Ir para conteúdo

rifeiro62

Membro da Comunidade
  • Total de itens

    52
  • Registo em

  • Última visita

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está a ser visualizado por outros utilizadores.

  1. Capítulo II (Parte 1) - Consolidar em campo, continuar a crescer fora dele Depois de uma primeira época indiscutivelmente bem sucedida, é tempo de não querer dar um passo maior que a perna e não criar grandes expectativas com base naquilo que foi a temporada de estreia. Temos que criar estabilidade no plantel, arranjar uma base sólida para à volta disso irmos tornando a equipa cada vez mais forte. A prova disso está no plantel para 22/23, que conta com muitos jogadores que vêm da temporada transata (alguns tinham chegado em janeiro) e que através da sua antiguidade no clube vão acolhendo os recém-chegados. Um plantel bastante extenso mas que conta com muitos jovens da nossa formação que vão treinando junto aos mais velhos e ao fim de semana jogam pelos Juniores ou pelos Sub-23 (equipa recém-criada que vai jogando amigáveis contra equipas seniores até atingirmos um patamar que permita a inscrição na Liga Revelação) para terem o ritmo de jogo que precisam para evoluir e a curto/médio prazo serem soluções para a equipa principal, como é o caso do Augusto Sousa que tem já alguns minutos. Antes de irmos aos resultados, dar um ponto de situação a nível das condições de trabalho do Alentejo FC SAD. Mais um pequeno investimento nas condições de recrutamento, culminando num conjunto de infraestruturas que se encontra assim: Segundo ano de existência, na Divisão de Elite da AF Évora (5º escalão nacional), é notório o crescimento que esta jovem instituição está a ter, dentro e principalmente fora das quatro linhas, fazendo inveja a muitos clubes dos campeonatos nacionais. Neste momento contamos com estrutura profissional o que nos ajuda bastante a compensar a baixa reputação que ainda temos. Vamos agora ao que interessa: resultados! Uma pré-época muito positiva onde defrontámos alguns adversários de escalões superiores (destaque para a vitória por 4-1 frente ao Oriental Dragon da... Liga 3) e, sem revolucionar a nível tático, preparámos a equipa para a nova temporada. Pré-época Se a fase de preparação foi bastante positiva, o mesmo não se pode dizer do arranque oficial. Eliminados da Taça de Portugal em casa pelo Olímpico do Montijo, num jogo onde a eficácia não quis nada connosco, e perdemos a Supertaça Distrital nos penáltis para o Atlético SC. No Campeonato, não temos, como é lógico, a superioridade da temporada passada, mas o balanço é muito positivo. 1º ano neste escalão e continuamos invencíveis até ao fecho de 2022. Na Taça entrámos com o pé direito mas escorregámos forte e feio na receção ao Alcaçovense terminando a nossa participação nos Oitavos de Final. Jogos oficiais Feitas as contas, fechamos 2022 no 1º posto igualados com a Juventude SC mas com menos um jogo o que nos deixa as portas abertas a uma liderança isolada do campeonato. Classificação do Campeonato Para já, é mais que legítimo sonhar, veremos se o mercado de inverno traz novidades e se a segunda metade da época acompanha a primeira e nos leva a um desfecho histórico. Grande abraço a todos e vemo-nos na próxima semana com mais novidades da #PaixãoDoAlentejo!
  2. Boas a todos. Obrigado pelo vosso feedback e desculpem a demora para atualizar o tópico mas a ultima semana fugiu do meu controlo e não consegui avançar com o save tanto quanto queria para vos trazer uma atualização mais completa. Em relação à profissionalização, aconteceu mesmo para minha grande surpresa e satisfação, depois na atualização mostro. Vem aí mais uma época, agora mais desafiante mas cada vez mais próximos dos patamares onde queremos estar. Grande abraço, volto nos próximos dias 😉
  3. Capítulo I (Parte 3) - Não merecíamos outro desfecho Fecham-se as cortinas e o final não podia ser outro, nem tão brilhante! Ainda antes do término da temporada, conseguimos que o presidente Matteo aceitasse mais um pedido (o último) e a nossa formação teve direito a mais uma melhoria, neste caso a nível do recrutamento, mais um pequeno passo para nos afirmarmos como uma Academia de sucesso. Concluída 2021/2022, é tempo de fazer o balanço. Numa segunda volta com mais pontos desperdiçados em relação à primeira, destaque mais negativo para a derrota com o Tourega e mais positivo para a "vingança" frente à União de Montemor "B", não deixou de ficar explícito quem era o verdadeiro tubarão do campeonato. Para dar ainda mais brilho à primeira época da nossa história, conseguimos uma inédita dobradinha com a conquista da Taça Distrital eliminando três adversários da divisão superior. Encerramos assim as contas com 68 pontos em 84 possíveis e uma vantagem pontual de 9 pontos para o 2º classificado. Nas contas individuais, os grandes destaques são, sem qualquer margem, o Diogo Mancilha, a estrela da equipa, e o Daniel Carvalho, a muralha do Alentejo! Para encerrar este primeiro capítulo, dois presentes do presidente. Somos oficialmente uma estrutura profissional, algo que a mim pessoalmente me agrada muito porque já não tenho que estar constantemente ao longo da época a oferecer novos contratos aos jogadores para os convencer a ficar, tenho agora uma estabilidade muito boa para crescer. Por fim, um novo vínculo, de dois anos, para podermos levar o Alentejo até ao Campeonato de Portugal e por lá consolidarmos o nosso estatuto no futebol nacional. Termina assim esta Capítulo I da #PaixãoDoAlentejo. É continuar a conquistar, obrigado a todos pelo vosso feedback!
  4. Temos que fazer jus ao investimento e às expectativas que esse investimento cria 😉 Não sou de dar nada por garantido até estar concluído mas pelo futebol que vejo a equipa praticar, mesmo nos jogos com resultados mais curtos, e pela vantagem que já levamos não tenho motivos para não pensar já no futuro. Ainda que não tenha qualquer ligação à região, apenas tive oportunidade de a visitar uma ou duas vezes, tenho o desejo de um dia ver aquele belíssimo "pedaço de ouro" do nosso país representado nos grandes palcos. Quem sabe se no futuro, não consigamos ajudar o Calipolense a atingir patamares elevados, veremos o que o save a médio/longo prazo nos proporciona 💪
  5. Capítulo I (Parte 2) - Começar a apostar no futuro Depois de um arranque de época promissor, concluímos a primeira metade da temporada e as coisas não podiam estar a correr melhor, dentro e fora de campo. Começando pela relação com a direção, em particular com o presidente Matteo, a vontade de fazer o Alentejo crescer é comum a todos e o reflexo disso está na disposição do presidente em abrir os cordões à bolsa para começar a investir nas infraestruturas do clube e nos objetivos propostos. Primeiro, um investimento de 1,7M€ para fazer crescer o nosso centro de treinos e de seguida lá conseguimos convencer a investir também na formação para que a médio/longo prazo se possam colher os primeiros frutos "Made in Alentejo". Com o peso que estes investimentos tiveram nas nossas contas, o "boss" assumiu por sua conta quase 90% do valor investido nas condições do clube o que é muito bom para não hipotecarmos o futuro do Alentejo FC ao investir no mesmo. No que a resultados diz respeito, não podia estar mais satisfeito. Com apenas 4 pontos perdidos em 39 possíveis e mais uma eliminatória na Taça vencida, seria absurdo, ainda que ambição no faça querer sempre vencer, não estarmos extremamente satisfeitos. Nos 2 jogos em que a vitória não nos sorriu, devo confessar que apenas o empate em Borba me ficou atravessado uma vez que a derrota em casa com a União de Montemor "B" não poderá ser considerada como resultado negativo. Porquê? Pelo mesmo motivo que todos sofremos no FM quando defrontamos equipas B, a União fez descer da sua equipa A (que joga no CP) vários jogadores para este encontro, ainda assim os meus rapazes deram luta até onde lhe foi possível. Chegado o final do mês de dezembro, partimos para 2022 com um incontestável 1º posto na classificação, algo que, mesmo faltando muito campeonato, confesso que já me deixa com algum conforto para começar a pensar na próxima temporada e com quem poderei contar numa eventual subida de divisão. Termina assim mais uma atualização desta caminhada da #PaixãoDoAlentejo. Um grande abraço a todos!
  6. Veremos, quanto tempo será necessário, até lá é disfrutar para que possa ser um save duradouro e com muitas conquistas 😁 Gosto de projetos com ambição, nem no FM podia ser diferente 😃 É esse o espírito! Obrigado a vocês pelo feedback!💪
  7. Obrigado a todos pelo feedback, vamos lá dar início a esta linda caminhada! Como todos os projetos, este não foge à regra e tem algumas regras e objetivos (mencionados abaixo) que quero cumprir. Capítulo I (Parte 1) - Primeiros passos Com o Alentejo FC inscrito nas competições distritais de Évora era importante encontrar um palco para jogar os desafios que se avizinhavam. Matteo reuniu-se com alguns clubes e inclusive com o executivo municipal e chegou a acordo com o Juventude SC (vulgarmente conhecido como Juventude de Évora) para realizar as suas partidas no Estádio Sanches de Miranda. Com um poderio financeiro excelente dado pelo nosso presidente, podemos ambicionar grandes conquistas, mas principalmente um crescimento com enorme segurança uma vez que a injeção de capital nos permite fechar as próximas épocas com valores positivos mesmo tendo despesas superiores às receitas. Como a organização de um clube envolve a resolução de vários assuntos ao mesmo tempo, começou-se a construir a equipa que dava os primeiros passos da história do Alentejo, começando pelo treinador, Vicente Queirós, jovem treinador que trabalhava em escalões de formação no distrito de Évora e tendo já o Nível I de treinador aceitou prontamente o desafio de comandar pela primeira vez uma equipa sénior. A nível de jogadores são estes os "guerreiros" que vão representar a nossa camisola: Guarda-redes e defesas / Médios e avançados Com plantel fechado, o Alentejo FC realizou uma pré-época tranquila mas um pouco insatisfatória na medida em que os vários ajustes na tática não permitiram ao plantel entrosar-se da melhor forma. Ainda assim, não foi impeditivo de um começo de época positivo com a passagem à fase seguinte da Taça Distrital e a conquistar de 4 pontos em 6 no início do campeonato. Resultados da pré-época, 1ª Elim. da Taça Distrital e primeiras 2 jornadas do Campeonato Terminamos assim os primeiros 3 meses desta aventura com a presença nos oitavos de final da Taça e em 2º lugar no Campeonato Veremos o que os meses de outubro e novembro nos reservam. Grande abraço!
  8. Boas e obrigado a todos pelas respostas e votos de boa sorte. Em relação à tag penso que já resolvi, caso contrário digam-me para eu corrigir, quero tudo conforme deve estar. Infelizmente não vou conseguir partilhar hoje o primeiro capítulo desta história porque ainda não consegui terminar de criar o clube no editor e testar tudo para ver se está ok. Ainda assim, apresento já o clube, o nome, emblema, cores e equipamentos. O clube Com toda a unanimidade das vossa sugestões, ficou inevitavelmente escolhido o Alentejo como destino para este novo clube, mais propriamente o distrito de Évora por ser o ponto mais central desta região. Nasce assim o Alentejo Football Club! Porquê em inglês? Bem, esta resposta já se torna cliché porque é sempre a justificação dada quando o fundador de um clube escolhe um nome estrangeiro para a instituição que funda, mas o objetivo é expandir não só o clube mas toda a região além fronteiras através do futebol. Emblema, cores e equipamentos Com as cores laranja e azul a representarem, respetivamente, o pôr-do-sol alentejano e as típicas casas da região, nasce, sobre fundo branco, o emblema do Alentejo FC! No mesmo, estão ainda representados um sol, representativo não só do já referido pôr-do-sol mas também das praias do Alentejo Litoral, e um chaparro bem como listas laranja em representação do equipamento do clube. Em relação aos equipamentos (apresentados abaixo), temos o principal de cor com riscas brancas e laranja, o alternativo branco com mangas azuis (representação das casas alentejanas) e um terceiro totalmente azul que representa o mar do litoral alentejano. Por hoje é isto que vos deixo, um grande abraço e conto convosco para embarcar nesta caminhada que se quer gloriosa para uma região tão bela do nosso país.
  9. 5 anos depois da última tentativa, volto ao CMPT para, desta vez, criar uma história para o EMEM com princípio, meio e fim (pelo menos, quero tentar). Já havia tentado por duas vezes mas por falta de tempo nunca consegui dar grande avanço aos saves e à partilha dos mesmos aqui. Para regressar, decidi criar um save para o qual vou precisar da vossa ajuda. Abaixo vou deixar o briefing e o "desafio" que tenho para vocês. Apresentação Matteo Saravia, 38 anos, empresário italiano com raízes uruguaias, residente em Portugal, em toda a sua vida profissional trabalhou no ramo imobiliário mas a paixão pelo futebol esteve sempre presente e o desejo de um dia criar um projeto seu cada vez se tornou maior. Em março de 2021, o sonho passou à realidade e Matteo deu os primeiros passos para criar um novo clube de futebol em Portugal, no entanto, restava um única dúvida, onde? É neste ponto que vocês entram. A decisão será vossa e é a partir desse ponto que se desenrolará o enredo que se espera que culmine na conquista de muitos troféus. Deixem nas respostas/comentários em que região (ou distrito) deve o clube ser criado e porque acham que deve ser essa a opção final. Os critérios de escolha serão (por esta ordem): 1 - Maior núm. de sugestões; 2- Melhor justificação para a localização sugerida. Nota: Sugestões aceites até às 14h de domingo. Próximo capítulo: Segunda-feira
×
×
  • Criar Novo...