Ir para conteúdo
Entre para seguir isso  
Ghelthon

«Até aos 17 anos não devia haver campeonatos: a campeonite não é benéfica»

Publicações recomendadas

E deviam aos 14, 15 ou 16 anos fazer dos jogadores profissionais, muitas vezes com treinos bidiários e constantes torneios internacionais?

Compartilhar este post


Link para o post

Os miúdos para crescerem precisam de competitividade. Só treinar+jogos treino é insuficiente.

Um bom exemplo disso é a Liga Revelação: tem utilidade para 3 ou 4 equipas (as que não têm equipa B numa liga profissional) e, os jogadores que depois saltam para um escalão de topo, já estão referenciados desde os juniores (onde há competição a sério).

São poucos, ou nenhuns jogadores que saltaram dos U23 para uma I ou II Liga, que já não tivessem nas BDs dos scouts.

O mesmo não acontece no CP, por exemplo. Onde volta e meia aparece um gajo que ninguém conhecia

Compartilhar este post


Link para o post

Se só houvesse treinos e nada de campeonato, nunca na vida tinha feito os escalões de formação até aos juniores. Belo tédio que seria. E para quem queira tornar-se profissional, é fundamental a competitividade desde jovem.

Compartilhar este post


Link para o post
Citação de Seferogol, há 1 hora:

Os miúdos para crescerem precisam de competitividade. Só treinar+jogos treino é insuficiente.

Um bom exemplo disso é a Liga Revelação: tem utilidade para 3 ou 4 equipas (as que não têm equipa B numa liga profissional) e, os jogadores que depois saltam para um escalão de topo, já estão referenciados desde os juniores (onde há competição a sério).

São poucos, ou nenhuns jogadores que saltaram dos U23 para uma I ou II Liga, que já não tivessem nas BDs dos scouts.

O mesmo não acontece no CP, por exemplo. Onde volta e meia aparece um gajo que ninguém conhecia

Isto. Isso dos títulos não contarem para nada nestes escalões de formação é pura fantasia. Se não lhes for incutida essa mentalidade competitiva nestas idades quando é que a vão adquirir? Espera-se que sejam maiores de idade e depois é só estalar os dedos e temos ali uns animais competitivos, com fome de vencer e sede de vitórias?

Agora tb reconheço que há o reverso da medalha. Tb não vale tudo para ganhar nestes escalões jovens, não podemos sacrificar a evolução dos miúdos só em prol de umas Taças para o Museu. Acima de tudo é preciso formá-los como homens e dar-lhes as ferramentas para que possam crescer como jogadores.

Compartilhar este post


Link para o post
Citação de TariboWest, há 9 minutos:

Isto. Isso dos títulos não contarem para nada nestes escalões de formação é pura fantasia. Se não lhes for incutida essa mentalidade competitiva nestas idades quando é que a vão adquirir? Espera-se que sejam maiores de idade e depois é só estalar os dedos e temos ali uns animais competitivos, com fome de vencer e sede de vitórias?

Agora tb reconheço que há o reverso da medalha. Tb não vale tudo para ganhar nestes escalões jovens, não podemos sacrificar a evolução dos miúdos só em prol de umas Taças para o Museu. Acima de tudo é preciso formá-los como homens e dar-lhes as ferramentas para que possam crescer como jogadores.

No meu tempo já me dava contente por jogar num relvado e ter a sandes mista e o sumo no final do jogo 😂 

Claro que queríamos ganhar mas acima de tudo queríamos era diversão. Eram outros tempos. 

Por vezes nem culpo os clubes mas sim os pais. Todos querem ter o próximo Ronaldo. 

  • Like 2

Compartilhar este post


Link para o post

O mal são os simeones da formação. O resultadismo mata a criatividade. A automatização dos treinos mata a criatividade.

Compartilhar este post


Link para o post
Citação de TariboWest, há 7 minutos:

Isto. Isso dos títulos não contarem para nada nestes escalões de formação é pura fantasia. Se não lhes for incutida essa mentalidade competitiva nestas idades quando é que a vão adquirir? Espera-se que sejam maiores de idade e depois é só estalar os dedos e temos ali uns animais competitivos, com fome de vencer e sede de vitórias?

Agora tb reconheço que há o reverso da medalha. Tb não vale tudo para ganhar nestes escalões jovens, não podemos sacrificar a evolução dos miúdos só em prol de umas Taças para o Museu. Acima de tudo é preciso formá-los como homens e dar-lhes as ferramentas para que possam crescer como jogadores.

 

Quando se diz que os títulos não contam para nada, refere-se às situações em que são usados certos meios para atingir esse fim. Qual é a relevância de um título de sub-15? Diria que só uma em cada dez pessoas sabe quem ganhou os últimos títulos de sub-19, e já estamos a falar num contexto onde a grande parte dos jogadores tem contrato profissional.

Também convém deixar de olhar para a formação como uma ciência exata. Não é. Não é por meter jogadores num escalão acima que estes irão obrigatoriamente singrar no futebol sénior.

Há um exemplo até engraçado. Havia dois indiscutíveis na equipa do Porto que ganhou a UYL com idade de sub-17... é ver onde estão hoje.  

  • Like 5
  • Concordo! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Citação de TariboWest, há 11 minutos:

Isto. Isso dos títulos não contarem para nada nestes escalões de formação é pura fantasia. Se não lhes for incutida essa mentalidade competitiva nestas idades quando é que a vão adquirir? Espera-se que sejam maiores de idade e depois é só estalar os dedos e temos ali uns animais competitivos, com fome de vencer e sede de vitórias?

Agora tb reconheço que há o reverso da medalha. Tb não vale tudo para ganhar nestes escalões jovens, não podemos sacrificar a evolução dos miúdos só em prol de umas Taças para o Museu. Acima de tudo é preciso formá-los como homens e dar-lhes as ferramentas para que possam crescer como jogadores.

 

Citação de RoMbA, há 1 minuto:

No meu tempo já me dava contente por jogar num relvado e ter a sandes mista e o sumo no final do jogo 😂 

Claro que queríamos ganhar mas acima de tudo queríamos era diversão. Eram outros tempos. 

Por vezes nem culpo os clubes mas sim os pais. Todos querem ter o próximo Ronaldo. 

O ideal, a meu ver, é um misto dos 2.

Os putos terem competição, estarem 90 minutos a lutar por algo palpável, dar-lhes ferramentas táticas e técnicas que os permitam evoluir mas, ao mesmo tempo, deixaram a malta divertir-se.

  • Concordo! 3

Compartilhar este post


Link para o post
Citação de RoMbA, há 1 minuto:

No meu tempo já me dava contente por jogar num relvado e ter a sandes mista e o sumo no final do jogo 😂 

Claro que queríamos ganhar mas acima de tudo queríamos era diversão. Eram outros tempos. 

Por vezes nem culpo os clubes mas sim os pais. Todos querem ter o próximo Ronaldo. 

Isso é verdade mas acaba por ser mais um problema da sociedade do que do próprio modelo competitivo.

Citação de André Sousa, há 2 minutos:

Quando se diz que os títulos não contam para nada, refere-se às situações em que são usados certos meios para atingir esse fim. Qual é a relevância de um título de sub-15? Diria que só uma em cada dez pessoas sabe quem ganhou os últimos títulos de sub-19, e já estamos a falar num contexto onde a grande parte dos jogadores tem contrato profissional.

Também convém deixar de olhar para a formação como uma ciência exata. Não é. Não é por meter jogadores num escalão acima que estes irão obrigatoriamente singrar no futebol sénior.

Há um exemplo até engraçado. Havia dois indiscutíveis na equipa do Porto que ganhou a UYL com idade de sub-17... é ver onde estão hoje.  

Claro que sim, a transição para o futebol sénior é sempre uma incógnita e depende de n factores. O @Seferogol acabou por resumir bem a questão, o ideal é mesmo encontrar um ponto de equilíbrio, que não sacrifique nenhuma destas duas "variáveis".

Compartilhar este post


Link para o post

A coisa que mais gostava era de chegar a segunda feira e perguntar ao meu melhor amigo sobre o jogo dele. Éramos rivais. Eu no Beira mar e ele Taboeira. Foram 5 anos a falar sobre isso. 

Era tão fixe quando havia jogo entre nós porque havia sempre futebol rasgadinho, quem perdia era gozado a semana toda mas éramos amigos acima de tudo. 

Compartilhar este post


Link para o post

A citação toda é importante.

Citação

«Eu acho que até aos 16 ou17 anos não deveria haver campeonatos formais nem competição. Acho que há um modelo de campeonite instituída, transversal aos jogadores, aos encarregados de educação e a toda a sociedade, que na minha opinião não é benéfica. Obviamente que tem de existir competitividade, é intrínseco ao ser humano, temos de promover essa competitividade, mas a importância e o mediatismo que damos aos campeonatos não é benéfico. Basta olhar para o Torneio da Pontinha, em que a final passa na televisão. Percebe-se a tensão que há nos miúdos e nos pais naquele momento. Isso é anormal face à idade daqueles adolescentes. Os próprios clubes, sobretudo aqueles que não têm muito bem delineado o que querem, optam por jogadores com um grau de prontidão que ajude a ter sucesso no momento. Mas depois, passados cinco ou seis anos, percebemos que aqueles jogadores que venceram o torneio acabaram por não corresponder ou não evoluir. Por isso acho que temos de colocar na balança até que ponto isto é importante.»

Eu diria que se torna mais compreensível. O problema não é propriamente a competição em si, é mesmo a mencionada campeonite. Acho que até é um tema que já foi abordado várias vezes por aqui, da falta de noção à volta do futebol de formação em termos de comportamentos para com os miúdos, seja pelos constituintes do clube, seja por quem está nas bancadas.

O resto é essencialmente o que o @Seferogol disse.

  • Concordo! 1

Compartilhar este post


Link para o post

Do que vejo, os pais são um cancro no futebol de formação, principalmente, em equipas que jogam em campos pequenos.

Passam o jogo todo a dizer aos filhos "corre para ali", "passa para acolá". E nem vou comentar as alarvidades que gritam para os adversários, putos com 17, 18 e 19 anos. 

Mas isto já seria outra discussão sobre um assunto que me enoja.

  • Concordo! 5

Compartilhar este post


Link para o post
Citação de Seferogol, há 18 minutos:

Do que vejo, os pais são um cancro no futebol de formação, principalmente, em equipas que jogam em campos pequenos.

Passam o jogo todo a dizer aos filhos "corre para ali", "passa para acolá". E nem vou comentar as alarvidades que gritam para os adversários, putos com 17, 18 e 19 anos. 

Mas isto já seria outra discussão sobre um assunto que me enoja.

Há pais e pais. Há filhos e filhos. 

Compartilhar este post


Link para o post
Citação de Duda34, há 4 minutos:

Há pais e pais. Há filhos e filhos. 

Há mar e mar. Há ir e voltar.

  • Like 2

Compartilhar este post


Link para o post

Eu não tenho saudades nenhumas do meu tempo de formação

Treinadores a mandar-me po crl, chamar (censurado), berrar e pensar que isso é motivação

Ou no final de alguns jogos adultos a tentar andar à porrada com miúdos, enfim

Andava lá eu feito Zaidu com medo para evitar problemas

  • Like 1

Compartilhar este post


Link para o post

Saudades de jogar contra a Criarte na Jamaica e o público ser só gunas com pitbulls a ameaçar-nos caso ganhássemos o jogo.

Ganhamos e saímos de lá com uma chuva de pedras.

Bons tempos.

Compartilhar este post


Link para o post
Publicado (editado)
Citação de Ruas, há 3 minutos:

Saudades de jogar contra a Criarte na Jamaica e o público ser só gunas com pitbulls a ameaçar-nos caso ganhássemos o jogo.

Ganhamos e saímos de lá com uma chuva de pedras.

Bons tempos.

Guarda chuvas a passar pelas redes no acesso ao balneário, cuspidelas, sacas com tremoços 🤣

Editado por RoMbA

Compartilhar este post


Link para o post
Citação de RoMbA, há 1 minuto:

Guarda chuvas a passar pelas redes no acesso ao balneário, cuspidelas, sacas com tremoços 🤣

Nem havia balneário ali. Para nos equipar era na carrinha mesmo.

Compartilhar este post


Link para o post
Publicado (editado)
Citação de Ruas, há 2 minutos:

Nem havia balneário ali. Para nos equipar era na carrinha mesmo.

Nós na zona norte era bem pior. Às vezes nem água quente havia e quando havia, era à vez 🤣

Era tão fixe mandar a bola para o pinhal 😁

Editado por RoMbA

Compartilhar este post


Link para o post
Citação de Seferogol, há 1 hora:

Há mar e mar. Há ir e voltar.

e quem foi ao mar perdeu o lugar

Compartilhar este post


Link para o post

Além deste problema, também temos a valorização imediata do jogador em vez de o tornarem homem primeiro. O Paím é um caso desses.

Compartilhar este post


Link para o post
Publicado (editado)

Eu percebo o ponto de vista em questão. Os clubes muitas vezes olham para o resultado em si em vez de olhar para a formação do jogador.

É uma culpa partilhada por todo o sistema, desde os pais que pensam ter um Ronaldo em mãos e exigem coisas dos miúdos que não estão preparados, aos próprios treinadores que mais facilmente sobem na carreira se tiverem resultados. Se estivermos a falar de clubes de topo pior ainda, porque aí a exigência de títulos está inerente à génese dos mesmos. 

A competição deve sempre existir, mas seria importante uma reflexão geral sobre o que pretendemos do nosso futebol e se não seria mais benéfico uma cultura de competição saudável e qb nos escalões mais novos.

Não faz sentido termos treinadores que nos escalões mais jovens retiram a criatividade aos miúdos para fazer deles uns portentos táticos. 

Editado por Pedro_Y2J

Compartilhar este post


Link para o post
Citação de a.lopes, há 51 minutos:

Eu não tenho saudades nenhumas do meu tempo de formação

Treinadores a mandar-me po crl, chamar (censurado), berrar e pensar que isso é motivação

Ou no final de alguns jogos adultos a tentar andar à porrada com miúdos, enfim

Andava lá eu feito Zaidu com medo para evitar problemas

Por acaso sei de um "treinador" assim. Para aí nos iniciados ou juvenis, nos treinos, "mexe-te pá, não jogas nada!"

Compartilhar este post


Link para o post

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisa de ser membro desta comunidade para poder comentar

Criar uma conta

Registe-se na nossa comunidade. É fácil!

Criar nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Autentique-se agora
Entre para seguir isso  

×
×
  • Criar Novo...