Ir para conteúdo
Entre para seguir isso  
Lip McBoatface

Viagens (Actualizado a 02/10/2018)

Posts recomendados

Citação de Towelie, há 7 minutos:

Urgente !!!

Se eu nao aderir a mala prioritaria da Ryanair consigo levar uma mala pequena de viagem ? ou so posso mesmo levar uma mochila ?

Tem de caber debaixo do banco da frente

Compartilhar este post


Link para o post
Citação de a.lopes, há 7 minutos:

Tem de caber debaixo do banco da frente

Que tem bastante espaço, até.

Compartilhar este post


Link para o post
Citação de Modulor, Em 03/11/2019 at 12:12:

Praticamente 2 meses depois...aqui vai :mrgreen:

Passado mais um mês...:mrgreen:

Grécia! (Atenas + 2 ilhas) - ~9dias

Foi uma junção engraçada, colar uma cidade como Istambul com uma cidade como Atenas. Eu sou um turista slow paced, gosto de ter o meu tempo a andar perdido, gosto de perder uma hora num café a esticar as pernas, observar e rabiscar umas coisas. A isso somar o facto de na altura estar a investir nesta viagem as minhas "férias de descanso" e resultou nesta quantidade de dias para Atenas, o que para muitos pode parecer excessivo. E será, claro. Mas não me arrependi. 

Já tinha referido algures no outro post, mas eu gosto de cidades "sujas", e Atenas é um exemplo de uma cidade dessas mas com uma quantidade absurda de beleza associada. Para começar tem uma "morfologia" muito peculiar. A cidade deve ser 80% plana, 15% com pequenas áreas/bairros/jardins em ligeiros """planaltos""" e 5% de picos surreais, quase saídos do nada, onde em quase todos eles sentam cenas irrisórias como a Acrópole, Filopapo ou o Teatro de Lycabettus. No meio deste cenário é somar uma paisagem construída ultra densa, relativamente baixa, e completamente salpicada de vegetação. Seja em parques com escala decente, seja em varandas com vasos, seja em passeios ajardinados. Resumindo, peguem numa imagem qualquer dos filmes do hércules, juntem uns carros a subir passeios e Gregos a prepararem uma manif na praça mais próxima, e está feito :lol: 

A cidade é toda muito fácil de caminhar - again, só usei transportes quando não tinha mesmo hipótese: aka comboio para o Pireu + barco para as ilhas. É relativamente pequena, apesar de, por ser tão densa, haver literalmente qualquer coisa interessante para ver em todas as pontas. Cheguei a andar 20km num dos dias sem dar conta quase...

Vou seguir o post ao jeito do que fiz para Istambul e tentar distribuir mais ou menos as ideias por pontos, depois desta intro sempre meio aleatória:

- Fiquei num airbnb quase colado à Praça Exarchion (vou tentar escrever a maioria dos nomes na versão inglesa porque...coiso). A localização era impecável: sossegada qb, comparando às zonas turisticas, mas suficientemente perto dos centros que me interessavam e bem apetrechada nas redondezas no que diz respeito a cafés, restaurantes ou, caso precisasse, de transportes. O bairro de Exarcheia é relativamente conhecido pelas ondas meio anarquistas que dominam a cena, o que deu piada à coisa, embora num primeiro impacto me tivesse deixado de pé atrás :lol: Acho que não houve um dia em que regressasse ao apartamento e não me cruzasse com polícias da força de intervenção a cirandar a área. Isso, mais o ar que naturalmente a zona foi ganhando pelo tipo de malta que ali habita/controla os espaços: grafittis, cartazes, parques "self-made", estátuas com cones de trânsito no topo, blablabla...Mas foi sempre pacífico. Acho que já é algo tão entranhado que já ninguém olha para aquilo como potencialmente desconfortável, é o que é, e ou se gosta ou não se gosta. Ao sábado, por exemplo, fazem um mercado de rua com produtos regionais e locais que parece saído de um filme, muito fixe mesmo. 

- Uns passitos ao lado há o monte Lycabettus, um dos tais picos que sobressaem na paisagem. A subida, ainda por cima a contar com o calor que se fazia sentir naquela altura, é de fazer colar a t-shirt às costas. Vale a pena, mas confesso que em comparação com aqueles pontos que levamos no bloco de "a visitar" foi o que menos me entusiasmou. A vista é estonteante, mas não muito diferente daquela que se vê num par de outros sítios, a subida é relativamente mais difícil e chegando ao topo não há muito mais que uma pequena capela, uma bandeira e dois bares para caçar turistas suados. O teatro é lindo, pelo enquadramento. Posto isto, voltaria a subir e recomendo a curta visita anyway :mrgeen: A zona residencial que fica em torno do monte é também muito bonita, para quem tem paciência para observar algo mais "banal". 

- Não vou citar os musts de Atenas, esses vêm mais que dissecados em todo o lado, mas vou apenas dizer que é de facto um postal impressionante. Sinto-me mal a dizer isto, mas ao fim de dois dias quase que se sente o nível de "indiferença" a crescer em nós, tal a quantidade e importância que estes pontos têm na cidade. Passear numa rua aleatória e, lá ao fundo, estar a pairar a Acrópole suspensa naquele céu azul...uau. 

- Aprendi que Atenas dá para dividir por uma série de grandes "bairros"/áreas. E assim por alto, se disser que vale a pena ir a Monastiraki, é mesmo Monastiraki toda, e não apenas aquela praça toda hip ou a um punhado de ruas. Nesse sentido: 

     . Monastiraki: basicamente uma zona cheia de vida e movimento, bastante preenchida por locais, o que equilibra agradavelmente a balança enquanto passeamos à procura de fugir do turismo em massa. Tem muitos recantos e spots simpáticos para se parar, infelizmente não guardei muitos nomes e a minha memória torna-se insuficiente por causa da bagunça que são os nomes/alfabeto Grego. Mas vão e fiquem por lá! 

     . Plaka: pequeno bairro instalado nos pés da Acrópole. Muito turistico, atenção, mas lindo lindo. Muito pitoresco, parece saído de um quadro todo romantizado. É complicado alhear-nos da quantidade de visitantes, mas ainda me consegui sentir numa ou duas Tavernas típicas mais tranquilas. Andei por lá em várias horas do dia, mas diria que de manhã cedo e no fim de tarde é obrigatório um passeio, pelo menos.

     . Kolonaki: comércio local, puro e duro. É vaguear, basicamente. As ruas são igualmente bonitas, mas o interessante aqui é o que se passa aqui de diferente em relação ao resto dos sitios. O comércio é diferente (artesãos, lojas de especialidade, produtos de pequenos produtores locais, mercados, etc) e por consequência a vibe de quem por lá anda também. 

     . Psyrri: é colado a Monastiraki, portanto até faria sentido estar logo depois, mas...é micro-organismo dentro de outro pequeno organismo. Muito fixe para ir a qualquer hora do dia, mas à noite tem outro power. Muito jovem, muito sitio alternativo. Posso dizer que fui lá 3 vezes à noite para beber um copo e nunca consegui acertar com os mesmos sítios, não dava. 

     . Thissio: também nas zonas circundantes à Acrópole, e por isso mais alto, é um bairro na linha de Plaka, apesar de ter outro desafogo. É bonito, sabe bem passear por lá, mas já deixo para o fim precisamente por não ter sentido o mesmo impacto que noutros sitios. Ainda assim não podia deixar de o mandar para a lista. 

Depois há uma série de outros spots, tipo Exarcheia que falei algures no inicio do (longo) post; Synthagma, que dá nome à famosa e importante praça; ou zonas que não me recordo o nome, menos turísticas por defeito, mas que por um motivo ou por outro não têm nada de especialmente forte que me faça dizer "vão!!!!". Se lá forem parar, como eu fui, não darão o tempo como perdido, mas também não deverão sair de lá babados por regressar. 

Por fim, há o segundo capítulo da minha passagem por Atenas, que se divide em três alíneas: Pireu (zona portuária com alguma importância); Hydra e Agistri. 

O Pireu não tem grande história, basicamente passeei lá uma longa manhã e está. Começamos a ter um cheirinho do que é a versão paradisíaca da Grécia, que logicamente não temos em Atenas, mas com a natural diferença para menos bom. É simpático, vá, mas não vale de todo uma visita propositada. Como duvido que alguém o faça :lol: Ah, já agora, é aqui que fica o Estádio do Olympiakos, que parece bem bonito até, pelo menos por fora. 

Hydra...despedacei-me. Guardei para o fim para poder repousar à lorde e baixar o ritmo das férias. Faz parte de um conjunto mais limitado de ilhas que se situam relativamente perto de Atenas, e era a estas que eu me restringia, já que não queria perder muito tempo em deslocações. Do porto até à ilha são cerca de 3/4h. Faz-se relativamente bem. A logistica dos bilhetes e tal foi um bocado confusa para mim, pois o porto no Pireu é grandito e os Gregos, apesar de a grande maioria falar bem Inglês, tem aquela cena de em recibos, bilhetes, indicações, wtv, ter quase tudo...em Grego. Logo, num porto grande, perceber onde era a plataforma omega beta 38 alfa foi um bocado desafiante. Adiante, a ilha é um céu. Acho que nunca tive num sítio tão calmo e tão postal como aquele. Para mim é complicado descrever porque sempre que falo em Hydra sinto-me a descrever um sítio qualquer na costa sul de Espanha, ou uma ilha nice na Croácia, ou num litoral fancy de Itália. A verdade é que já tive em vários desses sitios e a sensação não é, de todo, a mesma. A Grécia, no que toca a ilhas, tem a desvantagem de ter tantas e com tantos chamarizes diferentes que torna quase impossível riscar a lista até ficar com 5 e haver um consenso. Mas eu sei que, na minha ignorância, Hydra me iria passar sempre pela cabeça como uma das candidatas. Vim maravilhado. 

Agistri já foi diferente. É bonito, sem dúvida, fiz um dia 5estrelas, a pedalar numa bicicleta para a frente e para trás e a dar mergulhos em praias encabeçadas por verde natural, dum lado, e água transparente e calma, do outro. Mas...já não foi a mesma coisa. Pelo menos já não foi algo em que eu, subconscientemente, pensasse "brutal. Mas Setúbal tem cenas que não ficam muito atrás". A viagem já foi apenas de 40min e o preço significativamente mais barato, portanto tenho sempre de pôr as coisas em perspectiva, mas pronto, percebem a ideia. 

Pronto, em jeito de resumo dos resumos que escrevi até este parágrafo: Atenas foi surpreendentemente das cidades na Europa que mais gostei de visitar. Não consigo dizer que seja das mais bonitas, não é. Nem que seja das mais baratas, não é. Nem que seja aquela que tem as pessoas mais simpáticas, não é. Nem que seja das mais limpas e organizadas, não é. Mas é um belo milkshake complicado de resumir, e isso vale a pena. Muito a pena. Para finalizar, mantendo a coerência da salganhada que foi o post de Istambul, deixo notas soltas com alguns apontamentos mais particulares que podem ser úteis a quem queria ir lá:

 

- A Grécia é cara, especialmente naquilo em que um turista precisa: restauração, lazer, supermercados, atrações. Na dormida fiquei impecavelmente bem num apartamento só para mim, airbnb, 30€ por noite. Achei barato, mas marquei com bastante antecedência. Se quiserem posso dar o contacto, dará para ficarem lá 2/3 pessoas na boa. Na restauração é um bocado ao cuidado de cada um: os restaurantes são geralmente caros para o que estamos habituados (quase sempre 15 paus para cima numa ida menos ponderada) mas há opções e os Gregos são fortes em comida mais rápida (Souvlaki, registem o nome!!!!), ainda que mesmo aí fossem raras as vezes em que gastasse menos de 10€. Pequeno almoço comia sempre em casa, poupa-se um bocado, ainda que não me tivesse parecido barato. 

- Comi em vários sítios, mas vou deixar dois nomes dos que mais gostei e onde a minha carteira se sentiu mais confortável: Atitamos, na zona de Exarchia, top top top. O espaço é pequeno, pelo que estava quase sempre cheio, mas como eu era sempre só um lá me safava; Greco's Project. É uma cadeia de Souvlaki, com um toque mais "comercial". Por defeito não sou fã destas cadeias, mas foi-me recomendada por uma Grega e dei o beneficio da dúvida. É escolha segura, eu fui quase sempre ao que fica em Monastiraki e saí sempre bem. 

- Os Gregos têm pequenos costumes engraçados que desconhecia, sobre os quais gostei de estar atento e reparar que funcionam SEMPRE de igual maneira, independentemente do sítio: a conta nos restaurantes vem logo assim que fazemos o pedido (se pedirmos mais coisas entretanto, lá vem mais um anexo ao talão original); fazem questão de oferecer sempre a água à refeição e, no fim, uma bebida branca da região/pequena sobremesa/wtv, sabe sempre bem; bebem carradas de café, a toda a hora, em todo o lado. Com gelo, com natas, mais curto, mais cheio, mais aguado...you name it! E fumam que nem doentes. Parece-me Portugal há uns 10/15 anos, multiplicado por 5. Nestes pequenos aspetos, pelo menos aos meus olhos, tem piada porque parece que de algum modo pararam no tempo :lol: 

- As atrações mais famosas são "obrigatórias" mas, se tal como eu, forem algo ignorantes/alheios a estes períodos da história é preciso ter alguma precaução com as ofertas. Às tantas os nossos pés parece que ligam o piloto automático e seguem em direção a todos os lugares que digam algo como "Casa original onde CMPTHEUS organizou os primeiros combates da era moderna", pagam 30€, entram e têm um descampado com duas pedras empilhadas encostadas a uma oliveira. Não quero soar ignorante, mas nem tudo é para toda a gente, e - falando no meu caso - gostava de não ter sido tão relaxado em relação ao que poderia ter para visitar e, em vez disso, ter feito um trabalho de casa mais conciso. 

- A noite em Atenas tem algumas similaridades com o que se encontra em Lisboa, por exemplo, no sentido em que é muito vivida ao ar livre. Fui parar a alguns sítios diferentes, mas gostei muito do SIX D.O.G.S e do The Art Foundation, boa onda. 

- Estar no topo da Acrópole será, sem dúvida, dos sítios que melhor recordarei para o resto da vida. É um ícone que ganha toda uma outra dimensão pelo lugar em que está e enquadramento que tem. A quantidade de turistas não dá para ignorar, mas é o que é. Dito isto, façam a visita contar. Se tivesse dinheiro em barda iria lá pela manhãzita e ao fim do dia. Como não tenho, escolhi cuidadosamente a hora e fui para lá depois das 17h. Fiquei lá até ao fecho das visitas (20h? já não me recordo exatamente). Recomendo, pois é uma hora um pouco mais calma e a luz...vão. 

- Não posso deixar de reforçar o bonito que é passear por ruas aleatórias no meio da cidade e estar atento aos enquadramentos. Tem algo de especial andar numa rua completamente banal, num bairro plano, mas olhar para as extremidades e ver morros enormes, cobertos de verde, e muitos deles com cenas tão singelas como aquelas que vemos nos livros de história desde pequenos. Tem muito poder. 

- Ver o bonito no "feio". Atenas tem muitas singularidades estranhas que a tornam bonitas, uma das que mais gostei foi o cuidado com que tornam o caos mais organizado. É raro vermos uma varanda sem um tufo de plantas a rebentar para a fachada do prédio e sem um toldo gigante a proteger as janelas. Isto parece meio insignificante, mas se multiplicarmos isto por todas as varandas se janelas que os nossos olhos conseguem ver torna a big picture bastante mais apelativa. 

E fim! Descarrilei outra vez no meio do entusiasmo. Again, se precisarem de alguma coisa mais especifica é só apitar! 

https://imgur.com/a/QoCaof1

Editado por Modulor

Compartilhar este post


Link para o post

panelei*agem, preciso de ajuda.

Estava a pensar ir a Paris em Fevereiro, seria boa ideia dar uma escapadela a Bruges (Bélgica)? Já li que aquilo é muito bom pelo que estava a pensar fazer 4 dias em Paris e depois ir até Bruges.

Ainda pensei juntar também Amesterdão, mas para seis dias não me parece que compensasse. 

Lisboa-Paris-Bruges-Bruxelas(só para apanhar o avião)-Lisboa

Algo deste género. 

Compartilhar este post


Link para o post
Citação de André Sousa, há 9 horas:

panelei*agem, preciso de ajuda.

Estava a pensar ir a Paris em Fevereiro, seria boa ideia dar uma escapadela a Bruges (Bélgica)? Já li que aquilo é muito bom pelo que estava a pensar fazer 4 dias em Paris e depois ir até Bruges.

Ainda pensei juntar também Amesterdão, mas para seis dias não me parece que compensasse. 

Lisboa-Paris-Bruges-Bruxelas(só para apanhar o avião)-Lisboa

Algo deste género. 

Faz isso, sim. Bruges é muito bonito e vê-se rápido. E não te compensa ir a Amesterdão, tens pouco tempo.

Compartilhar este post


Link para o post

É isso que o Duda disse. 

Aproveita bem Bruges, é incrível. É uma cidade única. Não obstante, vês bem num dia. Eu, por exemplo, só lá estive metade de um dia e serviu perfeitamente.

 

Compartilhar este post


Link para o post

Também aconselho Ghent. Consegues ver as duas num dia de começares cedo. Se calhar não vês tuuuuuudo, mas dá para visitar as duas cidades nesse espaço de tempo.

Compartilhar este post


Link para o post

Entre os dias 26 e 31 de Dezembro vou de ferias para Bruxelas e Amesterdão, alguém aconselha quartos para dormir? no Airbnb / Booking está tudo caro.

Nota: Vou com a mulher. Em principio será 26/28 Bruxelas e depois 28/31 Amesterdão

Compartilhar este post


Link para o post
Citação de Adriano17, Em 15/12/2019 at 16:08:

Entre os dias 26 e 31 de Dezembro vou de ferias para Bruxelas e Amesterdão, alguém aconselha quartos para dormir? no Airbnb / Booking está tudo caro.

Nota: Vou com a mulher. Em principio será 26/28 Bruxelas e depois 28/31 Amesterdão

Amesterdão já fiquei no Generator Hostel. Porreiro, mas lá está, é Amesterdão. No final da noite tens sempre uma grupeta de junkies que não se conhecem de lado nenhum a fumar brocas no alpendre do Hostel como fossem amigos desde nascença

Compartilhar este post


Link para o post
Citação de Duda34, há 6 horas:

Amesterdão já fiquei no Generator Hostel. Porreiro, mas lá está, é Amesterdão. No final da noite tens sempre uma grupeta de junkies que não se conhecem de lado nenhum a fumar brocas no alpendre do Hostel como fossem amigos desde nascença

tenho aí uma opção perto do aeroporto por 250€ (3noites) nao é o ideal mas não está mau

Compartilhar este post


Link para o post

Boa tarde pessoal e desde já, quero desejar-vos um excelente 2020!

Vou para a semana a Roma, e gostava de vos perguntar se alguém sabe o site mais viável para comprar bilhetes para museus, coliseu, entre outras coisas, antecipadamente. E também quais as que são mesmo um "must buy" antes de viajar.

Se souberem mais dicas que fujam ao tradicional de uma viagem turística, também é sempre bem vindo.

Fico desde já extremamente agradecido a quem responder.

Compartilhar este post


Link para o post
Citação de Chester, há 4 horas:

Boa tarde pessoal e desde já, quero desejar-vos um excelente 2020!

Vou para a semana a Roma, e gostava de vos perguntar se alguém sabe o site mais viável para comprar bilhetes para museus, coliseu, entre outras coisas, antecipadamente. E também quais as que são mesmo um "must buy" antes de viajar.

Se souberem mais dicas que fujam ao tradicional de uma viagem turística, também é sempre bem vindo.

Fico desde já extremamente agradecido a quem responder.

Obrigado amigo feliz 2020 para ti também.

Compartilhar este post


Link para o post

Berlim marcado para Abril. Só já não vou a Hamburgo, mas quero ver se faço uma escapadela a Dresden.

Compartilhar este post


Link para o post

Alugar carro em Bruxelas, alguém?

A minha ideia é fazer Antuérpia, Genk, Brugges e Dunquerque numa semaninha.

Compartilhar este post


Link para o post
Citação de kareca, Em 06/01/2020 at 23:23:

Alugar carro em Bruxelas, alguém?

A minha ideia é fazer Antuérpia, Genk, Brugges e Dunquerque numa semaninha.

estive lá agora na altura do natal, até estudei a opção do carro mas como a ideia (até pelo tempo) era ir só Genk e Brugge optamos por ir numa tour. (consegui 47€ pelos dois).

As vezes que aluguei o carro fora de Portugal (México, Croácia e Itália) tive sempre (pequenos) problemas lol

Compartilhar este post


Link para o post

Bom dia! 

Agora sou eu que venho pedir uma pequena ajuda. Já vi uns posts sobre a Tailândia mas queria saber mais algumas informações, visto que vou lá daqui a duas semanas, mais propriamente Bangkok, Kraby, arredores e Khao Sok. Alguém já foi a Khao Sok? Quantos dias recomendam lá parar? E em relação a dinheiro, vale a pena levar euros e trocá-los lá apesar de ter Revolut? Estava a pensar chegar às ilhas e alugar um hotel ou hostel só quando lá chegasse, o que acham?

Compartilhar este post


Link para o post
Citação de Adriano17, há 9 horas:

As vezes que aluguei o carro fora de Portugal (México, Croácia e Itália) tive sempre (pequenos) problemas lol

Tipo quê? Ao entregar o carro apontaram defeitos que já existiam?
Ou seguros?

Compartilhar este post


Link para o post
Citação de Malaik0, há 9 horas:

Bom dia! 

Agora sou eu que venho pedir uma pequena ajuda. Já vi uns posts sobre a Tailândia mas queria saber mais algumas informações, visto que vou lá daqui a duas semanas, mais propriamente Bangkok, Kraby, arredores e Khao Sok. Alguém já foi a Khao Sok? Quantos dias recomendam lá parar? E em relação a dinheiro, vale a pena levar euros e trocá-los lá apesar de ter Revolut? Estava a pensar chegar às ilhas e alugar um hotel ou hostel só quando lá chegasse, o que acham?

Lá por cada levantamento pagas um valor(200 baht geralmente). Também têm pagamentos minimos com cartão, ou seja, pagas um valor (depende dos sitios, mas apanhei geralmente 10% da fatura) por transação. Acho que deves levar euros e caso seja necessário utiliza o cartão.

Compartilhar este post


Link para o post

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   O conteúdo anteriormente introduzido foi recuperado..   Limpar

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Entre para seguir isso  

×
×
  • Criar Novo...