Ir para conteúdo

Maffu

Membro da Comunidade
  • Total de itens

    23.150
  • Registo em

  • Última visita

  • Pontos

    2,112 [ Doar pontos ]

Sobre Maffu

  • Rank
    GOAT
  • Data de Nascimento 04-12-1993

Métodos de contacto

  • Website URL
    http://

Informação de perfil

  • Sexo
    Masculino

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está a ser visualizado por outros utilizadores.

  1. Essa venda de 1.5M é excelente. Estares em 2º logo a seguir a seres promovido é brutal e prova a excelente prestação que estás a fazer. Esse jogo com o Benfica
  2. Segunda Jornada England vs. Wales Depois do snoozefest da primeira jornada pediram-se alterações para o seleccionador inglês que ouviu os seus adeptos. Assim sendo, demos 1 chuto no 4-3-3 tradicional para uma das melhores disposições tácticas que irão ver nos próximos tempos. A vossa pergunta "Mas, Maffu, que crl é isso?" eu respondo "um work in progress". Queriam uma táctica spicy, arranjamos maneira de jogar com a táctica mais spicy possivel. Ofensivamente isto é uma beleza de ser ver, com a equipa a criar chances atrás de chances e a acumular ocasiões. Defensivamente é de rir, porque praticamente ninguém defende e é rezar que não dê m*rda. 6 pontos e temos pé e meio na próxima fase.
  3. Geylang Internacional? Ou não tão internacional. Estamos de cabeça levantada para novo desafio. A qualidade em Singapura é, incrivelmente, ainda pior do que nos últimos sitios em que estivemos. Em termos de guarda-redes e centrais... A única coisa que digo é que vai ser engraçado a quantidade de erros que vão acontecer por total incapacidade dos jogadores locais. Dito isto, altura de falar do mercado e apresentar o plantel que nos vai representar esta temporada. Nas saídas tivemos um grande total de 0€ recebidos. Na verdade, dispensamos todos os jogadores que recebiam demasiado para o que ofereciam ao plantel ou, de outro modo, era tão mas tão fracos que nunca iriam, realisticamente, ser úteis para a nossa forma de jogar. Nas entradas, aproveitei imenso o talento de uma academia australiana que, admito, encontrei durante os meus tempos no Kitchee. Já sabia quais eram os jogadores interessantes e, chegando cá, foi apenas ver quais deles estariam interessados em me seguir para Singapura. Guarda-Redes Elder chega da Austrália para ser o nosso novo nº1. É um guarda-redes bastante razoável para a realidade deste save. Os outros 2 espelham bem a qualidade dos guarda-redes locais, absolutamente nula. Defesas-Centrais Extreme makeover na zona central da defesa. Luo Xin veio porque... eu esqueci-me que os australianos contavam como asiáticos por jogarem nas competições asiáticas e fui a correr ver o melhor central asiático quando podia ter ido buscar 1 melhor. Hakeem foi um achado. O melhor central de Singapura que estava disponivel. Os outros dois, pronto. Lim foi o 2º melhor central disponivel. Se é bom? Não. Os outros são é ainda piores. Defesas-Laterais Tu sabes que a tua equipa é terrível quando vês os 2 laterais de 19 anos e pensas que são grandes estrelas para esta realidade. Porque, efectivamente, parecem grandes estrelas para esta realidade. Médios-Centro Aqui diria que há 3 jogadors aceitáveis. Chee Peikang é um médio-defensivo acima da média, o Ang Yew Teck é um construtor de jogo terrível mas terá de ser o que ha e o Owen não é grande coisa mas pronto, foi o melhor que se arranjou. De resto temos 1 gajo tecnicista com 3 de velocidade e temos 1 dos piores jogadores que já vi neste save,com 4 de passe como médio-centro. Isto sim e a qualidade média que encontrei cá. Médios-Ofensivos Bem, o Hearle para esta realidade é um Deus do crl. Curiosamente, os 2 elementos de rotação nem são absolutamente terriveis para esta realidade. Em caso de extrema necessidade, até podem criar jogo ali no meio-campo. Extremos Deixo qualquer tipo de comentários para vocês, face a qualidade aqui apresentada. Roslan e Haiqai devem começar como títulares. Pontas-de-Lança O Taylor é um avançado forte que, pronto, é melhor que a realidade. Curiosamente, não acho o Ismail horrível. A maior parte deste plantel é terrível, querem que diga o que? Isto foram jogos contra equipas de Lower Division. Muito pouco convincente e com a equipa a jogar razoavelmente mal. Há muito que melhorar. Bem, em 4 jornadas vamos já saber o nível a que a equipa se encontra. Apanhamos os LC Sailors, provavelmente a melhor equipa local e, a fechar o mês, recebemos o Albirex. Em 4 jogos muito se vai descobrir sobre as nossas aspirações para este ano. A direção está pouco confiante e pede, apenas, o 4º lugar. A previsão mete-nos em 2º, com 3.40 de odd, atrás do Albirex (S) que se encontra com 2.00
  4. Se a qualidade for tão boa quanto no FM, percebo bem o convite. O FM que, aliás, está errado. Ainda tem a estrutura de 2021 com 21 jogos e não a de 2022 com 28 jogos.
  5. Engraçado como, em Singapura, o principal desafio é uma equipa satélite japonesa. Faltam mais duas ligas. Singapura e India. Depois disso vai ser o 1º capítulo em solo europeu... Se lá chegar. É uma das duas melhores equipas (se contarmos com o LC Sailors) que podia ter vindo calhar, não contando a clara favorita. Mas, agora, é criar um plantel usando bem as vagas para estrangeiros. Cumprimos sempre as normais locais! Dentro do possível... It's fun to stay on the YMCA? Nós perdemos a final da AFC Cup, não vencemos. Neste desafio não podia seguir para os Paises Baixos. Segundo as minhas regras vou "tentando" ir fazendo por ligas mais baixas. Não me estou a cingir a reputação atrás de reputação, estou antes a fazer blocos continentais. Este é o bloco continental Asia 1, futuramente regressaremos para o Asia 2 (com China, Australia e Coreia do Sul). Só daqui a umas 40 ligas é que posso treinar nas principais ligas (que só estão carregadas para manter o nucleo de jogadores jogáveis aceitáveis).
  6. Esse 2º lugar, apesar da quebra, ainda dá mais que possibilidades para conseguires a subida, pelo que sonhar não custa. Pena essa perda de 3 titulares, a ver vamos se a equipa não se ressente ainda mais de se perderem.
  7. Interessante a forma como vais para uma equipa sub-18. A ver vamos como desenvolves isso.
  8. Surreal essa partida na taça, mas são jogos que quem joga FM já se habituou.
  9. 4-3-3 tradicional que a gente não conhece o 4-4-fucking-2. E um autentico assassinato ao futebol. Dois lances de relevo, um que dá golo anulado e outro que da golo na sequencia de um livre lateral. Dos piores jogos de futebol que vi na vida, 1-0 e vitória fácil.
  10. Capítulo IV 1 de Junho de 2026. Dia em que apresento demissão e saio do Kitchee, a procura do novo desafio. Com 3 títulos em 3 paises, certamente que a oportunidade estará já aqui ao virar da esquina e que vários clubes quererão dar uma oportunidade a um treinador campeão! É so encontrar o desafio certo. No dia 8 de Junho, a primeira oportunidade, com o Kashmir FC da India. Que enviou uma carta a agradecer o meu interesse mas, neste momento, não estaria a ser considerado para o cargo. Bem, quem perde são eles. Certamete que o Pailan Arrows... também disseram que a fase de entrevistas terminou e que não seria considerado. Agosto e Setembro passaram e... ninguém queria Matthew Wilson. O primeiro grande obstáculo a este save começava, nenhum clube parecia disposto, nas duas ligas que sobravam, a dar uma oportunidade ao português. Foi, em Outubro, que surgiu a primeira oportunidade! O Fortuna Sittard, clube que ocupa a última posição da Eredivisie, contactou Matthew Wilson. A surpresa foi enorme, não esperava que um clube de uma liga boa da Europa soubesse da minha existência. Infelizmente vai demorar uns 40 anos até a liga dos Paises Baixos entrar em equação. Foi no dia 17 de Dezembro, passado 5 meses da minha saída do Kitchee que, finalmente, uma porta se abriu. Geylang International, de Singapura, contrata Matthew Wilson como seu novo treinador. Um desafio enorme no 3º classificado da última liga. A qualidade em Singapura é, provavelmente, inexistente. Após ver os planteis fiquei com a impressão que é ainda pior do que nos 3 últimos desafios... onde já não era muita. O Albirex (S) tem dominado a liga de Singapura. Trata-se de um clube satélite de uma equipa japonesa que tem regras de inscrição diferente, podendo inscrever jogadores japoneses (sub-23 senão estou em erro) em vez de jogadores de Singapura. Só esse facto torna-os os claros favoritos todos os anos. O nosso trabalho é simples, bater esta equipa do Albirex para subir ao 1º lugar da liga na próxima temporada. Existe algum dinheiro mas, acima de tudo, nenhuma das 4 vagas para estrangeiros está ocupada. Com o nível geral da liga a ser tão baixo, temos de aproveitar bem estas vagas em posições cirurgicas. Apresentarei o plantel após o mercado.
  11. Sempre. Foi o meu bónus. 25 de Abril do pais super democrático Coreia do Norte. De facto, esta vai ser, provavelmente, a competição mais fácil de vencer. Acontece. Não se pode ganhar sempre. Haverão, certamente, outras oportunidades. Eles têm dinheiro e tiveram sucesso graças a mim. Minimo que me podiam fazer.
  12. A Final da AFC Cup Yapp Hung Fai Tsui Hung Kwong - Leung Nok Hang - Campbell - Cann Kong Chi-Man - Yu Joy Win Ladstatter - Sasaki - Khan Wai Lam Eram estes os 11 escolhidos, no nosso 4-3-3 tradicional, para tentar vencer a AFC Cup, perante o Tishreen. Havia enorme nervosismo entre os jogadores e adeptos, com a possibilidade de um histórico titulo asiático. Pontapé de saída para nós. Bola no meio-campo adversário, tackle do médio, sobra para o seu colega que bombeia para as cosas de Kwong. Batido, permite o centro a Samiyah que encontra a cabeça de Al-Nakdali. 0-1 aos 50 segundos. Era difícil pior começo. A equipa sentiu o golo e teve de correr atrás do prejuizo. Reagimos bem. Na reposta Ladstatter é encontrado e consegue um remate para boa defesa do guarda-redes. A passagem dos 10 minutos excelente combinação encontra Wai Lam isolado... mas desta vez, o homem golo não converte. O Tishreen reagiu aos 25, numa bela combinação que acabou sem grande perigo. Aos 27', nova combinação. Al-Nakdali encontra Assaf que, de primeira, devolve a entrada da area. Um pequeno toque tira Campbell do caminho e, no coração da grande área, remate cruzado. 0-2. Reacção imediata, com bola ao centro e Wu Lam descoberto. Novo falhanço. Continuavamos bom bola. Campbell tenta um passe longo interceptado com o central contrário a bombear para a nossa defesa desposicionada. Al-Nakdali encontra a bola e, isolado, não tem grandes dificuldades. 0-3. Quando a equipa já estava sem reação, o arbitro assistente levanta a bandeirola e assinala fora-de-jogo. Estamos vivos! Acabamos a primeira parte por cima. Mais duas situações em que podiuaos ter finalizado mas, nenhuma delas, acabou em lance de real perigo. 0-2 ao intervalo. Era preciso mais. A segunda parte começa da melhor forma possível. Recuperação defensiva, bola nas costas do lateral adversário e, desta vez, é Ladstatter que encontra Sasaki com um bom centro. Remate cruzado e... 1-2! O jogo mudou de figura. A equipa síria acabou por baixar linhas e tivemos enorme dificuldade em criar. Os minutos simplesmente seguiam, até a nova oportunidade chave. Ladstatter é encontrado ao segundo poste e tem um bom cabeceamento... mas falha o alvo. A partir daqui fomos ofensivos e carregamos. Bola nas costas da defesa e Al-Nakdali está isolado mas, desta vez, não acerta no alvo. Começamos a bombear bolas sem nexo. Aos 85', em desespero, uma bola perdida dá um contra-ataque perigoso. Bola sobra pra o extremo contrario que, felizmente, não acerta na baliza. Os últimos minutos passaram connosco a não ter bola e o Tishreen a esconder-la. Até que finalmente o apito final do árbitro soava. A AFC Cup vai para a Síria! Como recompensa, a direção pagou-me novo curso de treinador. Hong Kong está, oficialmente, na lista de países onde fomos campeões.É o 3º deste desafio, faltando agora 50. Singapura e Índia são os 2 países que se seguem.
  13. Principalmente quando o meu registo em finais era tenebroso. Vencer uma já é um passo na direção certa. Alguns jogos foram mais sofridos. Vamos ver. A final é, de longe, o jogo mais complicado da temporada. Mostra bem o desnível que existia entre nós e os adverários. Vencer todos os jogos acabou por ser algo natural. Tivemos dois ou três jogos que o final foi apertado e so resolvemos ai mas, globalmente, dominamos todos. Quando chegas a uma liga com um desnível deste acontecem destas coisas.
  14. A procura de taças e tacinhas Faltava poucos jogos para o final da temporada. Ainda assim, tinhamos 4 titulos pra conquistar. 2 taças, a liga e a AFC Cup. A equipa não podia estar mais confiante, os jogos acabavam quase todos com desfecho positivo e, dentro de campo, tudo corria bem. Agora é esperar que tudo corra pelo melhor. Começamos a actualização contra um velho conhecido, o Persija da Indonésia. Entramos praticamente a vencer, com a grande penalidade, numa primeira parte em que pouco aconteceu, tirando um lance perigoso da equipa da casa que, mesmo assim, pouco ou nada assustou. Na segunda parte existiu futebol. O Persija tem 2 lances evidentes, onde empate, seguido de nós estarmos em vantagem. Tivemos a chance para, novamente, fazer o 3-1 e matar o jogo. Não o fizemos e, em 5 minutos, sofremos 2 golos. Perdemos 3-2 numa partida super equilibrada. Era obrigatório vencer. Entramos mal e sofremos, felizmente anulado. A partir daqui, um festival de golos falhados. Tivemos hipotese para marcar 3 ou 4 golos mas ninguém, nem a nossa grande estrela, conseguia meter a bola lá dentro. Foi um desespero total onde, quase parecia, que iamos ser FMed. Nos descontos fez-se justiça. Ladstatter, ao 2º poste, desvia para o 1-0 dando a nossa passagem por golos fora. Deviamos ter goleado. Precisavamos de um ponto para segurar o titulo. O Lee Man ainda assustou. Carregamos super bem e criamos chances mas, novamente, não tivemos eficazes. No segundo tempo, tudo mudou. Após o golo sofrido carregamos e dominamos por completo. Marcamos 3 golos e seguramos o título de Hong Kong, sem grande surpresa. Primeira final em Hong Kong. Primeira parte com um golo cedo. Quando se esperava algo, o jogo adormeceu, com 1 falhanço tremendo da equipa do Eastern AA. Na segunda parte há duas chances para nós, sem golo. De resto, o tempo passou sem momentos chaves. Estamos na final Fomos até a India defrontar o MHDN. Quase que era um jogo sem história. Voltamos a carregar de forma incrível e dominamos a partida. Marcamos 2, tivemos chances para marcar 5 e, no único remate contra de registo, sofremos e relançamos a eliminatória. Final da Sapling Cup contra o Lee Man. Estava algo recioso pela nossa incapacidade de vencer finais mas, desta vez, tudo se resolveu tranquilamente. Desde o primeiro minuto que só deu Kitchee. Podiamos ter marcado cedo mas tal não aconteceu. De resto, golo cedo e quase golo de seguida, anulado na sequencia de uma falta. Na segunda parte, novamente só deu Kitchee. Em 3 situações iminentes apontamos 2 e seguramos a vitória. Finalmente vencemos uma final! Na recepção ao Sham Shui Po demos 1 festival de golos falhados. Só de penalty lá chegamos. Outra daquelas exibições em que devia ter acabado em goleada mas a bola tardava a entrar. Apenas dizer que rodei toda a gente. Era um dos jogos mais importantes da temporada, perante o MHDN. E trememos. A equipa da India, na primeira parte, rematou algumas vezes mas, a maior parte, de longa distância. Nos criamos 2 chances e tivemos 2 falhanços imperdoáveis. A segunda parte começa com um aviso dos indianos e, de seguida, o 0-1. Soavam os alarmes mas, de seguida, apontamos o golo do empate. A partir daqui, mais do mesmo, ocasiões claras falhadas e muito mas muito desperdício. Ainda assim, estamos na final! Novo jogo sem história. Dominamos de forma clara, não dando nenhuma ocasião clara. Ao contrário, os 2 golos foram bem curtos ao que criamos. Meia-final importante perante o Southern District. Bem, não há muito a dizer. Eles tiveram 2 remates a baliza do meio da rua. Nos marcamos 5 golos e dominamos toda a partida. Há pouco a descrever quando o sentido dos jogos é rolo compressor e vitória fácil. Uma das piores primeiras partes que fizemos, onde apenas 1 remate para cada lado foi registado. Na segunda, as coisas ficaram bem melhores. Entramos e marcamos, tivemos uma chance, falhamos um penalty e, no lance a seguir, fizemos o 2-0. Depois, a resposta. Hipotese clara e falhanço seguida de a redução. Incrivelmente, a nossa defesa deu de seguida um erro tremendo para 1 falhanço do adversário que podia ter custado caro. No contra-ataque, "resolvemos" a partida. Óbvio que demos mais 2 lances iminentes onde deu 1 golo e sofremos imenso até ao final mas isso são outros 500s. Vitória fá... lol, nem pensar. O Eastern AA só se pode culpar a si. A primeira parte acaba em 3-0 com um dominio absoluto da nossa parte. Na segunda mãezinha. A equipa desligou da partida e viu autenticamente jogar, numa partida em que temos claras responsabilidades no que acontece. 3-0 é super super bom para nós, numa segunda parte em que, melhor qualidade no adversário, e tinhamos concedido o empate. Segunda (na verdade terceira), final. Até aos 25' nada aconteceu e estava super preocupado. Dos 25' aos 45' duas chances claras para nós. Obvio que não aproveitamos para haver DRAMA!!! O lance seguinte dá hipótese para o Resources onde o avançado não consegue chutar. Finalmente acordamos e resolvemos a partida. Iamos tremendo numa final de forma desnecessária. Bem, dominamos, temos uma média de mais de 3 golos marcados. Foi um dominio total, mais do que esperado. 17j 26 golos para a nossa grande estrela. Parece fácil. ORA, coisas importantes. Na última actualização esqueci-me de dizer que tirei mais um curso. Falta a final da AFC Cup, disputada a 05/05. Será perante o Tishreen, da Siria. Isso fica para o próximo post. E, como devem perceber pela SS, iremos deixar o Kitchee no fim do mês.
  15. Agora é tentar ganhar a competição asiática... Porque a liga está feita. A prioridade pode ser outra. E arrumamos de uma taça! Prova que em jogos decisivos a minha sorte é zero. Próxima época não estou cá. Isto com tanta liga não me posso dar ao luxo de ficar em equipas após ser campeão. Ainda falta acabar esta época. Foi para compensar a epoca passada. O ano passado foi ali até a ultima super sofrido. Este ano tentamos dominar tudo e, felizmente, conseguimos. Agora é ver quantos troféus conseguimos até final da temporada.
×
×
  • Criar Novo...