Ir para conteúdo
What

Tópico da Política, Ambiente e Economia

Publicações recomendadas

Quando fui para Bragança só havia IP4, e de Amarante a Bragança a viagem era tenebrosa. O governo que decidiu estender a A4 até lá está de parabéns porque a qualidade da viagem melhorou da noite para o dia. Até tenho pena dos pobres que tiveram de usar a nacional para ir para trás-os-montes, só a subida do Marão nunca mais acaba em curvas e contra-curvas.

O comboio, pelo que sei, faz parte de um plano de ligar todas as capitais de distrito por linha ferroviária, o que já não acontece em Bragança desde 1992.

Compartilhar este post


Link para o post

Eu pra ser honesto so quero mesmo e' comboio de pacos para o porto. 😁

Compartilhar este post


Link para o post
Citação de Mica, há 18 minutos:

Quando fui para Bragança só havia IP4, e de Amarante a Bragança a viagem era tenebrosa. O governo que decidiu estender a A4 até lá está de parabéns porque a qualidade da viagem melhorou da noite para o dia. Até tenho pena dos pobres que tiveram de usar a nacional para ir para trás-os-montes, só a subida do Marão nunca mais acaba em curvas e contra-curvas.

José Sócrates vai integrar o Conselho Geral da UBI @ UBI

 

Aquele troço do Marão era um desafio hercúleo. Bendita a hora em que foi construído o Túnel do Marão. É provavelmente uma das obras mais estruturantes de Trás-os-Montes nas últimas décadas. 

Compartilhar este post


Link para o post

Também achava que tinha sido esse Governo, mas como essas coisas costumam demorar a arrancar, podia ter sido o PSD de Barroso/Santana.

Não obstante, uma ligação de alta velocidade até Trás-os-montes poderia levar muitos transmontanos a trabalhar no Porto, ou melhor, pessoal do litoral a deslocar-se para o interior sem mudar de emprego. Não diria que se trata de um investimento redundante ou desnecessário.

Compartilhar este post


Link para o post
Citação de Mica, há 4 minutos:

Também achava que tinha sido esse Governo, mas como essas coisas costumam demorar a arrancar, podia ter sido o PSD de Barroso/Santana.

Não obstante, uma ligação de alta velocidade até Trás-os-montes poderia levar muitos transmontanos a trabalhar no Porto, ou melhor, pessoal do litoral a deslocar-se para o interior sem mudar de emprego. Não diria que se trata de um investimento redundante ou desnecessário.

Quem diz Trás-os-Montes diz qualquer região do interior do país. 

É imperial melhorar/criar acessos decentes em todo o país.

Liberta as cidades, desenvolve o interior, etc, etc.

  • Like 3

Compartilhar este post


Link para o post
Citação de Carmelo Anthony, há 40 minutos:

Aquele troço do Marão era um desafio hercúleo. Bendita a hora em que foi construído o Túnel do Marão. É provavelmente uma das obras mais estruturantes de Trás-os-Montes nas últimas décadas. 

uma vez vinha do Porto para Tras os Montes, à noite e algures pouco depois de Amarante o IP4 estava cortado (havia acidente) e estava tudo a ser desviado para a Nacional (acho que a N15) e isso sim, subir o Marão pela nacional foi de suar dos colhões. Até fiquei a pensar "olha que o IP4, afinal..."

Uns anitos depois abriu o tunel e de facto cortou a distância em muito. Em pouco mais de uma hora uma pessoa vai do Porto a Mirandela, o que era impensável há uns anos. 

Compartilhar este post


Link para o post
Citação de Seferogol, há 21 horas:

Nos último, pelo menos. Isto contando que a taxa de SS existe.

A contribuição para a SS não é um imposto nem é dar dinheiro ao Estado. Ou melhor, é, mas ele retorna a nós na altura da reforma, ou em situações de desemprego, baixa, etc.

Compartilhar este post


Link para o post

O problema de Bragança foi não se ter puxado a linha de TGV espanhola que agora passa em Puebla de Sanabria para lá. 

Diz-se que era o que os espanhóis queriam, que a linha entrasse em Portugal e fosse por Bragança e penso que Chaves e depois voltasse a Espanha novamente. Pela UE a coisa fazia-se e tenho a ideia de até darem mais dinheiro por ser um projecto entre 2 países. No entanto, diz-se que o governo português não mostrou nenhum interesse e então os espanhóis foram por outra via. 

Compartilhar este post


Link para o post
Citação de Peplin, há 1 hora:

A contribuição para a SS não é um imposto nem é dar dinheiro ao Estado. Ou melhor, é, mas ele retorna a nós na altura da reforma, ou em situações de desemprego, baixa, etc.

Isso é menos verdade nos escaloes mais altos do IRS porque apesar de pagarem uma percentagem fixa, existe um cap para o que recebes do fundo do desemprego e mesmo a nivel de reforma...

Ja ha varios paises na Europa onde isso mudou, na Alemanha, descontas x para a SS mas quando chegas ate um certo nivel salarial, e tudo acima desse braket é social security free. A mesma coisa acontece na parte da saude, é obrigatorio ter um seguro de saude, mas podes optar pela privado em vez do estatal. Isto é o mesmo em todos os paises da Escandinavia com a excepcao da Suecia (acho eu)

Nao se pode querer ter em Portugal o mesmo nivel de impostos que esses paises mas esquecer os benefecios para quem tem maiores rendimentos.

O problema de Portugal e a razao porque muita gente imigra é nao so o nivel salarial mas tambem a carga fiscal...reter talento é a coisa mais importante para um pais e nao é por acaso que agora quem regressa a Portugal tem uma reducao de 50% na taxa de IRS nos primeiros 5 anos depois de regressar (depois de 5 anos é para emigrar outra vez)

  • Concordo! 1

Compartilhar este post


Link para o post

Justificar a proteção do ambiente com este roubo é mesmo atirar o barro à parede a ver se cola. c*brões

  • Like 2

Compartilhar este post


Link para o post
Citação de Burkina2008, há 20 minutos:

Isso é menos verdade nos escaloes mais altos do IRS porque apesar de pagarem uma percentagem fixa, existe um cap para o que recebes do fundo do desemprego e mesmo a nivel de reforma...

Ja ha varios paises na Europa onde isso mudou, na Alemanha, descontas x para a SS mas quando chegas ate um certo nivel salarial, e tudo acima desse braket é social security free. A mesma coisa acontece na parte da saude, é obrigatorio ter um seguro de saude, mas podes optar pela privado em vez do estatal. Isto é o mesmo em todos os paises da Escandinavia com a excepcao da Suecia (acho eu)

Nao se pode querer ter em Portugal o mesmo nivel de impostos que esses paises mas esquecer os benefecios para quem tem maiores rendimentos.

O problema de Portugal e a razao porque muita gente imigra é nao so o nivel salarial mas tambem a carga fiscal...reter talento é a coisa mais importante para um pais e nao é por acaso que agora quem regressa a Portugal tem uma reducao de 50% na taxa de IRS nos primeiros 5 anos depois de regressar (depois de 5 anos é para emigrar outra vez)

Mas isso sempre foi assim e acho que faz sentido que seja. A diferença em valor absoluto entre o ordenado e a reforma/subsídio de desemprego é maior quanto maior for o valor do rendimento, mas também a capacidade de poupança é superior, portanto uma pessoa que tinha um vencimento de 10000 €/mês será menos dependente da sua reforma do que uma pessoa que tinha um vencimento de 1000 €/mês.

Independentemente disso, concordo contigo, mas infelizmente a carga fiscal em Portugal decorre também do tipo de economia que temos e da incapacidade que temos para transformá-la, atraindo mais emprego qualificado e de mais elevada remuneração.

Ainda não há muito tempo apanhei uma notícia que falava dos escalões de remuneração do emprego criado nos últimos meses e era assustadora a percentagem de emprego criado com vencimentos abaixo dos 1000 €.

 

Compartilhar este post


Link para o post
Citação de Mica, há 4 horas:

Quando fui para Bragança só havia IP4, e de Amarante a Bragança a viagem era tenebrosa. O governo que decidiu estender a A4 até lá está de parabéns porque a qualidade da viagem melhorou da noite para o dia. Até tenho pena dos pobres que tiveram de usar a nacional para ir para trás-os-montes, só a subida do Marão nunca mais acaba em curvas e contra-curvas.

O comboio, pelo que sei, faz parte de um plano de ligar todas as capitais de distrito por linha ferroviária, o que já não acontece em Bragança desde 1992.

A viagem Porto - Tras-os-Montes nos 90 era o terror. Era puto e posso estar a exagerar mas julgo que com a familia chegamos a demorar umas 6 horas até Bragança, passava-se nas miticas "curvas de Murça", curvas e contra curvas para os putos virarem o barco. Era qualquer coisa. 

Depois no IP4 era aquele terror constante na descida do Marão para ambos os lados. Nos ultimos anos nas zonas mais criticas reduziram para uma só faixa, mas lembro-me dos filmes de camiões e camionetas por ali abaixo, pqp.

Editado por antifa

Compartilhar este post


Link para o post
Citação de antifa, há 9 minutos:

A viagem Porto - Tras-os-Montes nos 90 era o terror. Era puto e posso estar a exagerar mas julgo que com a familia chegamos a demorar umas 6 horas até Bragança, passava-se nas miticas "curvas de Murça", curvas e contra curvas para os putos virarem o barco. Era qualquer coisa. 

Depois no IP4 era aquele terror constante na descida do Marão para ambos os lados. Nos ultimos anos nas zonas mais criticas reduziram para uma só faixa, mas lembro-me dos filmes de camiões e camionetas por ali abaixo, pqp.

Confirmo as 6 horas porque eu próprio já fiz o trajeto da N15, desde Bragança ao Porto, e o tempo de condução foi cerca de 5:30.

O IP4 no Inverno era perigosíssimo.

Compartilhar este post


Link para o post
Ainda me lembro quando de Bragança a Lisboa eram 9 horas de distância. Naquela altura, só queria um avião para lá ir mais amiúde.
  • Like 4

Compartilhar este post


Link para o post
Citação de manfrenjensenden, há 4 minutos:
Ainda me lembro quando de Bragança a Lisboa eram 9 horas de distância. Naquela altura, só queria um avião para lá ir mais amiúde.

Não era com a miuda? :espanto:

Compartilhar este post


Link para o post
Citação de manfrenjensenden, há 11 minutos:
Ainda me lembro quando de Bragança a Lisboa eram 9 horas de distância. Naquela altura, só queria um avião para lá ir mais amiúde.

gif version | Ah, I See You're a Man of Culture As Well | Culture, Memes,  Find someone who

  • Like 2

Compartilhar este post


Link para o post

Temos taxas muito elevadas no ramo energético, com o preço dos combustíveis a subir, penso que teremos de baixar essas taxas e possivelmente compensar noutros lados. A meu ver pode-se tornar insustentável se os preços continuarem a subir. Espanha por exemplo tem 61% de imposto na eletricidade e vai baixar para 50, nós temos 64% e não temos planos para baixar para já. 

Editado por Ticampos

Compartilhar este post


Link para o post
Citação de Ticampos, há 7 minutos:

Espanha por exemplo tem 61% de imposto na eletricidade e vai baixar para 50, nós temos 64% e não temos planos para baixar para já. 

E cortar nos subsídios e regalias que eles têm? Ye right

Compartilhar este post


Link para o post
Citação de Ticampos, há 10 minutos:

Eras um caso isolado, obviamente. 

Não sou o único 🤣

 

Citação de manfrenjensenden, há 9 minutos:

 

Se o resto da música é sobre ir ter com a Maria, como é que ela fazia a viagem com ele? 😅

Pois 😅

  • Concordo! 1

Compartilhar este post


Link para o post

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisa de ser membro desta comunidade para poder comentar

Criar uma conta

Registe-se na nossa comunidade. É fácil!

Criar nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Autentique-se agora

×
×
  • Criar Novo...