Ir para conteúdo
Entre para seguir isso  
KO PrizeFighter

Pedido de conselhos aos misters cá do burgo

Publicações recomendadas

Boas malta,

Descobri o fórum há alguns anos, e nos últimos tempos tenho seguido com mais frequência, e chegou a altura de me registar.

 

Para começar bem pensei em partilhar um pouco da minha experiência e ver o que pessoas como o infinito, o Ibra ou o FabioK, que pelo que vou lendo são treinadores já com alguma experiência, me podem aconselhar.

Eu tenho 17 anos, vou frequentar o 12ºano a partir de setembro, estou no curso de Apoio à Gestão Desportiva, onde de resto, tenho uma média acima de 16. No início deste ano letivo, um professor que me tinha dado aulas no 10ºano veio ter comigo e convidou me para ser o adjunto dele no escalão de Traquinas B(sub8), pois naquelas conversas habituais de inicio de ano, quando estávamos a conhecer os professores, eu disse que queria ser treinador. Só para contextualizar um pouco mais as coisas, ao longo do 10ºano sempre fui bastante próximo daquele professor, sendo que era de mim que ele exigia mais, e em 4 módulos que me deu tive sempre 19.

Pode-se dizer que ele percebe bastante de futebol, já tem muitos anos de experiência, tem formação académica não só em futebol mas também em trabalho com crianças.

Aceitei o convite, claro. Além de ter a oportunidade de começar a minha ''carreira'', ia aprender com alguém que realmente percebe e logo no clube que era (não digo o nome do clube porque não seria muito correto, mas posso dizer que é o clube mais bem organizado do concelho, tem condições muito boas).

 

Ao longo da época nunca ligámos aos resultados, tínhamos o campeonato mas marcávamos quase sempre outro jogo para o fim de semana para todos os miúdos terem tempo de jogo equiparado (19 miúdos numa equipa de futebol de 7 é complicado), muitas vezes, até metíamos os mais fraquitos no jogo do campeonato se considerássemos que o outro jogo era mais complicado. Ainda assim fizemos duas vezes o 3º lugar (o campeonato tinha 2 fases).

Temos lá um grupo de 4/5 miúdos que podem chegar longe, um em especial. que sendo o 1ºano que joga consegue fazer coisas que juvenis não conseguem e tem uma inteligência muito acima da média.

 

Devido ao curso que estou a tirar no fim do ano houve a hipótese de fazer estágio no clube, mas aqui era mais para tarefas administrativas, o ponto fulcral é que deixei muito boa imagem e pode-se dizer que gostaram de mim. Convidaram me para no próximo ano continuar como adjunto na mesma equipa, que serão agora os Traquinas A (sub9) e também ficar com os Petizes (sub7). Queriam também que eu ficasse responsável pela comissão técnica do futebol de formação, e é algo que eu queria muito aceitar, mas é complicado, porque vai ser o 12ºano, tenho que fazer a Prova de Aptiadão Profissional, tirar a carta...e a comissão técnica ia me sempre tirar 2/3 horas todos os dias, fora os treinos dos 2 escalões. Para já aceitei os 2 escalões, o resto ainda tem que ser mais discutido.

 

 

 

Peço desculpa pela parede de texto, foi só para vos enquadrar, a minha dúvida reside no seguinte; eu quero mesmo ser treinador de futebol, mas o professor com quem andei a aprender um ano inteiro e vou continuar diz me que os cursos tirados na Associação de pouco servem e pouco ensinam, que o melhor era ir para a universidade.

Mas eu não sei se terei hipóteses (financeiras, subentenda-se) de ir para a universidade, e penso que todos os anos que demora a mais tirar o curso na universidade poderiam ser aplicados a experiência em campo, o que poderia ser tão ou mais benéfico que a formação académica que se recebe a mais na universidade.

No entanto tirar o curso de nível 1 na associação também tem um problema, porque para me poder inscrever tenho que ter pelo menos 36 jogos a partir de sub13, e eu não os tenho (joguei vários anos futsal, mas futebol so joguei 1 ano e pouco, até que tive uma lesão na coluna e tive que deixar de jogar), e depois em caso de haver mais inscritos que vagas há aqueles critérios de desempate que têm a ver com o que se fez enquanto jogador, e eu aí ia para o fim da fila.

 

Parece-me muito injusto que eu não possa vir a tirar o curso e seguir o meu sonho devido a uma lesão, porque não é obrigatório que tenha que se ter jogado para poder treinar, nem todos os treinadores têm que ser ex-jogadores, treinar não pode ser visto como uma profissão secundária.

 

Será que há maneira de contornar a questão dos jogos feitos para me poder inscrever? E o curso tirado na associação vale a pena, ou seja, quem tira na associação fica muito atrás de quem tira na universidade?

 

Gostava que me pudessem esclarecer

Editado por Dhast

Compartilhar este post


Link para o post

Bem-vindo!

 

Para começar, só para te dizer que ter 17 anos e já ter uma real motivação na vida é importante. A grande maioria das pessoas (e eu estava incluído nesse lote) não sabe bem o que quer aos 16/17, e muitas vezes pela força da mudança para a Universidade é que descobre realmente o que quer. Ou até muitas vezes, por lá.

 

Do que sei e do que leio, acho que o que podes obter na Universidade é crucial para chegares aonde queres chegar. O que adquires em termos teóricos é fundamental e são 3/4/5 anos (depende do curso) a interiorizar todos os conceitos e a estudares uma extensão muito superiores do que os cursos da Associação, que são muito menos horas. Já para não falar do que podes ganhar interagindo com colegas, e até mesmo fazer contactos para futuras colaborações, etc.

Se não estou em erro, e pelo que um colega que viveu comigo em Coimbra e tirou Ciências do Desporto, a melhor Universidade para isso é a FHM em Lisboa. Aliás, tenho ideia que por lá andaram muitos bons treinadores que temos na 1ª e 2ª Liga.

 

Pelo que dizes, parece-me que tens algumas dificuldades económicas em seguir de imediato para a Universidade, mas também se não fores para o ano isso não é o fim do mundo. Não falta quem faça um ou dois anos zeros, seja para melhorar notas, reforçar o seu currículo pré-universidade, falta de dinheiro ou outros motivos pessoais/sociais/profissionais. O meu conselho seria, primeiramente e caso vás para a frente com a Universidade, tentar a bolsa de estudo se é que é possível conseguir uma neste momento. Caso contrário, podias investir em conseguir um part-time para guardar dinheiro para as tuas propinas. Mesmo na Universidade também poderás conseguir um part-time inicialmente mas poderá ser muito desgastante caso não tenhas estrutura mental e organizacional para isso tudo. Mas o ponto fulcral é, e do que sei: investe na Universidade.

 

Quanto à questão dos jogos feitos para te poderes inscrever, eu não tenho certezas mas sei de malta que é treinador cá na terra que não chegou a ter jogos a partir de sub13. Acho que há associações que pedem e outras que não pedem. Mais, se tens uma lesão impeditiva também acho que deverá existir forma de contornar isso, nem que seja com uma declaração passada por um médico de família ou assim. Mas nessa questão outros como os que referiste poder-te-ão ajudar melhor :)

 

boa sorte com o teu sonho ;)

Compartilhar este post


Link para o post

Se não queres que se saiba que clube é, tira algumas informações, é que só com a do estádio cheguei lá, depois para confirmar fui só ver a classificação a ver se essa equipa tinha ficado em 2º com os mesmo pontos do primeiro.

Compartilhar este post


Link para o post

 

Se não estou em erro, e pelo que um colega que viveu comigo em Coimbra e tirou Ciências do Desporto, a melhor Universidade para isso é a FHM em Lisboa. Aliás, tenho ideia que por lá andaram muitos bons treinadores que temos na 1ª e 2ª Liga.

 

 

Não vás por aí. Hoje em dia a FMH é pouco mais do que nome, infelizmente.

Compartilhar este post


Link para o post

Há muitos treinadores que passaram pela FMH porque era a única da área em Lisboa. Entretanto já há mais duas... E que dão equivalências muito superiores.

Compartilhar este post


Link para o post

Nunca vais ser treinador de coisa nenhuma sem teres sido jogador da bola se não tiveres um curso superior na área. Pelo menos treinador a sério, que ganhe dinheiro e faça vida disso.

 

Se optares pelo curso superior, como me parece que é a única hipótese que tens, certifica-te que também te sentes confortável a fazer outras coisas na área, se não vai ser complicado.

Editado por Chandler

Compartilhar este post


Link para o post

Nunca vais ser treinador de coisa nenhuma sem teres sido jogador da bola se não tiveres um curso superior na área. Pelo menos treinador a sério, que ganhe dinheiro e faça vida disso.

 

Se optares pelo curso superior, como me parece que é a única hipótese que tens, certifica-te que também te sentes confortável a fazer outras coisas na área, se não vai ser complicado.

 

Obrigado pela opinião, de facto olhamos para os grandes treinadores e verificamos o que dizes.

Quanto há parte de fazer outras coisas na área estou à vontade, claro que tenho que continuar a aprender mas já estive envolvido na organização de vários eventos desportivos, tanto como responsável pela organização como como colaborador, desde BTT, natação, atletismo, futebol...e sinto que para a idade que tenho estou muito bem preparado nessa área, o que de resto consigo perceber comparando-me aos restantes alunos do meu curso.

 

Mas já agora, se alguém me puder esclarecer, está é uma matéria em que estou um pouco a leste de como funcionam, como é com os cursos superiores na área de desporto? Há educação física e desporto, gestão de desporto, ciências do desporto..(penso eu que é isto), mas e depois com as especialidades? Não sei se me estou a explicar bem, o que eu quero saber é se amanha me fosse matricular na universidade, com o intuito de me vir a formar em treinador de futebol. qual seria o percurso mais aconselhável?

Editado por Dhast

Compartilhar este post


Link para o post

Eu sei do que falas, o teu discurso podia ter sido escrito comigo com a mesma idade, percurso incluído. A diferença é que eu comecei a treinar um ano mais novo que tu e fiz o nível I com a tua idade, ainda antes dos 18 definidos pela regulamentação. O teu curso é o mesmo que eu frequentei, CT Desporto, as idades com que comecei foram as mesmas que as tuas... tudo muito parecido.

 

O que eu te disse é basicamente o que eu gostava que alguém me tivesse dito há 6 anos. Ah, outra coisa: dinheiro é mentira. A probabilidade de vires a tirar dinheiro a sério disto nos próximos 10 ou 15 anos da tua vida roça o impossível. Portanto, é como te digo, se quiseres lançar-te fá-lo, mas pelo sim pelo não, vai de cotoveleiras que sejam capazes de te amparar uma queda. Que é como quem diz, vai sonhando, mas a menos que os teus pais sejam ricos e te sustentem até tu quereres, pensa em alternativas.

 

E novamente, se não fizeres formação superior as tuas hipóteses são menores do que zero.

Compartilhar este post


Link para o post

Alex, e o caso do AVB, sabes como é que se processou o crescimento dele? Pergunto porque talvez é o único gajo português que me lembre que nunca jogou futebol nem tem ligações futebolísticas nenhumas

Compartilhar este post


Link para o post

É o único caso que tenho conhecimento, em qualquer lado do mundo, que não bate certo com nenhuma das duas premissas de jogar futebol ou ser licenciado. Mas além de ter tido pais ricos, tinha os vizinhos certos também.

Compartilhar este post


Link para o post

Pois, entretanto fui pesquisar e vi que ele era vizinho do Bobby Robson e que este lhe deu logo um cargo no Porto aos 16 anos

Compartilhar este post


Link para o post

Ok, vou tentar aprofundar.

 

Desde 2003 que existem demasiadas pessoas a quererem ser treinadores de futebol. O fenómeno Mourinho saturou o mercado, fez disparar as inscrições em cursos de treinador, em mestrados e licenciaturas referentes à área.

 

Isto teve uma coisa boa, porque de forma geral, tornou as pessoas mais formadas e competentes. Mais oferta torna o mercado mais competitivo, e se eu estava no terreno, tenho de me mexer para não ser apanhado pela nova onda de pessoas que vem cheia de competências técnicas e vontade de se mexer.

 

O grande problema disto é que se juntares a isto a falta de dinheiro generalizada que existe no país, tornas também a mão-de-obra barata. No futebol continuam todos os dias mestres (grau académico) em treino desportivo a trabalhar de borla, pessoas com anos a fio de experiência e formação a trabalhar a troco de cinquenta euros ao fim do mês. Existe muita gente, se não queres tu trabalhar de borla aparece outro que quer logo a seguir.

 

Outro problema grave é que é uma competência banalizada. Tu formas-te, estudas, lês, investes, mas um indivíduo qualquer sem noção nenhuma das coisas também dá a opinião dele, e ao contrário de outra profissão qualquer, existe muito curta capacidade de distinguir o trigo do joio. Em qualquer área tu és incapaz de dar mais valor à opinião de um totó qualquer no café do que a um formado e profissional no assunto. Do que, sei lá, a um médico. Ou a um advogado. É algo que não existe excepto no futebol e na política.

 

Dito isto, ainda concorres com outra adversidade: os ex-jogadores. Ninguém discute que a experiência no terreno pode ser importante para lidar com certas situações, mas o que se passa em demasiados locais é que isso sobrepõe-se a tudo o resto. Há uma espécie de vertigem da prática, em que se contratam ex-jogadores pela reputação e pela relação de afecto que se cria com as pessoas. Em certos casos isto pode dar certo, é evidente, mas em nenhuma área concorres com isto desta maneira. Ninguém contrata uma velha que tenha tido muitas doenças para ser médica.

 

Dito isto, 99,9999% das pessoas que se propõem a treinar futebol nunca chegam a ganhar em cargo nenhum sequer perto dos 200 euros mensais, e talvez esteja a ser optimista.

 

É possível contornar isto tudo? É. Se tiveres muita sorte, fores muito competente, ou se tiveres muita formação. Ou se não tiveres nenhuma destas coisas e tiveres sido jogador de Primeira Liga.

 

Como te disse, se não fizeres formação académica não tens hipótese. De quem faz uma formação académica na área (Licenciaturas em Desporto com especializações em Futebol, basta pesquisares, se quiseres posso-te falar melhor disto) muito poucos são os que se safam. É claro que consegues treinar, é claro que arranjas colocação aqui e ali. Mas precisas de criar conhecimentos. E a menos que tropeces em alguém que te leve ao alto nível por mero acaso, que de permeio engrace contigo e te dê um rebuçado, bem que te lixas e ficas pelo caminho.

 

Achas que consegues passar estes patamares todos? Esperemos que sim. Eu sou licenciado, tenho o mestrado em Treino com especialização na modalidade a meio, tenho o nível II e fui criando alguns conhecimentos com os anos. O problema disto tudo é o dinheiro, é sempre o dinheiro. Em coisas de patamares mais próximos, sei lá, treinares uma equipa qualquer de futebol juvenil perto de ti, é difícil encontrares algo que te pague acima dos 100€ em algum lado. Se o nível for melhorzinho, pode ser que te aproximes dos 200.

 

Se tiveres oportunidade de chegar ao futebol profissional conta com tectos salariais muito perto do ordenado mínimo, que é o que uma fatia muito, mas muito considerável dos adjuntos de futebol profissional recebem nas duas principais Ligas. É que já nem falo das outras. No CNS então, nas equipas melhorzinhas, até treinas de manhã e és capaz de lidar com profissionais, arriscas-te é a que te paguem 200 ou 300 euros por mês. Se te pagarem, claro. Podes sempre vir um par de ordenados em atraso. E chegar ao CNS já leva muitos anos de trabalho e esforço! Para mim este ano podia ter acontecido duas vezes. Numa implicava (e implicou) mudar-me para lá, onde me meteram a viver em condições miseráveis. Noutro era a uns 40 ou 50km de casa e o que pagavam nem para o gasóleo chegava. E estamos a falar de futebol profissional!

 

Por outro lado, existe sempre a vaga possibilidade de te convidarem para o futebol profissional. Como isto do futebol é mesmo assim, também é provável que se daqui a muitos anos te surgir a oportunidade de trabalhares no futebol profissional, que cai no colo de um em 1 milhão dos que com a tua idade se decidem a ser treinadores, que não seja à tua porta. Que seja na outra ponta do país. E que te paguem o ordenado mínimo ou muito perto disso. E vai na volta, tu à tua porta a fazer outra coisa qualquer, recebes o dobro ou perto disso.

 

É um mundo de cão, que raramente de traz de volta o que tu nele investes. Pensa bem. Lança-te, mas acautela-te de caminho.

Editado por Chandler

Compartilhar este post


Link para o post

Acrescentando a isso o facto de não ser uma profissão "segura", estando sempre dependente dos teus resultados.

 

Por falar em viver em condições miseráveis, alguém chegou a ler um artigo sobre jogadores de empresário no Estrela de Portalegre? Aquilo era surreal.

Compartilhar este post


Link para o post

Gostei muito de ler. Já agora permite-me lançar outra questão. Gosto sempre de ler as histórias dos portugueses lá fora no jornal Abola. Como é que um tipo de Sta. C. dos Assobios acaba como diretor/coordenador ou wtv das camadas jovens de um clube sul-americano? Quanto é que um tipo desses vai ganhar? Ou como é que vai treinar para o Bangladesh? Ou outro destino mais exótico? Como é que eles contactam estes clubes? Ou como é que os clubes os contactam? Quanto ganham em média? É mesmo algo que me deixa pasmado e curioso!

Compartilhar este post


Link para o post

Empresários, sempre empresários.

 

E como é que um tipo desses chega a empresários? Com conhecimentos. Conheces alguém, que conhece alguém, que por acaso conhece alguém... Os empresários não se aproximam de ti se não te virem eventual possibilidade de lucro ou caso tu não sejas indicado por alguém, de quem eles podem ser amigos, ou dever favores ou o que quer que seja.

Compartilhar este post


Link para o post

Acrescentando a isso o facto de não ser uma profissão "segura", estando sempre dependente dos teus resultados.Por falar em viver em condições miseráveis, alguém chegou a ler um artigo sobre jogadores de empresário no Estrela de Portalegre? Aquilo era surreal.

 

Era demasiado mau para ser verdade.

 

Empresários, sempre empresários.E como é que um tipo desses chega a empresários? Com conhecimentos. Conheces alguém, que conhece alguém, que por acaso conhece alguém... Os empresários não se aproximam de ti se não te virem eventual possibilidade de lucro ou caso tu não sejas indicado por alguém, de quem eles podem ser amigos, ou dever favores ou o que quer que seja.

 

Pelo que li dos teus posts, é uma área extremamente complexa e que gira à volta, principalmente, de dois fatores: (a) sorte; e (b) conhecimentos. Parece-me que a competência fica relegada para segundo plano. Corrige-me se estiver errado.

Compartilhar este post


Link para o post

Empresários, sempre empresários.

 

E como é que um tipo desses chega a empresários? Com conhecimentos. Conheces alguém, que conhece alguém, que por acaso conhece alguém... Os empresários não se aproximam de ti se não te virem eventual possibilidade de lucro ou caso tu não sejas indicado por alguém, de quem eles podem ser amigos, ou dever favores ou o que quer que seja.

 

E esses empresários chegam lá como? Essa é outra curiosidade que tenho! Hoje em dia mudou a regra para se ser empresário? Ou continuas a ter que ser FIFA Agent? É que presumo que o fenómeno Mourinho nos treinadores equipara-se ao fenómeno Jorge Mendes nos empresários.

Compartilhar este post


Link para o post

Excelente post Alex.

 

Só discordo num ponto, em todo o lado toda a gente acha que sabe de tudo. Já tive uma discussão duríssima com um tio da minha namorada porque ele insistia que "as hemorróidas se apanham quando te sentas numa cadeira quente em que a pessoa anterior tinha, mas só se a cadeira ainda estiver quente". É um mal generalizado.

Compartilhar este post


Link para o post

 

Como te disse, se não fizeres formação académica não tens hipótese. De quem faz uma formação académica na área (Licenciaturas em Desporto com especializações em Futebol, basta pesquisares, se quiseres posso-te falar melhor disto) muito poucos são os que se safam. É claro que consegues treinar, é claro que arranjas colocação aqui e ali. Mas precisas de criar conhecimentos. E a menos que tropeces em alguém que te leve ao alto nível por mero acaso, que de permeio engrace contigo e te dê um rebuçado, bem que te lixas e ficas pelo caminho.

 

SIm, se tiveres disponibilidade para tal gostava que me elucidasses melhor sobre as licenciaturas e especializações.

E concordo com tudo o que disseste, o Fator C(unha) conta muito nesta área, desde um clube de distritais até aos da Primeira Liga.

Compartilhar este post


Link para o post

Não percebo um crl do assunto, mas só queria dizer que o post do Alex é incrível. Qualquer que seja a área, dificilmente se pode elucidar alguém de forma tão clara e bem suportada. É o tipo de coisas que todos nos gostaríamos que nos dissessem sobre aquilo que (achamos que) queremos fazer.

Compartilhar este post


Link para o post

Já praticamente te disseram tudo e sinceramente não tenho muito a acrescentar. Posso-te dar o meu exemplo, que no fundo vai um pouco ao encontro com o que o Alex disse.

 

Decidi que queria ser treinador aos 18 anos. Ainda não sabia se ia para a faculdade, yada yada e na altura fui aconselhado a tirar então o nível I. Tirei e epá aprendi umas coisas engraçadas, agora ( na altura era um curso de 3 meses ) não foi ali que aprendes o b-á-bá. Até porque isso, pelo menos para mim, vais aprendendo em campo com outras pessoas ou por experiência própria mesmo. Eu acabei por entrar na faculdade quando até já tinha o nível II. Podia não ter entrado, até porque não tinha assim grande vontade de fazer faculdade, mas dou graças a Deus por os meus pais terem insistido, porque se é verdade que para aí 50% das coisas que estudei não me servem para um crl, as disciplinas mais direccionadas para o futebol e com questões corporais e tudo mais, ajudaram-me imenso...bem mais do que os cursos da AFL lá está.

 

Agora onde é que eu estou? Pá, vou treinar uma equipa de Juniores da Distrital e posso-te dizer que o que me pagam não chega aos 3 dígitos. Trabalho numa loja num centro comercial, podia ir fazer outra coisa a ganhar mais dinheiro mas isso implicaria não dar treinos... apesar de tudo e perto de realizar 25 anos acho que ainda não é altura de virar já a cara à luta mas sei que se por aqui de uns 10 anos a situação se mantiver muito provavelmente tenho que mandar o futebol à vida, porque vou querer constituir família e blá bla.

 

Para se chegar mais longe, para além da competência, é preciso conhecimentos. É preciso conhecer gente. Eu já estive lá fora e já voltei, não só em busca de currículo como em busca de conhecimentos...não há outra maneira de as coisas acontecerem. E mesmo isso não é assim tão fácil quanto parece, porque depois tens que conhecer gente que queira arriscar em ti...porque por muito amigos que sejam teus ou assim, se te "empurrarem" para a algum lado e depois tu não correspondes também é a pessoa que te ajudou que se queima.

 

Espero ter ajudado em alguma coisa. De resto acho que não deves desistir ao primeiro obstáculo ou ao primeiro contratempo, mas prepara-te porque vão existir bastantes.

Editado por FabioK

Compartilhar este post


Link para o post

Já praticamente te disseram tudo e sinceramente não tenho muito a acrescentar. Posso-te dar o meu exemplo, que no fundo vai um pouco ao encontro com o que o Alex disse.

 

Decidi que queria ser treinador aos 18 anos. Ainda não sabia se ia para a faculdade, yada yada e na altura fui aconselhado a tirar então o nível I. Tirei e epá aprendi umas coisas engraçadas, agora ( na altura era um curso de 3 meses ) não foi ali que aprendes o b-á-bá. Até porque isso, pelo menos para mim, vais aprendendo em campo com outras pessoas ou por experiência própria mesmo. Eu acabei por entrar na faculdade quando até já tinha o nível II. Podia não ter entrado, até porque não tinha assim grande vontade de fazer faculdade, mas dou graças a Deus por os meus pais terem insistido, porque se é verdade que para aí 50% das coisas que estudei não me servem para um crl, as disciplinas mais direccionadas para o futebol e com questões corporais e tudo mais, ajudaram-me imenso...bem mais do que os cursos da AFL lá está.

 

Agora onde é que eu estou? Pá, vou treinar uma equipa de Juniores da Distrital e posso-te dizer que o que me pagam não chega aos 3 dígitos. Trabalho numa loja num centro comercial, podia ir fazer outra coisa a ganhar mais dinheiro mas isso implicaria não dar treinos... apesar de tudo e perto de realizar 25 anos acho que ainda não é altura de virar já a cara à luta mas sei que se por aqui de uns 10 anos a situação se mantiver muito provavelmente tenho que mandar o futebol à vida, porque vou querer constituir família e blá bla.

 

Para se chegar mais longe, para além da competência, é preciso conhecimentos. É preciso conhecer gente. Eu já estive lá fora e já voltei, não só em busca de currículo como em busca de conhecimentos...não há outra maneira de as coisas acontecerem. E mesmo isso não é assim tão fácil quanto parece, porque depois tens que conhecer gente que queira arriscar em ti...porque por muito amigos que sejam teus ou assim, se te "empurrarem" para a algum lado e depois tu não correspondes também é a pessoa que te ajudou que se queima.

 

Espero ter ajudado em alguma coisa. De resto acho que não deves desistir ao primeiro obstáculo ou ao primeiro contratempo, mas prepara-te porque vão existir bastantes.

 

Obrigado pela resposta, é sempre bom conhecer experiências de outras pessoas, permite ganhar alguma noção de como as coisas funcionam.

Compartilhar este post


Link para o post

Junta-te à conversa!

Podes publicar um comentário agora e registar-te depois. Se tiveres uma conta, autentica-te agora para publicares o teu comentário de forma autenticada.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   O conteúdo anteriormente introduzido foi recuperado..   Limpar

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Entre para seguir isso  

×
×
  • Criar Novo...