher os limps. O vilão do K7s completa as 1250 que faltam, e flop vem K 9 Q. Eu estou gutshot para a sequência e faço cbet como se estivesse fortíssimo, mas ele vai até ao fim do mundo com o par de K e quicker 7.

 

Para o final, vou deixar aqui uma situação que aconteceu no primeiro torneio, mas na qual não vou dizer o que fiz, mas sim deixar no ar a situação, para recolher as vossas opiniões sobre como jogavam a mão.

 

Hero: J9s

Blinds: 3000/1500 Ante: 375

Posição: CO

 

HJ: 57000

Hero: 125000

SB: 26500

 

HJ raise para 7000, Hero call, SB re-raise all-in;

 

HJ fold, Hero...

 

O pot vai em 48000 e tenho de colocar mais 19000 caso queira pagar o all-in da SB. Qual terá sido a minha decisão, e qual teria sido a vossa?

Compartilhar este post


Link para o post

Força nisso João. Eu aconselho-te a não tirar o guito ou não ter tão pouco na conta. Eu se perder 100 paus numa banca de 200 fico muito mais aziado que se perder 100 numa de 500.

 

Essa mão é fold ou 3bet pré, mas 3bet só mesmo com reads fortes que tens pelo menos uma stack no ponto para fazer reshove atrás de ti. Como jogado é call contra quase toda a gente. Só contra overpairs é que não tens mesmo odds, tudo o resto tens praticamente os 31% que precisas. Contra um range de 8% tens 33%, contra 5% ficas breakeven e quase toda a gente shova mais de 5% aí.

 

Ainda por cima uma data de chico espertos jogam no trap ou fazem um minraise ridículo quando têm QQ+. Se deste call, agora tens de dar outro. Só mesmo se estiveres numa mesa super soft ou houver um gajo que tem tantas fichas como tu que seja muito pato é que deves guardar as fichas acho eu. Isto pensando que ainda estás bem longe da bolha, o que a classificação confirma.

Eu acho que tens mesmo uns 33% ou até mais de equity aí, mas mesmo que achasse só breakeven, não curto do hábito de meter fichas no pote para foldar. Neste caso foi outro a abrir e ele é que deve defender mais o open dele contra o allin do short, mas de qualquer das maneiras não curto encorajar allins por cima de fichas minhas.

 

Mas é mesmo fold pré. Com essa mão só podes cometer as fichas alegremente com 2p+, str8 ou flush draw. Dominas 98s 97s e 910s, mas estás dominado por QJ, KJ, AJ, J10, Q10, K10, A10, A9, JJ, QQ, KK, AA. E como só dominas mãos suited em termos de combinações estás dominado imensamente mais do que dominas...

Ainda por cima quando a sb vem por cima o gajo que abre pode fazer reshove com quase tudo que já estás capped e ficas a arder de 7000 fichas que puseste no pote numa situação mais que marginal.

Compartilhar este post


Link para o post

Obrigado pela tua opinião. Concordo com a tua análise.

 

Não estou satisfeito nem orgulhoso da jogada que fiz. J9s é de facto uma mão muito interessante, e que floppa bem, o que em certos casos, pode determinar um pote importante e que nos conduz para uma situação mais confortável e criar condições para chegar efectivamente longe, mas em caso de all-in não é propriamente a mão que nós queremos ter para dar call. A jogada que fiz foi fold, mas eu próprio escrevi no chat depois do fold que provavelmente tinha as odds para dar o call, mas eu às vezes nessas situações em que sei que provavelmente tenho as odds, acabo a fazer fold, porque prefiro guardar as fichas para uma situação mais vantajosa, e foi esse o pensamento que levou à minha decisão. Penso muitas vezes assim, por já ter dados esse tipo de calls nomeadamente a defender a BB, mas depois perco o pote, entro numa espiral negativa e perco o ímpeto todo que tinha.

 

Mas concordo contigo, que a partir do momento em que dou o primeiro call, à abertura do HJ, devo de dar o segundo call ao all-in da SB. O primeiro call pode ser um erro, mas dado que o fiz, o segundo call não seria, porque muito provavelmente tinha as odds certas para o dar. Era um call que daria fácil, com AJ ou KJ, mas com J9s hesitei e acabei por largar. Não sei o que é que a SB tinha, mas com a conversa no chat, por ter escrito que provavelmente tinha as odds para dar o call, fiquei a saber que o HJ abriu e foldou para a 3bet all-in com A 10.

 

É uma situação que vou tentar rever daqui em diante. Antes de ter dado o call, o que devia de ter feito, era ter prestado mais atenção às stacks à minha esquerda, e se decidisse ir pelo call, seria porque já tinha decidido igualmente dar call ao all-in da SB, caso acontecesse. E se tivesse medo que a SB viesse por cima depois do meu call, então foldar logo pré.

Compartilhar este post


Link para o post

Quinta-Feira dia 09/11/2017

 

Big 10€

Participantes: 426

Classificação: 47

Prémio: 22,24€

 

Fui eliminado numa sequência de duas mãos difíceis de engolir, mas é Poker no seu estado puro. Primeira das mãos tinha QQ na BB, a minha stack era de cerca de 65000. As blinds estavam em 2000/4000. All-in de um jogador a meio da mesa, de 29000, outro all-in de um outro jogador antes de mim, mas irrelevante pois só tinha 10000, e eu dou call. O do primeiro all-in tem KJ, o mais curto tinha 99, e eu na frente dos dois. Vem J no flop e K no river, para impedir a minha ascensão às 100k, e atirar-me para uma situação delicada com pouco mais de 30000 fichas.

 

Na mão seguinte sou o botão e recebo 44. Vem tudo em fold até mim, e eu shovo em cima das blinds, que são duas das maiores stacks da mesa. A SB acima das 100k e a BB com 80000. Ainda assim, a minha stack ainda tem algum peso em relação à stack deles, por isso julgo eu que ainda tenho algum fold equity, principalmente para o jogador da BB, mas não foi o que ele achou, pois deu-me call com A5, um call que eu não daria, mas isso sou eu. O pato viu virem para a mesa não um mais sim dois ases, e eu fui eliminado nesta sequências de duas mãos.

 

Big 3€

Participantes: 899

Classificação: 114

Prémio: 4,23€

 

Passei o torneio praticamente todo curto em fichas, excepto ali uma parte, mas depois não consegui catapultar-me para uma stack realmente confortável, e voltei a descer. Tive também azar por ter estado em duas mesas repletas de atrasados mentais. Bem, não diria que é azar, porque o mais provável neste torneio é isso mesmo acontecer. Deu para chegar ITM, o que é um feito interessante, dado que como disse passei o torneio todo praticamente short stack.

 

Hoje vou deixar-vos uma situação muito específica que aconteceu no primeiro torneio, e quero saber se vocês dariam ou não call nesta situação.

 

Hero: AK

Blinds: 3000/1500

Posição: UTG+2

 

Hero: 125000

MP1: 44000

 

Hero raise para 6750, MP1 all-in, Hero...

 

Situação do torneio:

 

Falta saírem 4 jogadores para entrarmos ITM. Actualmente, com 59 jogadores ainda em jogo, sou a 8ª maior stack. Se der call e vencer a mão subo para o top4, se der call e perder a mão caio para cerca da 20ª posição. Call, sim ou não?

Editado por Joao Pedro

Compartilhar este post


Link para o post

Estou a gostar bastante deste diário, continua com isto João :biggrin:

 

Relativamente à mão do J9s já foi tudo dito pelo Stout. Gosto bastante do teu tipo de jogo controlado e metódico, a única critica construtiva que posso fazer é relativamente a 3bets, acho que isolas pouco. Concordo que se deve ser cauteloso nisso e equilibrar muito bem o tipo de situação e jogadores contra quem se faz mas. Mãos boas para 3bet contra jogadores razoáveis/bons, como J9s K8s ATo, não funcionam bem contra donks que já puseram fichas no pote e vão dar call com tudo. Como tens bastante noção de posições acaba por não ser grave, seria apenas mais uma ferramenta a juntar às q já tens. (Devias mesmo investir num HUD!)

 

A mão do AK, não conseguia não dar call. Claro que na bubble, supostamente, é um move de força mas também não chateia muito estar a flippar aí para 15bb's efectivas.

Compartilhar este post


Link para o post

A faltar tão pouco para o dinheiro eu daria fold, pura e simplesmente porque o range de mãos de quem faz all-in deve ser super restrito.

Compartilhar este post


Link para o post

Dei um range de 77+ AJs+ KQs AQo+. É um 50/50 puro. Já estamos praticamente ITM e aquelas fichas num cenário de vitória representam bem para o nosso futuro no torneio.

Compartilhar este post


Link para o post

A faltar tão pouco para o dinheiro eu daria fold, pura e simplesmente porque o range de mãos de quem faz all-in deve ser super restrito.

 

Supostamente devia ser, mas na prática ninguém joga assim. O João só precisa de 39% para dar um call breakeven, mesmo que ele só vá allin TT+ e AKo, AKs tem 40.4%. Se nem com TT for tem 39.8%. Isto na prática nunca acontece. Nos torneios que joguei só contra um gajo é que não dava instacall e provavelmente era bem jogado fold, mas só um. Tudo o resto era instacall. Também há um ou dois malucos em zoom que jogam - de 10% das mãos que era capaz de foldar, pena nunca os ter visto em torneios.. :mrgreen:

 

E João a mão que descreveste do A5 também acho que é call, preferencialmente shove. Os payouts tão super flat portanto acho que ICM conta muito pouco ainda. Vê que % é que deves shovar com 9 bbs no btu e dps ve a equity de A5 no Equilab. Mesmo que só tivesses a shovar 2 cartas 10 ou acima e todos os pares o call era um bocado melhor que breakeven, mas é óbvio que deves estar a shovar bem mais que isso. Se o A5 fosse suited ainda mais óbvio seria o call. Ele só precisa de 42.5% para estar breakeven...

Mas tenho algumas dúvidas como é que funciona esse spot com o outro jogador na BB. Não sei bem como funciona dares só o call em vez do shove e deixar mais opções ao outro jogador.

O A5 é shove a 20 bbs e também tem equity para dar o call com esse preço a fechar a acção, mas dar só o call com um jogador por trás parece-me bem pior.

Cell tu que jogas mais torneios, tens alguma coisa a dizer sobre este tipo de spots a 3?

 

E só para fechar estes spots mais marginais têm de ser tomados a não ser que hajam muitos jogadores na mesa a oferecer fichas. Quase ninguém com o mínimo de volume deve estar a ganhar muito mais de 15bb/100 mesmo nos torneios mais pequenos. Se perderes a sb perdes 50bb/100 se deres um call com 2.5% de equity edge acima de breakeven, neste caso do A5 seria ter 45% de equity num pote de 20 bbs, ganhas uma sb. Logo tens uma diferença de uma bb ou 100bbs/100. Pode parecer pouco uma blind, mas é imenso a longo prazo. Poker é um jogo que revolve todo à volta da luta pelas blinds...

Compartilhar este post


Link para o post

E João a mão que descreveste do A5 também acho que é call, preferencialmente shove. Os payouts tão super flat portanto acho que ICM conta muito pouco ainda. Vê que % é que deves shovar com 9 bbs no btu e dps ve a equity de A5 no Equilab. Mesmo que só tivesses a shovar 2 cartas 10 ou acima e todos os pares o call era um bocado melhor que breakeven, mas é óbvio que deves estar a shovar bem mais que isso. Se o A5 fosse suited ainda mais óbvio seria o call. Ele só precisa de 42.5% para estar breakeven...

Mas tenho algumas dúvidas como é que funciona esse spot com o outro jogador na BB. Não sei bem como funciona dares só o call em vez do shove e deixar mais opções ao outro jogador.

O A5 é shove a 20 bbs e também tem equity para dar o call com esse preço a fechar a acção, mas dar só o call com um jogador por trás parece-me bem pior.

Cell tu que jogas mais torneios, tens alguma coisa a dizer sobre este tipo de spots a 3?

 

O call de A5o é proveitoso para a BB, se o BU tiver a shovar correctamente. Tem cerca de 46%. Se fosse da SB o call, com os 7% em que a BB acorda com mãozinha para dar call, acho que não se justifica. A minha abordagem passa pela avaliação com HUD para ter percepção do range de shove, da posição de shove e das stacks efectivas. Costumo ser bastante cauteloso quando tenho de dar call a allins. Em non-turbos tento ter menos situações de coinflip em relação a turbos.

Compartilhar este post


Link para o post

É um bocado óbvio, para quem está atento à história do torneio, qual foi a minha decisão, e qual foi o resultado dessa mesma decisão. Ainda assim, não me arrependo de a ter feito. Então, se eu era a 8ª stack estando ainda 59 jogadores em jogo, e a quatro eliminações de entrarmos ITM, e se fui eliminado na posição nº47, depois de duas mãos consecutivas nas quais comecei com 65000 fichas, só havia uma hipótese para esta mão, na qual eu ainda tinha 125k.

 

Dei call. Não foi insta call como o Stout disse, mas fiz as contas. Efectivamente era 1/3 da minha stack que estava em jogo. Dando ou não call, o ITM estava garantido. E a não ser que fosse bater em AA, contra todas as outras mãos teria, no mínimo, 30% de hipótese, isto no caso de ser contra KK, ou melhor do que isso, no caso do adversário ter qualquer outro par em que seria um coin flip. Eventualmente até poderia estar na frente contra algum corajoso que segurasse AQ ou AJ.

 

Pensei, fui ao tank e fiz as contas, decidi que estava ali para ganhar o torneio, e se ganhasse este pot ficaria em condições de ir bastante longe. Perdendo continuava com o ITM garantido e poderia recuperar, pois ficaria ali a meio do field. O adversário tinha QQ e não veio nenhum A nem K. Paciência. Tomava a mesma decisão se fosse hoje.

 

Estou a gostar bastante deste diário, continua com isto João :biggrin:

 

Relativamente à mão do J9s já foi tudo dito pelo Stout. Gosto bastante do teu tipo de jogo controlado e metódico, a única critica construtiva que posso fazer é relativamente a 3bets, acho que isolas pouco. Concordo que se deve ser cauteloso nisso e equilibrar muito bem o tipo de situação e jogadores contra quem se faz mas. Mãos boas para 3bet contra jogadores razoáveis/bons, como J9s K8s ATo, não funcionam bem contra donks que já puseram fichas no pote e vão dar call com tudo. Como tens bastante noção de posições acaba por não ser grave, seria apenas mais uma ferramenta a juntar às q já tens. (Devias mesmo investir num HUD!)

 

A mão do AK, não conseguia não dar call. Claro que na bubble, supostamente, é um move de força mas também não chateia muito estar a flippar aí para 15bb's efectivas.

 

É claro que continuo. Com ou sem diário, iria na mesma jogar todas as terças, quintas e domingos. Acho que todos temos algo em ganhar com este espaço. Discussões com conteúdo podem ser criadas aqui.

 

Concordo com a tua crítica construtiva, é algo que tenho realmente de melhorar, continuo com aquele estigma de ter receio de fazer raise pré e ir bater em algum monstro, e cometer fichas desnecessariamente antes do flop, e como sabes, uma das coisas que mais caracteriza o meu estilo de jogo é o pot control, principalmente pré flop. Apenas gosto de comprometer fichas com o pote se for para o ganhar, ou se pensar que a probabilidade de isso acontecer é alta. No entanto sei que a longo prazo, jogando mais vezes contra os mesmos jogadores, isso fará com que o meu jogo se torne mais previsível, por isso tenho de fazer algo para mudar, e escolher bem os spots para aqui e ali ir encaixando mais algumas 3bet pré-flop.

 

Supostamente devia ser, mas na prática ninguém joga assim. O João só precisa de 39% para dar um call breakeven, mesmo que ele só vá allin TT+ e AKo, AKs tem 40.4%. Se nem com TT for tem 39.8%. Isto na prática nunca acontece. Nos torneios que joguei só contra um gajo é que não dava instacall e provavelmente era bem jogado fold, mas só um. Tudo o resto era instacall. Também há um ou dois malucos em zoom que jogam - de 10% das mãos que era capaz de foldar, pena nunca os ter visto em torneios.. :mrgreen:

 

E João a mão que descreveste do A5 também acho que é call, preferencialmente shove. Os payouts tão super flat portanto acho que ICM conta muito pouco ainda. Vê que % é que deves shovar com 9 bbs no btu e dps ve a equity de A5 no Equilab. Mesmo que só tivesses a shovar 2 cartas 10 ou acima e todos os pares o call era um bocado melhor que breakeven, mas é óbvio que deves estar a shovar bem mais que isso. Se o A5 fosse suited ainda mais óbvio seria o call. Ele só precisa de 42.5% para estar breakeven...

Mas tenho algumas dúvidas como é que funciona esse spot com o outro jogador na BB. Não sei bem como funciona dares só o call em vez do shove e deixar mais opções ao outro jogador.

O A5 é shove a 20 bbs e também tem equity para dar o call com esse preço a fechar a acção, mas dar só o call com um jogador por trás parece-me bem pior.

Cell tu que jogas mais torneios, tens alguma coisa a dizer sobre este tipo de spots a 3?

 

E só para fechar estes spots mais marginais têm de ser tomados a não ser que hajam muitos jogadores na mesa a oferecer fichas. Quase ninguém com o mínimo de volume deve estar a ganhar muito mais de 15bb/100 mesmo nos torneios mais pequenos. Se perderes a sb perdes 50bb/100 se deres um call com 2.5% de equity edge acima de breakeven, neste caso do A5 seria ter 45% de equity num pote de 20 bbs, ganhas uma sb. Logo tens uma diferença de uma bb ou 100bbs/100. Pode parecer pouco uma blind, mas é imenso a longo prazo. Poker é um jogo que revolve todo à volta da luta pelas blinds...

 

O jogador que me deu call com A5 era o da BB e não o da SB, por isso ele apenas deu call já depois da SB ter feito fold, não havendo mais nenhum potencial adversário. Acredito que isso torne a decisão de dar call com A5 mais fácil do que se houvesse mais jogadores para falar a seguir, ainda assim pagar 30000 com uma stack de 80000, segurando A5, na minha opinião é uma decisão mesmo ali no limite, para não dizer outra coisa. Eu, pessoalmente, faria fold na maior parte das vezes. Não sei se seria a decisão mais certa, mas penso que 30000 fichas ainda é uma stack que tem algum fold equity principalmente para alguém que tem A5, que numa parte bastante significativa das vezes vai partir atrás neste all-in e call. Eu, ganhando a mão, ultrapassava o gajo que me deu call no número de fichas, por causa de um call tão marginal quanto este de A5. Mas são decisões.

Compartilhar este post


Link para o post

Terça-Feira dia 14/11/2017

 

Super Tuesday 10€

Participantes: 764

Classificação: 468

Prémio: 0€

 

Super Mini 3€

Participantes: 1301

Classificação: 611

Prémio: 0€

 

Hoje as coisas não correram bem, nem eu joguei particularmente bem. Não tenho explicação para o que aconteceu hoje. O melhor a fazer é não pensar muito no assunto e seguir a minha rotina normal. Quinta há mais.

 

Faltou-me a net a certa altura, quando eu tinha tudo preparado para copiar a mão mais interessante do dia, que aconteceu novamente no torneio mais caro, mas depois perdi a oportunidade e agora já não a consigo ver. Vou dizer de cabeça, e fica no ar a pergunta sobre qual seria a vossa decisão neste spot específico.

 

Hero: AQ

Blinds: 300/150

Posição: SB

 

UTG+2: 9500

Botão: 21000

Hero: 11000

 

UTG+2 raise para 750, Botão re-raise para 2000, Hero...

 

O que faziam aqui, nesta situação, com AQ?

Compartilhar este post


Link para o post

Terça-Feira dia 14/11/2017

 

Super Tuesday 10€

Participantes: 764

Classificação: 468

Prémio: 0€

 

Super Mini 3€

Participantes: 1301

Classificação: 611

Prémio: 0€

 

Hoje as coisas não correram bem, nem eu joguei particularmente bem. Não tenho explicação para o que aconteceu hoje. O melhor a fazer é não pensar muito no assunto e seguir a minha rotina normal. Quinta há mais.

 

Faltou-me a net a certa altura, quando eu tinha tudo preparado para copiar a mão mais interessante do dia, que aconteceu novamente no torneio mais caro, mas depois perdi a oportunidade e agora já não a consigo ver. Vou dizer de cabeça, e fica no ar a pergunta sobre qual seria a vossa decisão neste spot específico.

 

Hero: AQ

Blinds: 300/150

Posição: SB

 

UTG+2: 9500

Botão: 21000

Hero: 11000

 

UTG+2 raise para 750, Botão re-raise para 2000, Hero...

 

O que faziam aqui, nesta situação, com AQ?

Foldava tranquilo ai.

Compartilhar este post


Link para o post

Foldava tranquilo ai.

 

Parece-me uma opção bastante válida, e talvez até a mais acertada, dependendo dos outros jogadores que estão envolvidos na mão. Mas em teoria, parece-me um caso em que as três opções, desde o raise all-in, ao call e ao fold são possíveis. Gostava de recolher mais opiniões.

Compartilhar este post


Link para o post

Sem reads bem fortes também acho que é fold. Há muita malta que só 3beta por valor, por isso estás na m*rda contra alguém assim. Mesmo que fosse um gajo com bastantes bluffs e estivesses perto de estar 50/50, tens de contar que frequentemente o gajo UTG vai ter boas mãos. Mas claro que vai haver muita malta contra quem não podes foldar.

 

Call acho mal porque estás fora de posição. Prefiro ir all-in ou fazer praticamente uma min4-bet a fingir ases e shovar todos os flops.. :mrgreen:

Preflop vai foldar praticamente as mesmas mãos, a não ser tipo um AJ ou KQ que tens dominado e isso joga a teu favor. Mas com sorte pósflop podes bluffar outras mãos se o gajo optar por dar call e esperar por um flop limpo ou conectar. Se ele tem AK e não conecta possivelmente dá fold, assim como se tem TT/99 e vem o K. Também acho que é mais eficaz a bluffar quando o adversário tem AQ, que se dá call vai conectar bem raramente.

Compartilhar este post


Link para o post

Fold. A não ser que o utg+2 seja bastante agressivo, o BU com o minimo de noção aí só quer 3bettar e stackar com TT+ AKo AQs+, tendo posição sobre todos não faz qualquer sentido jogar assim as mãos que flopam bem quando o adversário ainda lhe pode tirar quase 50% da stack.

 

Nunca call. Ponderava o allin se o AQ fosse suited e se o hud me mostrasse um raise EP elevado do raiser inicial (praí 15%) e 3bet elevada do BU (praí 8/10%).

Editado por CeLL

Compartilhar este post


Link para o post

A minha jogada foi call, e o meu plano era shovar no flop caso viesse lá algum A ou alguma Q, o que acabou por não acontecer. Sabia que era improvável o jogador em UTG+2 vir por cima, e que o mais provável era ele dar só call e irmos os três para o flop. Essa parte acertei. No entanto, como eu tinha escrito logo naquele dia, não joguei particularmente bem e essa mão é um bom exemplo disso. Seria fold na maioria das vezes, e seria assim que eu normalmente jogaria. Para além deste, dei outros calls pf que não devia de ter dado, e que normalmente nem daria. Não foi um dia para recordar. Hoje é outro, a ver se as coisas melhoram, e se a qualidade das minhas decisões também sobe um bocadinho.

Compartilhar este post


Link para o post

Quinta-Feira 16/11/2017

 

Big 10€

Participantes: 389

Classificação: 285

Prémio: 0€

 

Big 3€

Participantes: 811

Classificação: 92

Prémio: 4,22€

 

Hoje não vou deixar no ar uma situação para vocês comentarem sobre como jogar esse spot específico, mas vou deixar-vos a duas mãos praticamente consecutivas que ditaram a minha eliminação do torneio Big 10€, porque gostaria de saber a vossa opinião sobre a minha jogada, bem como sobre a jogada dos meus adversários.

 

Primeira mão:

 

Hero: Q 10s

Blinds: 200/100

Stack: 19500

Posição: SB

 

UTG+1 limp, UTG+2 limp, Hero call, BB check

 

Flop: 8 4 10 (top pair + flush draw) Pote 1025

 

Hero check, BB check, UTG+1 bet 1025, UTG+2 fold, Hero raise 3500, BB fold, UTG+1 re-raise all-in 10600, Hero call

 

Hero: Q 10s vs UTG+1: A 10

 

Turn: J, River: J.

 

Acham que não devia de ter ido pelo check raise no flop, e ter ido pelo check call, ou o check raise é bem jogado nesta situação? Pessoalmente como sabem, sou muito apologista do pot control, e nesta situação saí um bocado desse registo, mas com top pair a acompanhar o flush draw, achei que era uma situação na qual podia ser mais agressivo e ambicioso. Na verdade o all-in e call resultou numa situação de 50/50.

 

Segunda mão:

 

Hero: AQ

Blinds: 250/125

Stack: 9200

Posição: Botão

 

MP raise 500, Hero re-raise 1250, BB call, MP fold

 

Flop: 4 6 Q Pote 3400

 

BB bet 1750, Hero raise all-in 8000, BB call

 

Hero: AQ vs BB: QJ

 

Turn: 3, River: J

 

Hero eliminado.

 

E no Big 3€ também fui eliminado contra QJ. Quando tinha 11BB's, fiz all-in pf com AK e levei call de um jogador que segurava precisamente QJ. Já não me lembro com precisão qual era a stack do jogador que me deu call, mas acho que era à volta das 30BB's. No entanto eu no Big 3€ já estou à espera de tudo. Recebi esse call e levei com dois pares, no turn e river, e de certeza que o adversário ainda deve ter pensado "grande call!".

Compartilhar este post


Link para o post

A segunda mão não tem análise possível, tudo bem jogado e bad beat tradicional no river.

 

Primeira mão: Quando fazes o reraise no flop é no sentido de stackar. Vendo um range de limp possível (ranges de limps são sempre engraçados mas enfim), estás à frente de JT, T9, J9, Ases suited; a flipar KT AT, AA KK numa possível perspectiva de trap dele e claramente atrás de 44 (vou excluir 88 e TT pq me parece demasiado burro fazer limp utg com isso).

 

Sendo que a bet dele é pote, é indicativo de força e com aquelas 50bb's atrás, parece-me que a melhor opção aí seria o call. Tenho estudado alguma coisa sobre flush draws e nessa situação por exemplo, seria melhor tomar essa opção de 3bet com um J9s ou AKs, sempre combo draws fortes, ou seja, flushdraw + straightdraw ou flushdraw + overcards.

 

Ingame eu provavelmente faria a mesma jogada. Estas análises são porreiras para se ter uma noção melhor dos ranges e possíveis jogadas. Li num pdf da upswing sobre flushdraws, que na maior parte das vezes se tem que jogar a mão como se não se tivesse flushdraw, basicamente em call, principalmente fora de posição com 2nd pair + flushdraw ou top pair mas kicker razoável/fraco com flushdraw. Nessa situação, jogando sempre em check call, ias perder umas 10/12 bb's.

Editado por CeLL

Compartilhar este post


Link para o post

Por acaso não concordo com a maneira como ele jogou a 2a jogada. Logo preflop fazer 3bet para 5 bbs é muito pouco. Muito poucas mãos preferem um call a um fold préflop e AQ não acho que seja uma delas.

Mas depois do gajo liderar acho muito melhor dar o call. A única carta que não queres ver é um K, mas mesmo essa tens de meter o guito dentro. Se bate um gutshot ou o 2º par wtv, não se pode ganhar todas. Agora do que eu vejo essas donkbets costumam ser tipo um par de mão mais baixo que a Q a pôr-te em AK e a apostar por valor/informação e são capazes de foldar se raisares.

 

A segunda para mim é sempre raise. Se o gajo tiver um set acontece, se não tiver é 50/50 ou tamos bem à frente. Não vou deixar o gajo jogar o pote em posição quando qualquer carta entre o 5 e a Q completa um straight, há 3 overcards que também não queres ver e ainda por cima há 2 open-enders e um double gutter. Se só houvesse gutshots o call ganhava valor, mas assim acho muito arriscado.

Recebes valor de imensas mãos piores e há sempre a hipotese de o gajo foldar mãos que tão 50/50, além de imensas mãos que tinham 20 ou 30% de equity e que a jogar em posição iam conseguir realizar mais do que isso. Muitos dos runouts vão por overcards, faltar uma carta para completar str8 e não quero estar a advinhar o que ele tem e deixa-lo bluffar e realizar a equity dele à vontade. É que ainda por cima em posição ele pode dar check back e ver um river de graça...

Para mim a dúvida é mais entre fazer um raise perto de pote ou shovar ou praticamente. Se eu acho que o adversário é mais de fazer pote com um A10/K10, prefiro meter quase todas e esperar que ele folde. Se acho que é gajo para fazer pote com um flush draw ou str8 draw, prefiro raisar um size mais normal e esperar que ele venha atrás com mãos dominadas. Depois há aqueles mais raros que são capazes de fazer pote com um J10, 109, 99..e nesse caso é também um size mais normal...

Em posição há mais opções, mas fora de posição para mim é sempre check raise.

 

Eu quando tenho flush draw+ par prefiro ser quase sempre agressivo e tentar negar a equidade do adversário. Só com um par dama ou mais alto que não precise de muita proteção é que acho que vale a pena jogar no call e deixar o adversário bluffar-se.

 

Esse pdf da upswing deve ser mais dedicado a cash games ou seja estares perto das 100 bbs. Eles não dizem nada do pdf, mas logo no 3º exemplo vês que com stacks curtas teres middle pair e flush draw tem de ser sempre check raise.

E aos materiais da upswing são focadas em GTO normalmente. Na primeira mão eles dizem essa cena de jogar da mesma forma uma mão sem flush draw, mas não concordo. Contra alguém a jogar aproximado de GTO é capaz de ser o melhor, mas na realidade a maior parte dos jogadores vão cbetar bem mais do que aquilo que deviam teoreticamente, especialmente com pares médios que deviam ser checks, mas são apostados por informação/protecção. Mesmo str8 e flush draws a jogar gto acho que são sempre estratégias mistas(combo draws não sei), mas na realidade muita gente vai apostar quase todos os draws. Como grande parte dos adversários vai-se desviar nesse sentido da estratégia GTO, jogares de forma mais agressiva pares+flush draw faz todo o sentido. Ainda por cima a maior parte dos jogadores checkraisa menos do que o que seria GTO(por isso é que tanta gente overcbeta), portanto quando alguém é confrontado com um check-raise normalmente acaba a dar-lhe crédito a mais e a overfoldar.

Compartilhar este post


Link para o post

Realisticamente, neste spot em especifico o que é que ele vai foldar ao checkraise no flop que esteja em 50/50? É mais provável gutshots e open-enders mandarem pote no flop ou cbetarem menos ou mesmo jogarem em check call? Eu acho que se ele tivesse uma stack de 30 bb's ou menos era tranquilo stackar, agora com 50bb's, é algo bastante relevante para o desfecho da mão. Os materiais da upswing foi uma referência, acho interessante a abordagem que fazem principalmente nesse pdf de flush draws, porque em torneio resulta muito bem o pot control, o facto de jogares este QT como se não tivesses flush draw poupa-te 30/35bb's e quando fazes checkraise não te estás a proteger de nada neste spot.

Compartilhar este post


Link para o post

Qualquer mão de um par que esteja à tua frente? Achas que é bom stackoff um par nessa board com 50 bbs? Ainda são 10 euros o torneio, mesmo que presumivelmente seja um jogador fraco por ter feito limp, pode perfeitamente não querer fazer um stackoff com 50 bbs só com um par.

Mas ele não precisa de foldar uma mão que esteja 50/50 para ser proveitoso. Ele com a vantagem posicional vai poder ver o showdown mais barato ou bluffar-te quando está atrás ou mais facilmente vbetar quando está a frente. Se ele tem um open-ender, dá o check back no turn, acaba a ver duas cartas bem barato e ainda podia ter levado o pote logo ao flop.

Há 7 combinações que estão melhor que um flip contigo, vais fazer pot control para que? Qual é a tua estratégia nos vários turn e rivers, call down a tudo? Qualquer que seja vais ser bluffado ou vbetado, quando podias ser tu a extrair valor das mãos piores do adversário ou a tentar bluffa-lo de um flip.

7 combos não são nada. Há 8 combinações de open-enders e double gutters, 21 de overpairs(obviamente não contas com todas mas o limp com algumas delas é sempre possibilidade), 6 de ases com flush piores que AJ, possivelmente algum Kxs, flushes piores tens uma data deles que são possiveis, muitos deles com um gutter ou melhor e isso é tudo mãos que tu preferes fazer o stackoff, que paguem o raise ou que foldem em vez de jogares turn e river fora de posição.

Tu normalmente fazes pot control para não perder muito quando estás atrás. Neste caso nunca lhe chamaria pot control, mas sim slowplay. E neste caso é péssimo porque tens pouca "visibilidade" nos vários turns e rivers. Mas por exemplo se tiveres A10ss em A92ssd ir para uma linha de check call é muito mais atractivo uma vez que é díficil foldar mãos que estejam no flip, é muito mais díficil ele melhorar para uma mão melhor e também é díficil que ele encontre um runout em que te consiga bluffar....

Compartilhar este post


Link para o post

Eu entendo o teu raciocinio e também o teria noutro spot. Mas estamos perante um jogador claramente recreativo e por muito insano que ele possa ser, quando beta pote no flop vs 3 adversários, o range dele restringe-se praticamente só a valor, até porque a bet é indicativa do receio de baterem os draws da board. Tendo ele 50bb's e podendo reduzir a nossa stack a metade, não diria que é slowplay, porque o valor da nossa mão é relativo. Nessa situação ele tem demasiados turns em que pode dar check behind e vais extrair algum valor quando vem a espada ou a dama, sinceramente não estou a ver como possamos ser bluffados nesta situação. Como a board veio por exemplo, ele ia dar check behind no turn e bettar 5 a 10 bb's no river ou mesmo outro check.

 

Se o adversário tivesse 100bb's, jogavas como?

Editado por CeLL

Compartilhar este post


Link para o post

Não acho que possas restringir a aposta dele a quase só value. E mesmo sem ter em conta combinações acho muito mais provável ele apostar pote com um 10 ou overpair do que com um set. Os recreativos gostam muito de ser tricky e apostar pequeno para induzir com um set ou pelo menos não apostar pote que assusta muito.

Como é que não te vês a ser bluffado? Se ele tem um draw qualquer ou outra mão random e no turn ou river vem um A K ou J vais dar call? Se vierem 2 overs como é? Se ficar a faltar uma carta para o str8?

 

Com 100 bbs checkraise gigante para ter mais fold equity. Se chocasse contra set azar. Estão 10 bbs no pote não vou jogar no check call e deixar o gajo vbetar e bluffar à vontade. Farto-me de fazer esta jogada e vê-los a usar o tempo extra e foldar... :mrgreen:

Mesmo com middle pair faço isso muitas vezes. Só não convém é quando o middle pair é um 10 ou mais alto e não tens redraw para top two porque podes chocar contra top two muito mais frequentemente.

Já por varias vezes quando tinha fd+par, 2 overs ou str8 draw me deram call ou fizeram shove com fd piores. Neste caso até há 5 combo draws que o gajo provavelmente nunca folda e uma data de flushes com o A...

Se ele tem o set perdes cerca de 20 bbs, se ele te da o call com uma fd e dps folda turn ganhas mais que isso. Se ele dá outros calls random ganhas mais que isso... se ele folda uma mão de um par melhor ganhas logo 10 bbs...

Ele só tem 7 combos de sets, portanto basta ele pagar com 2 combos de fd piores, foldar 4 combos de pares melhores e fazer m*rda com mais 1 que já lucrou bastante a jogada. É que entretanto não o deixaste realizar os 10-20% de equity que ele teria com não sei quantas mãos random, nunca és valuebetado quando lhe bate uma over ou um str8 qualquer, nem nunca és bluffado numa board assustadora...

Compartilhar este post


Link para o post

Pode ser um bocado especulativo, mas eu acho que ele betava pote todo o range de valor, incluindo o set de 4's. Com draws duvido que o fizesse. O problema aqui é que nós temos blockers para tudo o que queremos que ele tenha, e outra coisa, quando fazemos o complete preflop estamos caped no range. O nosso check-raise nunca representa um overpair, de valor só representa 2 pares (T8) e sets (44, 88(?)), tudo o resto são draws. Outro factor é o edge que nós temos sobre este adversário em especifico, e quanto mais edge tens menos vais querer tar a flipar por 50 bb's.

 

Coloquei no equilab mais ou menos o range com que ele faz a jogada que fez, com J9o e JTo, dá 40%, sem essas mãos é um coinflip puro.

Compartilhar este post


Link para o post

Junta-te à conversa!

Podes publicar um comentário agora e registar-te depois. Se tiveres uma conta, autentica-te agora para publicares o teu comentário de forma autenticada.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   O conteúdo anteriormente introduzido foi recuperado..   Limpar

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Entre para seguir isso  

×
×
  • Criar Novo...