Ir para conteúdo
Entre para seguir isso  
Pan

Estórias da História

Publicações recomendadas

Citação de Black Hawk, Em 08/06/2021 at 18:01:

É natural, é a área de especialidade pelo menos do meu amigo, algures ali na passagem do século XV para o XVI. Mas o gajo é muito bom, vale a pena ouvir.

É uma das referências, mas já estará um pouco desatualizado. Dependendo do que pretenderes fazer, deverá haver alternativas mais recentes e dentro das novas interpretações das fontes históricas. O Augusto fez uma lista porreira de historiadores portugueses há pouco tempo neste tópico, diria para explorares os nomes.

Se os livros que estás a pensar comprar forem os volumes de "A História de Portugal", valerá sempre a pena nem que seja como síntese e como base de conhecimentos, pois é bastante boa. Mas depois recomendaria obras mais recentes para aprofundar os conhecimentos adquiridos.

Btw, isto é longo e demora a ler, comecei ontem e só terminei há pouco - também fui lendo aos bocados por falta de tempo -, mas façam um favor a vós próprios e leiam o artigo:

https://observador.pt/especiais/quem-anda-a-falsificar-a-historia-de-portugal/

Isto é demasiado bom. O Zé Ferreira se tivesse vergonha na cara enterrava-se num buraco fundo e nunca mais falaria do assunto depois desta enrabadela a sangue frio.

Só consegui ouvir agora, e de seguida fui ler o artigo do observador, já tinha lido o do repensar a história.

E fiz isto tudo na net, portanto o Zé é capaz te ter razão. "Está tudo na NET".

Compartilhar este post


Link para o post
Citação de Puto Perdiz, Em 24/05/2021 at 19:41:

por momentos pensei que ele fosse falar da rábula do D. Sebastião em Alcácer do Sal com o "urso". Não sei se foi aí nessa entrevista que alguém falou que em Marrocos ensinam aos putos o que aconteceu ao D. Sebastião, mas que aqui não ensinam.

Qual é a versão deles?

Compartilhar este post


Link para o post

Está relacionado com isto? 

https://observador.pt/especiais/el-rei-d-sebastiao-desapareceu-em-alcacer-do-sal-e-outros-disparates-dos-alunos-de-historia-o-que-tem-que-mudar/

https://www.wook.pt/livro/d-sebastiao-desapareceu-em-alcacer-do-sal-isabel-moreira-brito/21482000

Honestamente não faço a menor ideia de como é contada aos alunos de marrocos, mas aqui até no quinto ano falamos sobre isso. Claro que com alguma leveza, mas no oitavo ano e no décimo ano falo sem grandes problemas do tema.

 

 

Compartilhar este post


Link para o post
Citação de Augusto, há 7 minutos:

Está relacionado com isto? 

https://observador.pt/especiais/el-rei-d-sebastiao-desapareceu-em-alcacer-do-sal-e-outros-disparates-dos-alunos-de-historia-o-que-tem-que-mudar/

https://www.wook.pt/livro/d-sebastiao-desapareceu-em-alcacer-do-sal-isabel-moreira-brito/21482000

Honestamente não faço a menor ideia de como é contada aos alunos de marrocos, mas aqui até no quinto ano falamos sobre isso. Claro que com alguma leveza, mas no oitavo ano e no décimo ano falo sem grandes problemas do tema.

 

 

Acho que não é isso. Um indivíduo disse, não sei se foi nesse programa da prova oral, que em Portugal andamos a ensinar aos putos sobre o mistério de D. Sebastião, mas que em Marrocos eles dão na escola o que lhe aconteceu na Batalha de Alcácer Quibir.

Compartilhar este post


Link para o post

Há duas versões sobre o D. Sebastião: a 1ª é que ele sobreviveu à batalha e reapareceu na Itália onde os espanhóis lhe deram o sumiço e a 2ª é que morreu na batalha e o corpo foi transladado para Ceuta e posteriormente Lisboa onde foi sepultado nos Jerónimos. Segunda versão é forte porque é corroborada por troca de correspondência entre as entidades de Ceuta e Lisboa e uma suposta carta do Cardeal D. Henrique a Filipe II de Espanha, que supostamente desenvolveu esforços hérculeos para resgatar o corpo.

Seria muito fácil resolver a questão abrindo o túmulo do D. Sebastião, um pouco como se faz pela Europa em alguns tipos de investigação, mas em Portugal isso parece ser quase tabu.

Compartilhar este post


Link para o post

Sempre interpretei a história de ele ter aparecido em Itália como uma espécie de novela da época, alguém com conhecimentos da corte portuguesa e bastante lábia a fazer-se passar por ele - e lembro-me de ter feito um post sobre isso há uns anitos -, mas penso ser consensual que ele morreu em batalha em Alcácer Quibir.

Já agora, fun fact, o Zé Ferreira diz no livro dele que Portugal estava a tentar conquistar Arzila durante o famigerado desastre de Tanger. Seria de esperar que o próprio nome fosse auto-explicativo.

PS: ou esperem, também há uma teoria da conspiração sobre o desaparecimento de D. Sebastião? Quê, cansou-se de ser rei, apaixonou-se por uma marroquina e fugiu com ela?

Editado por Black Hawk

Compartilhar este post


Link para o post

Essas teorias que o D. Sebastião não morreu em batalha baseiam-se quase sempre no facto de um Rei ter um valor muito mais alto como prisioneiro de guerra do que morto, um pouco como na Guerra dos 100 Anos quando o Príncipe Negro capturou o João II de França em Poitiers e ficou com aquela Fase da Guerra praticamente ganha para os ingleses, com a França a ceder uma data de territórios e uma fortuna em resgate.

Compartilhar este post


Link para o post
Citação de Black Hawk, há 19 minutos:

PS: ou esperem, também há uma teoria da conspiração sobre o desaparecimento de D. Sebastião? Quê, cansou-se de ser rei, apaixonou-se por uma marroquina e fugiu com ela?

*marroquino

Compartilhar este post


Link para o post
Citação de Lebohang, há 3 minutos:

Essas teorias que o D. Sebastião não morreu em batalha baseiam-se quase sempre no facto de um Rei ter um valor muito mais alto como prisioneiro de guerra do que morto, um pouco como na Guerra dos 100 Anos quando o Príncipe Negro capturou o João II de França em Poitiers e ficou com aquela Fase da Guerra praticamente ganha para os ingleses, com a França a ceder uma data de territórios e uma fortuna em resgate.

Duvido imenso que isso acontecesse no caso. Até pelos antecedentes.

No post anterior referi-me ao desastre de Tanger. Uma das consequências do mesmo foi o aprisionamento do príncipe D. Fernando, filho mais novo do falecido rei D. João I e, portanto, o mais novo dos infantes da Ínclita Geração.

Ele quando ficou prisioneiro em Marrocos, foi como garantia de uma espécie de salvo-conduto para os portugueses voltarem a Portugal e a devolução de Ceuta. Como Portugal nunca devolveu Ceuta, o desgraçado acabaria por morrer em cativeiro - e passou para a História como o Infante Santo.

Caso D. Sebastião fosse aprisionado, acredito que a sua libertação teria como contrapartida o abandono de todas as praças marroquinas na posse de Portugal. Seja como for, nunca o aprisionamento de um monarca cristão por um sultão seria ocultado. Teria sido um choque para toda a cristandade e haveria todos os motivos para ser amplamente divulgado até pelo prestígio associado.

Citação de Almeno, há 3 minutos:

*marroquino

Não sejas assim, que na época todos os "portugueses de bem" vestiam ceroulas até às virilhas 😁

Compartilhar este post


Link para o post
Citação de Lebohang, há 46 minutos:

Essas teorias que o D. Sebastião não morreu em batalha baseiam-se quase sempre no facto de um Rei ter um valor muito mais alto como prisioneiro de guerra do que morto, um pouco como na Guerra dos 100 Anos quando o Príncipe Negro capturou o João II de França em Poitiers e ficou com aquela Fase da Guerra praticamente ganha para os ingleses, com a França a ceder uma data de territórios e uma fortuna em resgate.

ainda há outra que é de que foi vendido ao Filipe e que estava fechado num calabouço em Espanha.

Citação de Almeno, há 35 minutos:

*marroquino

urso marroquino

Compartilhar este post


Link para o post
Citação de Puto Perdiz, Agora:

ainda há outra que é de que foi vendido ao Filipe e que estava fechado num calabouço em Espanha.

E meteram-lhe uma máscara de ferro para ninguém o reconhecer, sendo que a história só era conhecida em selectos círculos das sociedades secretas que manietavam os monarcas europeus já nessa altura.

E o Leonardo di Caprio interpretou a personagem num filme baseado nessa história.

Numa coisa tenho de dar a mão à palmatória: inventar teorias da conspiração de base histórica é divertidíssimo. Por vezes dá vontade de escrever um romance histórico inventando intrigas alternativas rocambolescas que colem os acontecimentos.

O primeiro volume teria de ser, claro está, D. Afonso Henriques que, em conluio com sua mãe, urdiram uma intriga política em conjunto para promover a independência de Portugal. Ela fingindo aliar-se aos condes galegos de Trava, mas destruindo por dentro o inimigo enquanto fingia ser inimiga de seu próprio filho.

"A Mártir de Portugal", um romance histórico de Black Hawk que conta a até agora proibida história do nascimento do Portugal. Intriga, traição e um exemplo do que uma mãe é capaz de fazer por amor a um filho... e uma pátria.

Compartilhar este post


Link para o post

a história do D. Sebastião dava um bom filme "baseado em factos reais".

Começavas com a infância dele e com a educação severa do cardeal ou lá o que era.

Depois passas para a juventude dele onde num passeio por Alcácer do Sal apaixona-se por um dos "pretos do sado" que vê no meio dos arrozais. Eles têm um caso, mas são apanhados numa noite, é daí que vem a lutar nocturna com um urso. Acabam separados.

Influenciado ele vai para a guerra, aí é capturado e até se pode passar um tempo a sofrer na prisão.

Consegue sair da prisão e vir para Portugal. Numa manhã de nevoeiro aparece na casa do "urso do sado" e vivem felizes para sempre. Sebastião, o rei que abandonou o reinado por um amor proibido.

Compartilhar este post


Link para o post
Citação de Puto Perdiz, há 6 minutos:

qualquer um deles deve ser mais preciso historicamente que o Braveheart.

Por norma, quando vejo um filme "histórico", tendo a não assumir o filme como uma interpretação fiel da história. Aliás, nem fiel, nem infiel. São filmes, se quiser ver em imagens o que, o que aconteceu em algum momento da história, vejo um documentário.

Ah, e não gosto do Braveheart. 😁

Gladiator ❤️

Compartilhar este post


Link para o post

O que nunca vi confirmado sobre D.Sebastião, e que não sei se é verdade ou mentira, mas sempre ouvi e li como verdade, são as suas deficiências fisicas e doenças que não lhe davam minimamente o "aspecto saudavel" de rei.

Julgo que ele já sofria e muito dos efeitos da consanguinidade e ainda novo apanhou uma doença que o deixou ainda pior. 

Compartilhar este post


Link para o post

Junta-te à conversa!

Podes publicar um comentário agora e registar-te depois. Se tiveres uma conta, autentica-te agora para publicares o teu comentário de forma autenticada.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   O conteúdo anteriormente introduzido foi recuperado..   Limpar

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Entre para seguir isso  

×
×
  • Criar Novo...