Ir para conteúdo

Legi

Membro da Comunidade
  • Total de itens

    5.300
  • Registo em

  • Última visita

  • Pontos

    569 [ Doar pontos ]

Tudo que Legi publicou

  1. “Cruzei-me com ele uma vez na vida, há pouco mais de um ano. Na condição de bracarense e adepta braguista. É um Ser Humano marcante, dos que não se esquecem. Pela simpatia, pelo respeito, pela empatia e boa disposição. O desporto perde muito mais do que um desportista. Perde um Ser Humano cheio de valores. Não sei brincar assim. Tristeza profunda! ️” escrevi isto numa página conhecida. Não tenho palavras para a tristeza que me assolou quando me disseram, ainda sem notícias confirmadas. sem palavras
  2. Somos dois mas cá entre nós, duvido que o Braga tire pontos ao sporting.
  3. Não me parece que alguém vá conseguir retirar os pontos de vantagem ao Sporting. Temos a nosso favor, apenas e só, a alma que a equipa traz para dentro de campo. mas quem me dera que tivesses razão
  4. Não te consigo citar @Mesut Ozil um beijinho e obrigada
  5. Já está melhor? Coitadinha. Eles ficam desorientados
  6. Deve estar mesmo com dores. Tens de falar com o veterinário
  7. Só interiores. esta malta acha que eu tenho idade para os aturar
  8. Os racistas já existem, encontram é alguém que lhes valide o discurso
  9. Claro que não há nada escrito, é preciso ter dois dedos de testa. Votar num facho nunca é um voto de protesto
  10. Meh 6/10 Vou já abandonar que isto hoje em dia já se sabe que o confronto de ideias e rebate de opiniões não é bem entendido
  11. Lol realmente peço desculpa, nem dar mão dentro da área é penalty, quanto mais expulsar alguém por conduta anti desportiva. É caricato como para vocês pouco importam as regras mas a interpretação que vos apetece fazer delas. But hei, surpresa, as regras existem e são aplicadas em casos específicos, não é o caso que define a regra. Pra começar falas direito comigo que não te conheço de lado nenhum. em segundo, ressalvo o que disse anteriormente, as regras existem para serem cumpridas.
  12. Estás a confundir, meu caro. conduta anti-desportiva dá expulsão. “Conduta violenta” seja ela com um adversário ou com alguém da própria equipa dá expulsão.
  13. Completamente. Tem sido dos melhores jogadores em campo em todos os jogos. Uma garra, uma vontade, que não se vê muito nos restantes. É tudo dele E essa cena do Pepe não deveria dar expulsão para os dois?
  14. Oh xuxu, não entendeste o alcance. Quando queremos tirar votos acabamos por dar aos mais fracos, sabendo que não terão grande impacto na decisão mas que mostrando que preferimos aquilo a qualquer um deles. E o Tino acima de tudo é genuíno, bem merecia esse reconhecimento. votar no av é alimentar o monstro, achar que ele é fofinho porque é pequenino e fazer uns miminhos. Quando ele crescer ninguém o vai domar. Dracarys. Já diz o ditado “vota txiririca, pió do que istá num fica “
  15. Essa de que o voto em Ventura é um voto de protesto faz-me rir. Voto de protesto é no Tino, que sabemos que é genuíno mas que nunca la chegará. Esse é um voto de protesto. Quem vota Ventura é porque se identifica com o discurso
  16. Ainda estou de ressaca. Sinto que fui para a noite, me embebedei, me deitei às 6 da manhã e me levantei às 7 ainda bêbeda.
  17. A acenar ao Rio mais uma vez. Estes gajos criaram um monstro e vão ter de levar com ele. vou vomitar
  18. Escrevi isto no Facebook, não consigo acrescentar mais nada. Mas estou profundamente triste: “Mais do que tudo convém ressalvar: ganhou a DEMOCRACIA! E isso não nos pode ser retirado. Ganhou a liberdade, ganhou o respeito, ganhou a igualdade. No entanto não deixa de ser relevante ver tantos votos num partido fascista que, embora tenha perdido claramente as suas ambições, são motivo de reflexão para todos nós. Vivemos num país que há bem pouco tempo viveu uma forte ditadura. Um país que tem ainda de viva voz relatos de pais, de avós, de tios, de vários familiares que tiveram de passar pela privação, por opressão e intimidação por parte de uma política ditatorial. São relatos reais, são relatos vivos de quem nos trouxe até aqui. Não são histórias da história. São histórias de quem nos é tão próximo. Vivemos num país onde se marca o 25 de Abril todos os anos. De forma bem vincada e orgulhosa. Vivemos num país de classe média que votou num partido que defende o fim da escola pública - quer oferecer as escolas aos professores e o povo que pague; que votou num partido que quer acabar com o serviço nacional de saúde: aquele sistema que é dos melhores da Europa, que nos trata a todos por igual sem termos de ter um seguro milionário; que votou num partido que quer acabar com o direito a sindicatos por parte das forças policiais- aquele direito que ganharam na célebre manifestação secos - molhados; que quer igualar impostos entre ricos e pobres sabendo que só criaria um fosso ainda maior entre classe rica e pobre e que acabaria com a classe média; que votou num partido que tenta manter bem perto de si as forças militares -apesar das contradições- fazendo-nos lembrar que os golpes de estado só são possíveis com elas como aliadas; que votou num partido que nos quer calados. Vivemos num país que se orgulha de ser frontal e de dizer o que bem lhe apetece mas que votou num partido opressor. Todos estes votos que para muitos são entendidos como “voto de protesto” são o alimento que lhes dá força para continuarem a sua luta absolutamente desprezível! Que os governantes de hoje entendam que não está tudo bem e que o caminho é longo, desafiante e sinuoso. Que esta democracia pede mais e melhor. Mas nada disto serve de desculpa para se votar num fascista, num ditador, num candidato tão inconstante como aquele que nos foi apresentado. Não se desculpabilizem pela opção que tomaram, considerando-se democratas. Deram voz a um fascista e vão ter de viver com ele. Precisamos de memória! Precisamos que as reivindicações surjam mas no sítio certo e na hora certa. Precisamos de gente activa na democracia. Resistência! 25 de Abril sempre! Para que a voz nunca nos falte”
  19. E em Beja? Ficou à frente do João Ferreira
×
×
  • Criar Novo...