Ir para conteúdo

Unclouded

Membro da Comunidade
  • Total de itens

    8.546
  • Registo em

  • Última visita

  • Pontos

    2,100 [ Doar pontos ]

4 Seguidores

Sobre Unclouded

  • Rank
    Just rolling
  • Data de Nascimento 21-10-1990

Informação de perfil

  • Sexo
    Masculino
  • Origem
    Vila Real / Bragança / Lamego

Últimos Visitantes

5.844 visualizações
  1. Final da Época 22/23 Calendário de Jogos: Os dois meses decisivos correram mais do que muito bem - foram praticamente perfeitos, apesar do infortúnio ter batido à nossa porta. Mas adiante, um passo de cada vez! Iniciámos este bimestre da melhor maneira possível - recebemos o Hamburg e, logo no início, um livre do Victor Álvarez, marcado ao 1º poste, é desviado pelo Peterson para o primeiro da partida! 1-0! Estávamos claramente superiores no jogo e, por ordem minha e da táctica exigida, não era para carregar no acelerador - controlem. Fizemos um jogo à Sporting - entregar a bola ao adversário e tentar sair ao fechar muito bem os espaços para a nossa baliza. O Hamburg só conseguia trocar a bola no seu meio campo, estando completamente sem ideias. Mas, no início da 2ª parte, sentenciámos o encontro - Janvier mete na área, e Fernandes sai da baliza e sacode a bola, acabando a mesma nos pés de Peterson. Este cruza e Ginczek ganha nas alturas ao Heyer, fazendo o 2-0! Imparáveis! E bastou continuar a controlar até ao final - e ainda vi o Geraldes meter um balázio, do meio da rua, no poste esquerdo. Mas está óptimo! Acontece que a seguir vamos a um jogo ainda mais desequilibrado que este - e eles, num lance de sorte, conseguem mesmo marcar e ganhar! Perdemos com o Arminia - injustiça! A vitória frente ao Darmstadt foi graças aos treinos - Klarer nas alturas a mostrar que os cantos são, efectivamente, decisivos para ganhar encontros. Mas, frente ao Nürnberg, e apesar da vitória, a primeira contrariedade - Ginczek sai lesionado. 4 semanas de baixa. Praticamente o resto da época... Vá lá que o Hennings, que o substituiu, nos trouxe os 3 pontos. Mas mesmo assim... Claro que depois, no jogo seguinte, não fomos capazes de quebrar o bloco baixo do Karlsruhe. Porra. E Maio começou da melhor maneira, em termos de época, possível - ao golear o Holstein Kiel, em casa, garantimos matematicamente o título - CAMPEÕES, crl!!!! A partir daí foi ver jogar - o empate no St Pauli acabou por ser justo, assim como as vitórias frente ao Hannover (excelente controlo de jogo da nossa parte) e, para acabar, ver o regresso do Ginczek à competição e logo com um golito. E o Appelkamp a mostrar serviço! Está um belo jogador, este jovem nipónico! Classificação Final da 2.Bundesliga: Aí estamos nós! Vencedores da segunda divisão alemã! Subimos à primeira com bastante distância para o 2º classificado. No geral foi bastante fácil, se bem que o plantel mostrou bastantes "problemas" ao longo da época que têm de ser resolvidos com alguma urgência. Fomos de longe a melhor defesa, mas no ataque ficámos atrás de dois rivais que, por coincidência, irão ficar nesta divisão - o Heidenheim acabou a perder o playoff de subida com o Werder Bremen. Temos de estar orgulhosos, claro, mas pensar já na próxima temporada - melhorar o plantel, acima de tudo! Temos praticamente 6M para o fazer - não é muito, claro, mas deve dar para fazer uns bons ajustes. Próxima Actualização: Análise da Época 22/23
  2. Dezembro a Março de 2023: Passeio Mercado de Transferências: Contratação da época, claramente vai vir charters: "Sócio, vai vir charters!". Precisávamos de um Director Desportivo. Para levantar a moral à equipa, foi o nosso Futre o escolhido (Viagra não falta!). Não foi muito mexido, mas tivemos três entradas e três saídas neste defeso de inverno. O Kownacki sai porque não queria renovar contrato, então mais vale algum dinheiro do que a zero no final do ano. O Hendrix não tinha espaço na equipa e o Krattenmacher, acabado de entrar, sai por empréstimo para ganhar andamento e evoluir um pouco. Loris Karius, 29 anos, Guarda-Redes 220m euros! Que pechincha por uma categoria de Guarda-Redes. Claro, é excêntrico, e está sempre marcado pela final que o Liverpool perdeu frente ao Real - mas é uma grande aquisição da nossa parte! Francisco Geraldes, 27 anos, Médio Centro/Ofensivo Era preciso um maestro para a equipa - o Janvier joga bem, mas era preciso algo mais. E surgiu a oportunidade de trazer o Geraldes - vem para ser titular absoluto e traz consigo um nível de jogo bem acima do praticado nesta liga. Espero grandes coisas! Maurice Krattenmacher, 17 anos, Ponta de Lança Vocês devem estar a perguntar - quem? Pois, também não sei. Os olheiros vieram com um relatório a dizer "Prioridade para Contratar". E eu assim fiz. Não paguei muito por um jogador que, segundo a equipa técnica, tem potencial elevado, mas que ainda está verde para isto - saiu por empréstimo para ver se ganha caparro! Calendário de Jogos: Finalmente tenho tempo para ter amigáveis! Quem diria que a pré-época ia ser em Dezembro/Janeiro! Tive bons testes e boas oportunidades de mexer aqui e ali, com o foco a ser o controlo de jogo, sem correr grandes riscos - um pouco pragmático, é verdade, mas com a qualidade apresentada tem de ser assim. Acabei, assim, a alterar a táctica principal de um 4-4-2 para um 4-5-1. Acabámos bem o mês a golear, já oficialmente, com um hat-trick do Ginczek (<3). No mês seguinte, e com dois encontros frente a rivais pela subida, o balanço é positivo - fomos empatar fora com o Paderborn (merecíamos tanto ter ganho, não têm noção!), e em casa conseguimos duas vitórias fáceis. Mas a deslocação ao Greuther Fürth foi uma derrota - e podia ter sido por mais. Simplesmente não entrámos em campo. Março ia ser curto em termos de jogos, sendo que tivemos duas deslocações teoricamente fáceis mas nas quais apenas trouxemos a vantagem mínima. O grande jogo foi entre essas partidas, frente a um rival à subida: Entrámos mal no jogo. O Weißhaupt comeu a nossa defesa toda e sozinho (!!!) passou por tudo e todos. E marcou golo! E nós a vê-la passar! O jogo continuou e, embora controlássemos, não conseguíamos acertar no terço final. Fiz as alterações que achei necessárias - mais verticalidade com o Ampomah pelo Peterson, o Janvier pelo Geraldes (completamente apagado) e a passagem do Zimmermann para defesa direito e entrada do Sobottka. E foi o que bastou para nos relançarmos. Ganhámos o miolo do terreno e rapidamente vimos o Ampomah a ganhar em velocidade na linha e a bola, depois de uma confusão na área, sobra para Appelkamp que faz o empate. 1-1! Minutos mais tarde, o Janvier mete uma bola picada nas costas da defesa e o Ginczek, de primeira, fuzila as redes. 2-1!!! E, para acabar bem a partida, vimos o Sobottka meter um passe em desmarcação que o Ampomah ganhou em velocidade - enche o pé, remata cruzado e faz o 3-1 final! É bem, meninos!!! Classificação da 2.Bundesliga: Vai bem, o passeio. Melhor defesa, estamos a alguma distância do melhor ataque mas, acima de tudo, estamos consistentes e em primeiro lugar com 7 pontos de vantagem. Está muito acima do que esperava - pensei que iria ser mais renhido, mas afinal... Passeio é passeio! Dados dos Jogadores: O Ginczek continua a ser um jogador impressionante para este nível - joga bem marca regularmente e carrega a equipa. O resto da equipa está a um bom nível, também, com Zimmermann e Sobottka a fazerem exibições consistentes e a revelarem-se como os pilares deste conjunto. E, na defesa, tenho de destacar o Klarer - que defesão! E a entrada do Karius é notória - que upgrade monstro!
  3. Resultados, acima de tudo. Era exigida posse e controlo. Época um fiz isso. Na segunda, posse mais ofensiva sem controlar tanto. Na terceira ofensiva. Na quarta já só queriam ataque fluído e futebol atrativo.
  4. @Modulor confirmo que dá. Mas demoras algumas épocas a conseguir. E para eles aceitarem tens de ir ganhando com a nova mentalidade que pretendes implementar, senão exigem o regresso da antiga.
  5. Melhor. Vendemos o Esgaio ao Tottenham e ficamos com o Porro!
  6. Olha que eu jogo em Gegenpress e estou a dominar tudo e todos! Depende de teres os jogadores certos com as funções certas. Mas o jogo também me parece bom para "invenções " desesperadas. Estás a perder aquele encontro decisivo? Já me aconteceu pôr tipo 3 avançados e um avançado sombra (ou seja, Muito Atacante e bola na frente) e os jogadores cumprem bem. Claro que não resulta sempre, mas também não há planos infalíveis ahah.
  7. Não concordo. Agora que atinei com a táctica tem sido uma limpeza que é incrível de ver. Mas é mais exigente o motor de jogo, isso sim.
  8. Julho a Novembro de 2022: Bom Começo! Calendário de Jogos: Quase sem treinos e amigáveis, iniciámos esta campanha ainda a conhecer os cantos à casa - que diabo, nem sequer a táctica está afinada! Mas deu para ir testando aqui e ali, e no geral diria que estamos mais do que bem. Começámos Julho da melhor maneira possível, com 3 vitórias (uma delas que equivalia a agradar à direcção e adeptos que era a de passar na 1ª Eliminatória da Taça), com uma delas a ser arrancada a ferros - o Kownacki, bastante bom jogador, conseguiu marcar mesmo em cima do apito final, senão podíamos ter perdido dois pontos fáceis num encontro que até dominámos... Se há coisa que gosto é que aqui o calendário não é muito sobrelotado. Dá tempo para recuperar os jogadores. Me gusta. Fomos ao Sandhausen golear - um bom indicador de que estamos no caminho certo. Mas o primeiro teste vinha aí: O Greuther Fürth é sempre candidato à subida. Portanto, é um rival para nós. Simples. Meti isso na cabeça aos jogadores e deixei que fossem para campo dominar completamente - é que foi uma categoria! O Ampomah é um jogador muito rápido, trapalhão até dizer "Chega!", mas bom rapaz para estas andanças. Foi fácil para ele entrar em desmarcação após enorme passe do Ginczek e dar um chute para o fundo da baliza! 1-0! Mas calma! Controlámos sempre a partida e, a meio da segunda metade, o Ginczek decidiu abrir o livrinho e distribuir chocolate - o recém entrado Appelkamp faz um passe de 30 metros, rasteiro, e ele dá de primeira, cruzado. 2-0!!! Logo de seguida, o nosso velhote, Hennings, faz uma operação rápida e delicada aos rins do defesa esquerdo do Fürth e mete na área, onde Ginczek aparece a encostar e a bisar! 3-0! Sem espigas! Continuámos o nosso percurso, com o jogo contra o Jahn Regensburg a ser virado nos momentos finais. Mas a seguir - ai que elas aparecem - perdemos contra um rival à subida. Fomos nós que controlámos, mas eles é que marcaram. Limpámos a mente em casa, contra o Hansa Rostock, e fomos ao sempre difícil Hamburg sacar um empate - nada mau! Outubro foi um pouco mais apertado em termos de calendário, e isso notou-se logo num plantel tão deficitário como o nosso - vencemos pela margem mínima, em casa, o Arminia Bielefeld, mas fomos ao Darmstadt 98 perder logo de seguida - nem rivais são, porra... Dei um chá aos jogadores - não se admite perder pontos assim. E fez efeito. Pelo menos a curto prazo! Goleámos o Nürnberg com um poker do Ginczek e, de seguida, não conseguimos contrariar as probabilidades - perdemos na 2º ronda da Taça contra o Mainz 05, equipa da Bundesliga. Enfim, esta não é de chorar! Mas perder com uma equipa banal como Karlsruhe é! E que azia me deu... Parece que os jogadores desligam a ficha, às vezes. Vá lá que ainda conseguimos ir ao Holstein Kiel vencer, senão podia ter sido um mau mês. Assim, é só razoável. Para acabar esta primeira volta, e devido ao Mundial do Dinheir - do Catar! - conseguimos duas boas vitórias em Novembro, e uma derrota causada pelo nosso médio Janvier - o puto manda uma trancada num adversário aos 20 minutos e é expulso! Com 10, fomos incapazes de, em casa do Hannover, de fazer estragos. E perdemos mesmo! Mas, olhando para a perspectiva geral, está bom! Das 4 equipas rivais à subida, vencemos duas, empatámos com uma e perdemos com outra. Not bad. Not bad at all! Classificação da 2.Bundesliga: Para já, em 1º lugar com metade do campeonato realizado - somos a melhor defesa, mas em ataque ainda estamos atrás de outros candidatos à subida. Sem ovos não dá para fazer omeletes, correcto? Mas é muito, mas mesmo muito bom, o percurso que estamos a fazer. Estatísticas de Jogadores: O Ginczek, para esta divisão, é bastante bom avançado. No entanto, e embora nas estatísticas apenas apareça como o rapaz com mais cartões amarelos da equipa, tenho de destacar o Sobottka - que trabalho desgraçado que o homem faz! Cão de caça em campo - varre tudo! Mundial: Uma pequena bolachinha - Portugal ia ser campeão! Ai Nandinho, se tivesses aberto os olhos...
  9. O problema é que é curto e não tenho dinheiro para ir buscar tudo o que falta. Pode complicar um pouco por aí, mas sim - o objectivo é subir já este ano. Quanto à malta das linhas - até gosto que sejam invertidos. Vai mais de encontro ao que pretendo. Obrigado 😉
  10. A carreira de futebolista é demasiado curta para se dizer que não a estes valores absurdos que pagam na Premier League. Ele até para o Wolves ia. Ele e nós todos.
  11. Apresentação do Clube e Pré-época 22/23 Apresentação do Clube: Pois bem, está assim confirmado - o clube é o Fortuna Düsseldorf. Parece-me uma escolha interessante para começar a "aprender" a jogar. Vai ser diretamente para o clube, sem saves de teste nem nada! Daqui, o que interessa é que nos colocam no 3º lugar, em teoria. Espero bem que possa fazer melhor do que as expectativas, mas vai depender bastante dos orçamentos. Uma coisa que me chamou muito à atenção foi o "querer" apostar na juventude. Acho isto muito bom para um clube crescer, e sinceramente revejo-me bastante nesta abordagem. O esperado é que, em duas épocas, eu esteja com o clube na Bundesliga. Vamos lá ser sinceros - o objectivo é ir já nesta temporada! O plantel apresenta algumas lacunas que considero "graves" - a nível das alas chega a ser deprimente. Médios Centro? Que é isso? O nível na baliza também é relativamente baixo para o que pretendo, mas lá está - vai depender dos orçamentos o quanto podemos reforçar e melhorar... Mercado de Transferências: Finalmente! O mercado! Uma das partes que mais me diverte! Qual é o orçamento?? 0 euros? Como? Nem uma sandes de torresmos e uma mini? Não há magia, meus caros. No money, no funey (sim, eu sei que é funny que se escreve!). Vendi dois cones que tinha no armazém e, com esse dinheiro, tentei procurar algo que me agradasse. Ah, excedemos o limite de salários? Tenho de ajustar? Ah! Então desse milhão que fiz fiquei com... 200 mil? Ah bom! Roubar é de pistola! Nicolas Janvier, Médio Centro, 23 anos Não dá para mais, mas já é muito bom. Tive de pagar por este empréstimo, com opção de compra no final da época. Acho que vem para ser titular - não tem grandes rivais, não é? Victor Álvarez, Defesa Esquerdo, 29 anos Gostei bastante deste negócio - adaptei o Gavory a defesa esquerdo e, mesmo assim, era muito curto. O Álvarez vem para lutar pelo lugar - e ainda foi a custo zero! Nicles! Rien de rien! Táctica Principal: Ora, vamos lá ver se assim resulta. Tive dúvidas se iria utilizar médios ou extremos nas alas - mas isso vou adaptando e vendo. Preciso é de equilíbrio na equipa. A qualidade da equipa é baixa, mas por a liga também ser medíocre pode ser que dê para ir testando ao longo do caminho. Se não der, aí sim, teremos problemas... Pré-época: Começo a trabalhar dia 4 de Julho. Dia 17 é o 1º jogo oficial. Resultado - apenas 3 amigáveis para testar a táctica e modelar a mesma. Ai, que isto vai de mal a pior. Ao menos ganhámos. E o jogo contra o Bordéus não foi fácil - foi claramente o melhor teste que tivemos. Estou esperançoso - agora é começar a sério! Siga!
  12. Capítulo 7: Levantar A recuperação foi extremamente lenta e dolorosa. Aquando do acidente, Alexander ficara com o fémur direito bastante danificado, pelo que, apesar de ter sobrevivido, teve de terminar, precocemente, a sua carreira de futebolista. Era possível voltar a andar e a correr normalmente, diziam os médicos, mas era impossível fazer algo relacionado com um desporto tão físico. No entanto, a maior perda não era a da capacidade de jogar futebol profissional, mas sim a do seu melhor amigo. Apenas tinha alguns vislumbres dos momentos antes do camião embater na pastelaria – Thomas apercebera-se uns segundos mais cedo e empurrara Alexander, sendo que este foi apenas atingido na zona da perna direita. Sentia-se devastado, e a saudade corroía-o por dentro. No entanto, as palavras de Aaron ecoavam dentro de si. Era ele quem estava pior, por ter perdido um filho, e no entanto tinha determinação e força suficiente para o apoiar. “Vive por ele. Vive pelo Thomas, Alexander!” A cada dia que passava, a cada passo que dava, a cada pequeno progresso na fisioterapia – essas palavras alavancavam o seu espírito, forçando-o a seguir em frente. Juntamente com as sessões no psicólogo, Alexander Nacht foi recuperando, física e mentalmente. O caderninho de Thomas andava sempre consigo desde o dia do acidente. Tentara devolvê-lo aos pais, mas tanto Aaron como a sua esposa recusaram. “É teu. O sonho é vosso, portanto isso é teu.” E foi esse alento que permitiu que ele encontrasse um novo objectivo – não podia jogar futebol. Não tinha o seu melhor amigo ao seu lado. Mas podia continuar, abraçando a parte técnica do desporto que amava, a seguir o sonho conjunto que ele e Thomas haviam decidido naquela tarde fatídica. Mas o percurso foi tudo menos fácil – sempre baseado mais no instinto do que na inteligência, foi complicado para Alexander aprender a visualizar o jogo como treinador. Ver o que faltava à equipa, analisar o adversário – foi difícil adaptar-se a essa nova realidade e maneira de pensar. Por partida do destino, o bloco de Thomas parecia ser feito especificamente por ele. Notava-se os apontamentos, mais imaturos, quando começara a treinar e a evolução destes à medida que ganhava experiência. Esses passos de uma vida, construída a partir de tentativa e erro, serviram de alicerce à mudança de Alexander. Conseguiu concluir o curso desportivo de Ciências do Desporto na Universidade Hochschule Niederrhein, o instituto superior da sua cidade natal, Krefeld. Depois, aproveitou as conexões que tinha, ainda dos tempos do Borussia Dortmund, para começar a integrar equipas da terceira divisão alemã. Os anos foram passando, e foi conquistando o seu espaço no futebol alemão. Até que, no final de Junho de 2022, recebeu uma carta. Rasgou o envelope e, atónito, soltou um berro. Saindo a correr de casa, só parou no cemitério norte de Krefeld. Avançou por entre o labirinto de lápides, até chegar à do seu melhor amigo. A foto de Thomas, a sorrir, ainda hoje o emocionava, mas forçou-se a falar. “Thomas, consegui! Olha o que recebi!” Virou a carta para a lápide, como que se de um troféu se tratasse. O símbolo vermelho, bem como a carta com a cópia do contrato para assinar – mostrou tudo, leu todas as alíneas e detalhes. E, Thomas não respondia. Sentiu uma lágrima a querer escorrer pela face, pelo que se voltou de costas para a campa. “Thomas, juro que vou conseguir. Por ti. Pelo nosso sonho. Juro que vou conseguir.” E sentiu um empurrão do ombro direito. Como os habituais empurrões que Thomas lhe dava antes de cada jogo. Soltou uma gargalhada e saiu, alegre. Estava na hora. Hora de conquistar tudo o que havia para ser conquistado no mundo do futebol. Próxima Actualização: Apresentação do Clube.
×
×
  • Criar Novo...