Ir para conteúdo

Genzo

Membro da Comunidade
  • Total de itens

    6.171
  • Registo em

  • Última visita

  • Pontos

    1,043 [ Doar pontos ]

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está a ser visualizado por outros utilizadores.

  1. Venho cá só dizer que concordo com o @Mayday em relação às escolas. Quanto ao @Burkina2008, é um espetáculo. Deve mesmo achar que o teletrabalho reduz 80% no fluxo diário dos utilizadores dos transportes públicos nas Áreas Metropolitanas. Se reduzes o número de autocarros, aumentas a procura do metro ou comboio, por todos aqueles que continuarão a ir trabalhar presencialmente e usualmente utilizavam o autocarro. Não tem nada a ver com o cumprem a lei ou não. Achas que todos os postos de trabalho abrangidos pelo teletrabalho têm condições para tal? https://www.mediotejo.net/covid-19-falta-de-meios-inibe-teletrabalho-na-camara-de-ourem/ https://www.mediotejo.net/covid-19-so-150-trabalhadores-poderiam-beneficiar-do-teletrabalho-garante-camara-de-ourem/ Na 3f à noite, o Carlos Daniel disse que um dos objectivos era reduzir para 4 milhões de portugueses que diariamente têm que circular para ir trabalhar/estudar. Com o fecho de escolas acima dos 12 anos, o número situava-se pelos 5M, aproximadamente. Com estas atuais medidas anda pelos 6/6.5M, por obrigação. Onde é que está grande parte desse fluxo? AML, AMP.
  2. Quanto aos transportes públicos, há relatos de que está a haver a redução em certos pontos, e eu falei, por exemplo, da Carris que, após o anúncio do confinamento, voltou para os horários de Verão com a tal redução da oferta. Ora, se reduzes a oferta de um lado, aumentas a procura nos outros, algo que nesta fase seria totalmente indispensável pois estás indiretamente a gerar mais nichos de contágio. E, além daquela do comboio, o metro é igual. Tudo em sardinha enlantada. Para que então aquela "regra" dos 2/3 de lotação se raramente é cumprida? A compra demora muito tempo, contudo és é capaz de ter por aí autocarros os quais eram usualmente utilizados em excursões, os quais que são capazes de estar a ser pouco utilizados nestes últimos tempos.
  3. Sim, é desta manhã. Houve uma avaria qualquer e provocou alguns atrasos. Mas nos outros dias, ainda se vê vários transportes públicos cheios. E a maioria daqueles deverá ir para o seu trabalho exclusivamente presencial. Mas, pronto, a culpa é dos cafés, restaurantes, ginásios, teatros, cinemas, comércio, passeios a pé, etc. Incrível como nunca foi dos transportes públicos.
  4. Foi quase crucificado em Março por ter entrado voluntariamente em quarentena, após um possível contacto. Desde aí já fez mais de 80 testes - acho que só os jogadores/árbitros de Futebol fizeram mais -, um deles recentemente deu positivo. Enquanto esperava por autorização para ir ao debate, andou a "passear" por Lisboa - viajar entre residências - e ainda se mostrou irritado com as autoridades de saúde em frente à televisão. Fez 3 testes posteriormente ao positivo, todos eles negativos e, após tanto ouvir dos outros candidatos ao poleiro, lá saiu de casa e tenciona ir ao seu concelho de origem votar. O cidadão Marcelo é um sortudo. O cidadão comum é obrigado a ficar 10 dias em casa após um positivo e não têm direito a 3(!) contra análises. É que já nem falo dos 80 testes.
  5. O Ti Manel convidou a Ti Maria para um cruzeiro no Douro de forma a festejar os seus 50 anos de casamento, só que a mulher, como enjoou uns anos antes quando foram de barco visitar as Berlengas, recusou o convite. O Armindo, graças ao seu trabalho, necessita de fazer viagens para o estrangeiro constantemente. Mas, devido ao 11 de Setembro de 2001, ganhou o medo de andar de avião e prefere ir de comboio. Uma pessoa pode morrer durante o sono. Será que devemos deixar de dormir? A sério que o assunto nas últimas páginas foi, novamente, os passeios higiênicos? Obrigado, eu bem queria como presente recuar no tempo, mas não era preciso voltarmos a Março de 2020. Agradecido na mesma. Amo este povo cego, que acha mais grave uma pessoa ir a pé, sozinha ou com o seu agregado familiar, com os devidos cuidados e distanciamento, dar um passeio de 20-40 minutos, do que, por exemplo, a redução de autocarros da Carris enquanto grande parte da população continua a ir trabalhar presencialmente, por a sua função não ser compatível com o teletrabalho, e deslocando-se para o seu local de trabalho tal e qual uma sardinha enlatada. É mais grave esta situação e propícia a novos contágios, que um simples passeio na sua aldeia. Já agora, aquela unidade hospitalar que iria servir de apoio a doentes de covid, já recebeu luz verde por parte do Governo para abrir? Os meios prometidos pelo Governo em Maio/Junho já chegaram? O cidadão Marcelo Rebelo de Sousa, após o "positivo/negativo/negativo/negativo" já sabe o que fazer? É que tanto dizem para sair em campanha, para não se esconder, ou para ficar em casa a dar o exemplo. E depois são os jogadores do Sporting que irão fazer um atentado à saúde pública se forem a jogo amanhã por um falso positivo.
  6. Não podes ir ao teatro mas podes ir à igreja, é isso?
  7. Falou agora dos supermercados. Acho que não vai chegar a todos.
  8. Foi a quente após a notícia da minha avó. But thanks pelas melhoras. @Vaart10 vou tentando suster, por vezes não é fácil. Já fiz a mea culpa ao @Mesut Ozil. Por isso, vou me focar só no que importa.
  9. Qualquer coisa que eu diga é sempre para desacreditar. Já vêm do tempo em que a visão clubística era diferente. Para eles sempre fui o clone de X, de Y ou de Z, malta que não adoravam. Nunca fui levado a sério. Mas caguei e andei. Por isso não me espanta. Agora só há o vírus no mundo. Só tenho que agradecer ao vírus por ter mostrado a podridão e o egoísmo que existe no mundo. Só pensam no seu umbigo e não se colocam na pele dos outros que poderão estar a sofrer, muitos em silêncio, sem ser diretamente por culpa do vírus. Basta não gostarem de alguém que tudo aquilo que essa pessoa falar é mentira. Eu até gostaria que assim fosse, mentira, era da maneira que o meu tio não tinha encontrado a mãe prostrada no chão sem qualquer tipo de reacção ao início da tarde. Até agora não tive mais notícias. Mas como não são eles que têm os pais a sofrer, é na boa. Eu não preciso de empurrão. Talvez um dia eles compreendem.
  10. Por o António Costa na primeira listagem por concelhos ter aberto precedentes. Alvaiázere, segundo o próprio, deveria constar da lista mas como o surto no concelho estava identificado num lar de idosos, o mesmo concelho ficou de fora. Além de ter mencionado a questão da baixa densidade populacional. E eu fui dos primeiros a mencionar a análise dos dados por zonas (como por exemplo aconteceu em LVT), regiões/ACES, e não por concelhos pois isso iria trazer ainda mais desigualdades. Uma coisa é tu teres uma habitação a cada canto numa aldeia, outra coisa completamente diferente é morares num apartamento com vários prédios à tua volta. Teres grandes centros urbanos a amarelo e um conjunto de aldeias pequenas a vermelho, meh. Fui dos primeiros a falar que se deveria procurar fazer testes unicamente para saber se a pessoa tem carga infecciosa ativa, pois é sabido que a mesma dura 7/8 dias. Nós podemos ir fazer um teste PCR e o mesmo dar positivo, mas se tivermos aparentemente bem de saúde e não tivermos carga infecciosa já ativa, porque raio é que temos que ficar isolados? Supostamente já não infetamos ninguém, razão a qual pela alta clínica ser ao 10 dia. É que com os atrasos que há a identificar os possíveis contactos, já passaram os dias com carga infecciosa ativa, podendo levar a que às pessoas que realmente infetámos já não estejam abrangidas no prazo pré-teste. O confinamento só vai destruir mais do que salvar. Apoios não vão chegar a todos, muitos vão para o desemprego a longo prazo, pois a seguir vem a crise económica e se agora já é difícil encontrar emprego, depois nem quero imaginar (eu dou a minha vaga na lista de espera). E nunca vai ser só 1 mês. Não esquecer que em Março já apanhamos a Primavera e temperaturas amenas. Agora estamos no pico do Inverno. Vamos lá ver, se estas mutações não vão prejudicar a vacina, se calhar ainda temos que a cada ano levar a pica. E, por este andar é para hibernar a cada Inverno. A vida é curta e vamos passar muito tempo mortos. Qual é a crise mesmo?
  11. E em cota parte é. Quantos e quantas é que fazem exatamente o mesmo por receio do vírus e de não serem atendidos? Quantos é que na primeira vaga deixaram os seus tratamentos de parte, alguns pelo receio do vírus? Pelos apelos dos médicos nos Telejornais a pedir para que os tratamentos não fossem interrompidos, dá para ter uma noção.
  12. O coitado do homem, idoso com passado oncológico, a modos que não fez caso logo, deixou andar. Foi à urgência depois quando a mulher descobriu. Ficou marcada a consulta para o especialista, contudo a mesma foi adiada. Eu expôs o caso na altura, não preciso de "tentar".
  13. Plano de Contingência do Centro Hospitalar da região. Admissões após essa hora, és transferido imediatamente para o único que não fecha se o caso for sério, o qual por curiosidade, é o único que recebe e interna doentes com covid. Why? I don't know that.
  14. Houve uma reportagem no Telejornal de ontem, creio, em que foi exposta a dificuldade em identificar todos os possíveis contactos de risco, em que as próprias entidades responsáveis por essa função, dizem não ter meios suficientes para tudo, deixando alguns potenciais contactos de fora. (aqui no fórum há users os quais podem comprovar as dificuldades que estão a ter com os inquéritos epidemiológicos) Algo que não acontece, por exemplo, na Dinamarca, onde rapidamente conseguem fazer todos os inquéritos epidemiológicos e assim detectar tudo atempadamente. (o Chicão tocou neste ponto após a reunião) Além disso, houve uma maior afluência de testes, por prevenção, no período anterior ao dia de Natal, sendo que com a demora dos testes PCR, alguns só tiveram conhecimento no pós-Natal. E não esquecer o pico do Inverno.
  15. Nunca se deveria adiar consultas, em primeiro lugar! Não se é "português de segunda" só porque não se têm o vírus. Há tratamentos e exames que têm que ser feitos de forma regular para conseguir controlar melhor os efeitos e potenciais alterações, inclusive em termos de medicação. Ah desculpe, ofendi quem achava boa ideia restringir a circulação entre concelhos, esquecendo que muitos o fazem para trabalhar e irão continuar a fazer mesmo com confinamento geral por não terem as regalias de quem pode ficar em teletrabalho.
×
×
  • Criar Novo...